Exportar registro bibliográfico

Negação sintática e pragmática: um estudo a partir da prosódia e estrutura informacional em alemão (2012)

  • Autor:
  • Autor USP: MEIRELES, SELMA MARTINS - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLM
  • Subjects: LÍNGUA ALEMÃ (GRAMÁTICA); PROSÓDIA
  • Language: Português
  • Abstract: A pesquisa tem por objetivo relacionar os níveis sintático e pragmático da negação em alemão através da prosódia e da estrutura informacional, a partir de um estudo empírico. “Negação” é entendida como a exclusão de um determinado conteúdo do conjunto parcial de alternativas potenciais adequadas ao momento discursivo em questão. A interação entre a negação sintática e a estrutura prosódica é investigada com referência a duas unidades paralelas: a frase entoacional (uma unidade informacional estruturada a partir de um acento nuclear (Moroni 2010; Blühdorn 2012) e caracterizada como o material compreendido entre as projeções de dois acentos nucleares) e a oração (simples ou composta por subordinação, nos casos em que se completa a valência do verbo da oração principal). A partir de uma anotação prosódica (Moroni 2006) de trechos de três diálogos do Datenbank gesprochenes Deutsch, foram identificados 135 enunciados (correspondentes às frases entoacionais) contendo ao menos um dos elementos sintáticos negativos listados na Duden Grammatik (2005). Há clara predominância da partícula nicht, a qual pode dever-se ao tipo de texto (discussões orais), com um possível uso maior de expressões referenciais com fins argumentativos e reflexos sobre a seleção do elemento negativo em nível sintático. A partir do posicionamento do elemento negativo na oração estabeleceu-se o âmbito sintático da negação (o constituinte posicionado à sua direita na serialização básica da oração – Blühdorn 2012) nos enunciados do corpus e procedeu-se à análise das saliências prosódicas presentes neste intervalo à luz da estrutura informacional. A partir da consideração de que a negação em nível sintático manifesta-se através de uma partícula de foco, sendo sua atuação restrita ao seu âmbito sintático, foram analisados apenas os acentos de tópico e foco (Büring 1997, 2005)referentes a elementos pertencentes ao mesmo. As demais saliências prosódicas porventura presentes não foram incluídas na análise, por referirem-se ao todo do enunciado e não especificamente à negação. A presença ou não de marcações prosódicas no âmbito sintático e sua posição em relação ao elemento negativo permitiu identificar 20 padrões prosódicos, com distribuição de frequência de ocorrência diversa. Os cinco padrões mais frequentes respondem por 62% de todas as ocorrências, com os três primeiros apresentando negação sem marcação prosódica e os dois seguintes, negação como tópico do enunciado. A estrutura informacional estabelecida para os diversos padrões foi então analisada em referência ao enunciado, a fim de estabelecer relações entre os níveis sintático e pragmático de atuação da negação. 39% do total dos enunciados (46% considerando-se os períodos compostos por subordinação) são formados por uma oração, apresentando sincronização entre estrutura sintática e prosódica. Outros 16% do total de frases prosódicas englobam material referente a apenas parte de uma oração. Nestes, a multiplicação de marcações nucleares empresta peso à contribuição do falante, com vários elementos da mesma proposição apresentados como respostas a questões básicas individuais. Por outro lado, em 45% dos enunciados a reunião de várias orações em uma frase prosódica possibilita manter o turno por mais tempo e apresentar uma unidade de sentido mais complexa, obrigando o interlocutor a seguir a estratégia argumentativa do falante. Em 78% dos enunciados, o foco permanece dentro do âmbito sintático da negação. Há, portanto, uma intersecção direta entre a negação e a questão básica do enunciado, mesmo quando o elemento negativo não recebe marcações prosódicas. Nos padrões com negação sem saliências prosódicas, a negação é usada apenas como opçãode apresentação do conteúdo em questão (i.e. em sua forma negativa). Enquanto não há alterações em termos de negação sintática ou semântica, há uma diferença pragmática importante entre fazer da negação o centro ou parte integrante da intenção comunicativa ou apenas apresentá-la como base para uma intenção comunicativa diversa. A adição de uma marcação de tópico à mesma sílaba que recebe a saliência de foco, quando aliada à negação, mostrou-se extremante produtiva, permitindo ao falante destacar elementos presentes na base comum de conhecimento como devendo ser ativados e reavaliados – no caso, como não adequados a um determinado contexto -, com efeitos comunicativos importantes a partir da geração de implicaturas (Levinson 2000). Com relação à ilocução, foram identificadas duas possibilidades comunicativas fundamentais do uso da negação sintática: como forma de bloquear o andamento da interação e/ou a argumentação do interlocutor e como informação da não-aplicabilidade de um conteúdo, com fins argumentativos. Detalhando-se a dicotomia em onze funções comunicativas (como contradizer, por em dúvida etc.) é possível estabelecer relações entre a estrutura informacional codificada pelos padrões prosódicos e sua função na interação. A partir da interação entre estrutura informacional e função comunicativa, é possível identificar interações específicas que tornam os padrões adequados em maior ou menor medida a cada uma das diversas funções comunicativas. Estas são selecionadas de acordo com estratégias retóricase para a criação de implicaturas, especialmente com vistas ao gerenciamento das relações interpessoais.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.12.2012
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MEIRELES, Selma Martins. Negação sintática e pragmática: um estudo a partir da prosódia e estrutura informacional em alemão. 2012.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/8/tde-10042014-105250/ >.
    • APA

      Meireles, S. M. (2012). Negação sintática e pragmática: um estudo a partir da prosódia e estrutura informacional em alemão. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/8/tde-10042014-105250/
    • NLM

      Meireles SM. Negação sintática e pragmática: um estudo a partir da prosódia e estrutura informacional em alemão [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/8/tde-10042014-105250/
    • Vancouver

      Meireles SM. Negação sintática e pragmática: um estudo a partir da prosódia e estrutura informacional em alemão [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/8/tde-10042014-105250/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021