Exportar registro bibliográfico

Centro Educacional do Deficiente Auditivo: um programa de atendimento do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais - USP (2013)

  • Authors:
  • Autor USP: BUFFA, MARIA JOSÉ MONTEIRO BENJAMIN - HRAC
  • Unidade: HRAC
  • Subjects: REABILITAÇÃO DE DEFICIENTES AUDITIVOS; HOSPITAIS DE ENSINO; QUALIDADE DE VIDA
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: O Centro Educacional do Deficiente Auditivo (Cedau), do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC) da Universidade de São Paulo (USP), atua há 23 anos na reabilitação de crianças com deficiência auditiva, buscando a integração da audição às suas vidas e a competência comunicativa em linguagem oral, além do desenvolvimento das habilidades de leitura e escrita. OBJETIVO: Os principais objetivos do Cedau são: desenvolver as habilidades auditivas da criança; favorecer a aquisição e o desenvolvimento da linguagem oral; realizar orientações e o aconselhamento familiar; integrar a criança no ensino regular e orientar professores e educadores. METODOLOGIA: O Cedau conta com uma equipe interdisciplinar formada por profissionais nas áreas de fonoaudiologia, pedagogia, psicologia e assistência social. São consideradas elegíveis para o programa crianças regularmente matriculadas no HRAC/USP, com deficiência auditiva neurossensorial bilateral, usuárias de implante coclear (IC) e/ou aparelhos de amplificação sonora individual(AASI), na faixa etária de 2 a 12 anos e que frequente o ensino regular em classe comum. Atualmente, o programa conta com trinta e nove crianças, na faixa etária de dois a onze anos, sendo trinta e três usuárias de implante coclear e AASI, uma usuária de implante coclear, uma com implante coclear bilateral e quatro usuárias de AASI. As crianças são encaminhadas pela Divisão de Saúde Auditiva (DSA) e Centro de Pesquisas Audiológicas (CPA) do HRAC/USP. Para ingressar no programa há uma avaliação interdisciplinar com o objetivo de identificar o desempenho auditivo e comunicativo, o nível de leitura e escrita e as condições psicossociais. Após esta primeira etapa, os casos são discutidos em equipe para definição de conduta que pode resultar no ingresso da criança ou no encaminhamento para outros (Continua)(Continuação) centros especializados. Os atendimentos são diários, no período da manhã, com duração de duas horas, uma vez que há dois grupos distintos. O primeiro inicia suas atividades às sete horas e trinta minutos e o segundo, às nove horas e trinta minutos. Parte das crianças utiliza o serviço de transporte oferecido pelo programa, uma parceria entre o HRAC/USP e a Secretaria Municipal da Educação. Além disso, o Cedau ainda oferece café da manhã e lanche para todas as crianças. O atendimento pedagógico é realizado de segunda a sexta-feira, em grupo, composto de três a seis crianças enquanto que o fonoaudiológico é individual, com duração de cinquenta minutos, duas vezes por semana. A psicologia também atua com as crianças e suas famílias, quando necessário, e a assistência social oferece atendimento individualizado conforme as necessidades de cada caso. Tanto o atendimento pedagógico como o fonoaudiológico tem como objetivo estimular o desenvolvimento das habilidades auditivas e a comunicação oral, além da leitura e escrita com as especificidades de cada área. O atendimento em grupo pode favorecer a criança em muitos aspectos, como na socialização, no cumprimento de regras para o bom andamento das atividades, além de estimulá-la a realizar o que lhe foi proposto mediante o modelo e o incentivo dos colegas. A música é rotina nas atividades diárias por ser um recurso rico para o desenvolvimento da audição e da linguagem. Além disso, há o coral formado por todas as crianças do Cedau, que cantam músicas infantis sob a regência de uma pedagoga. Como exemplo de superação e esperança, o coral é convidado a participar de eventos da comunidade. As datas comemorativas ao longo do ano são motivos de festividades, tais como: carnaval, páscoa, dias das mães, festa junina, dia dos pais, dia da criança, natal e outras. Vale ressaltar (Continua)(Continuação) que, a festa junina e a comemoração de natal são importantes eventos de confraternização, pois reúnem todas as famílias e os profissionais do Cedau. A semana da criança também viabiliza passeios como ao zoológico, parques, cinema, entre outros, garantindo a diversão e o aprendizado das crianças. O contato com diferentes ambientes leva a criança a novas experiências e, desta forma, contribui para o seu desenvolvimento. Já o atendimento individualizado com fonoaudiólogo pode estreitar ainda mais o trabalho auditivo, atendendo as necessidades específicas de cada criança, além da produção de fala, voz e outras questões que devem ser de responsabilidade deste profissional. Os dispositivos eletrônicos auxiliares à audição são revisados durante os atendimentos e encaminhados à manutenção quando necessário. Além disso, o fonoaudiólogo está atento às avaliações audiológicas, aos testes de percepção de fala e demais exames realizados no HRAC/USP, trocando informações com outros profissionais. O trabalho de orientação e aconselhamento às famílias também é desenvolvido no Cedau, tendo em vista a importância do núcleo familiar na vida da criança. Neste sentido, além das sessões individualizadas feitas pela equipe e as reuniões de pais, o programa ainda oferece o grupo de orientação fonoaudiológica destinado a todos os pais e/ou familiares que queiram compartilhar dúvidas, anseios, experiências e conhecimento. Os encontros são realizados uma vez ao mês durante duas horas, atendendo questões de relevância e interesse do grupo. Além disso, há o curso de pais que através de temas atuais e da presença de convidados de outras áreas oferece aos participantes a oportunidade da informação e do aprendizado. Os encontros são bimestrais e nas dependências do próprio centro. Vale ressaltar que, os pais e/ou familiares (Continua)(Continuação) são convidados a participar do atendimento fonoaudiológico o que contribui para o processo terapêutico e educacional da criança. Outro foco de atenção do programa é a escola que também tem um papel importante nesta trajetória. É considerada como um dos principais elementos na educação da criança. Neste contexto, o professor é tido como o maior responsável pela viabilização do processo acadêmico, na qualidade de agente facilitador na inclusão dessa criança ao meio escolar para um aprendizado efetivo. Por isso, os professores são orientados pela equipe da pedagogia e fonoaudiologia através de vistas às escolas e curso de capacitação o qual é oferecido no primeiro semestre do ano. Este curso aborda as seguintes questões: aspectos familiares, conceitos básicos sobre deficiência auditiva, dispositivos eletrônicos auxiliares à audição, condutas para facilitar a comunicação com o aluno, processo de educação e reabilitação da criança e aquisição e desenvolvimento da linguagem escrita. Para tanto, é dividido em quatro módulos, com duração de quatro horas cada um, perfazendo um total de vinte horas. Já a psicologia acompanha as crianças em suas atividades e, também, orienta os próprios profissionais, pais e educadores a enfrentarem os desafios, além das avaliações específicas e possíveis encaminhamentos para outras áreas, como da neurologia. O serviço social, por sua vez, realiza ações individuais, como o reestudo socioeconômico, as orientações familiares, direitos(BPC, Passe Livre, etc.) e encaminhamentos para recursos comunitários(PROFIS,ADAP etc.), além das visitas domiciliares e visitas às escolas. Participa, também, de reuniões semanais da equipe para discussão dos casos, auxilia na organização de eventos e festividades. RESULTADOS: Ao longo dos 23 anos de existência, o programa já atendeu 132 crianças, (Continua)(Continuação) orientou e aconselhou pais e familiares e, capacitou 652 professores. Além disso, já recebeu 445 visitas nacionais e internacionais de profissionais das áreas da saúde e educação. Participou de eventos científicos no Brasil e exterior; publicou em ANAIS, revistas e livros, além de ter concedido entrevistas à emissoras de rádio, televisão e jornal impresso. Em razão da qualidade dos serviços prestados ganhou prêmios e recebeu homenagens. CONCLUSÃO: com o atendimento diário e interdisciplinar oferecido pelo Cedau, a criança tem a possibilidade de melhorar seu desempenho auditivo, comunicativo e a relação interpessoal o que, certamente se estende ao meio familiar e escolar. Esta parceria entre a família, reabilitadores e escola é fundamental para o processo terapêutico e educacional da criança com deficiência auditiva. A troca de informação e conhecimento entre as partes envolvidas faz com que o trabalho seja, de fato, integrado e direcionado para um mesmo objetivo: a melhora na qualidade de vida da criança e de todos que estão ao seu redor
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference titles: Seminário Científico Políticas Públicas, Serviços e Sistemas em Saúde Auditiva: perspectivas atuais em saúde auditiva

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GABRIELE, Daniela Provenza Franco; SERAFIM, Kellen Cristina Gomes; BUFFA, Maria José Monteiro Benjamin. Centro Educacional do Deficiente Auditivo: um programa de atendimento do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais - USP. Anais.. Bauru: Universidade de São Paulo, Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, 2013.
    • APA

      Gabriele, D. P. F., Serafim, K. C. G., & Buffa, M. J. M. B. (2013). Centro Educacional do Deficiente Auditivo: um programa de atendimento do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais - USP. In Anais. Bauru: Universidade de São Paulo, Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais.
    • NLM

      Gabriele DPF, Serafim KCG, Buffa MJMB. Centro Educacional do Deficiente Auditivo: um programa de atendimento do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais - USP. Anais. 2013 ;
    • Vancouver

      Gabriele DPF, Serafim KCG, Buffa MJMB. Centro Educacional do Deficiente Auditivo: um programa de atendimento do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais - USP. Anais. 2013 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021