Exportar registro bibliográfico

Bioacessibilidade e influência de promotores e inibidores de ferro e zinco na mistura: arroz/feijão (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: TORRES, LARISSA CATELLI ROCHA - ESALQ
  • Unidades: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LAN
  • Subjects: ABSORÇÃO DE ALIMENTOS; ARROZ; COMPOSTOS FENÓLICOS; FEIJÃO; FERRO; NUTRIENTES
  • Language: Português
  • Abstract: Arroz e feijão são alimentos comuns em uma refeição típica brasileira, oferecendo grande variedade de nutrientes. São fontes de minerais, como o ferro e zinco, que são essenciais ao bom funcionamento do organismo. O ferro participa de importantes processos metabólicos de transporte e é componente de muitas proteínas. O zinco, por sua vez, é constituinte essencial para a atividade de muitas enzimas. A deficiência destes minerais pode levar a uma série de doenças e ao impedimento do funcionamento normal do organismo. Sabe-se que o ferro não heme, oriundo dos vegetais, possui menor absorção do que o ferro heme, de origem animal, assim como o zinco vegetal, que acaba sofrendo interferência de inibidores, naturalmente presentes em vegetais. Os inibidores mais comuns em arroz e feijão são os polifenóis, com maior abrangência dos taninos, e o ácido fítico conhecido por seu efeito quelante. Promover estratégias que visem aumentar a absorção de nutrientes são interessantes, visto que eles podem ser reduzidos pelos inibidores. Neste estudo, foram elaborados quatro tratamentos, sendo que todos continham arroz e feijão e variaram entre si quanto à promotores adicionados à esta mistura. Ácido ascórbico e aminoácidos sulfurados, como a cisteína foram os escolhidos para este estudo para verificar a promoção de ferro e zinco. Para simular uma realidade nutricional, como fonte de ácido ascórbico foi escolhido o tomate, e, como fonte de aminoácidos sulfurados foram escolhidos o alho e acebola. O objetivo foi avaliar a bioacessibilidade do ferro e zinco em arroz e feijão, bem como analisar a influência de promotores e inibidores na absorção destes micronutrientes. A bioacessibilidade foi determinada pela utilização de células caco-2, que é um método validado tanto para ferro como para zinco, e o teor de ferritina e zinco foram usados como indicadores de bioacessibilidade. Como resultado, observou-se que tanto a cisteína como o ácido ascórbico estiveram associados com o aumento na absorção de ferro, porém tal efeito só foi significativo quando permaneceram juntos no mesmo tratamento. Em relação aos inibidores, somente o ácido fítico influenciou a bioacessibilidade de ferro, enquanto que para taninos não foi observada influência. A ação dos promotores e inibidores não teve relação significativa para zinco
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 07.08.2018
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TORRES, Larissa Catelli Rocha; BRAZACA, Solange Guidolin Canniatti. Bioacessibilidade e influência de promotores e inibidores de ferro e zinco na mistura: arroz/feijão. 2018.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11141/tde-17012019-162735/ >.
    • APA

      Torres, L. C. R., & Brazaca, S. G. C. (2018). Bioacessibilidade e influência de promotores e inibidores de ferro e zinco na mistura: arroz/feijão. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11141/tde-17012019-162735/
    • NLM

      Torres LCR, Brazaca SGC. Bioacessibilidade e influência de promotores e inibidores de ferro e zinco na mistura: arroz/feijão [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11141/tde-17012019-162735/
    • Vancouver

      Torres LCR, Brazaca SGC. Bioacessibilidade e influência de promotores e inibidores de ferro e zinco na mistura: arroz/feijão [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11141/tde-17012019-162735/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020