Exportar registro bibliográfico

Diferenças de gênero na percepção e nas estratégias de coping de pacientes em pré-operatório de revascularização do miocárdio (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: ESPLENDORI, GABRIELA FEITOSA - EE
  • Unidade: EE
  • Sigla do Departamento: ENC
  • Subjects: ADAPTAÇÃO PSICOLÓGICA; ESTRESSE PSICOLÓGICO; CIRURGIA TORÁCICA; REVASCULARIZAÇÃO MIOCÁRDICA
  • Keywords: Gender identity; Identidade de gênero; Myocardial revascularization; Psychological adaptation; Psychological stress; Thoracic surgery
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A cardiopatia isquêmica (doença das artérias coronárias) está entre as principais causas de morte de homens e mulheres no Brasil. A cirurgia de revascularização do miocárdio é indicada diante do quadro de lesões coronarianas difusas, acometimento de mais de um território coronariano e envolvimento de artérias vitais. Frente à necessidade de submissão ao procedimento cirúrgico, o paciente sente-se exposto a situações de estresse durante todo o período perioperatório, as quais o torna fragilizado física e emocionalmente, mesmo considerando ser este o recurso para manutenção da vida. O Modelo Interacionista do Estresse, referencial adotado nesta pesquisa, mostra que o gênero desempenha função de moderador da percepção do estresse. Objetivo: Identificar as diferenças de gênero na percepção do estresse e nas estratégias de coping de pacientes submetidos à cirurgia de revascularização do miocárdio. Método: Estudo com abordagem quantitativa, observacional, exploratório e descritivo, transversal, com coleta prospectiva de dados, realizado em hospital público de alta complexidade do município de São Paulo, cuja amostra foi composta de 74 homens e 31 mulheres. A coleta de dados foi realizada entre dezembro de 2012 e julho de 2013, após a aprovação dos Comitês de Ética em Pesquisa. Como instrumentos, foram utilizados: Questionário para caracterização sociodemográfica e clínica, Escala de Estresse Percebido (PSS-14), Inventário de Estratégias de Coping de Folkman e Lazarus, para os quais foram utilizados estatísticas descritivas e testes de comparação e correlação. Duas perguntas foram elaboradas para identificar estressores/preocupações e ações que ajudaram a enfrentar o pré-operatório, cujas respostas foram categorizadas e quantificadas. Resultados: A média de pontuação de estresse para mulheres e homens foi, respectivamente, 22,5 e 19,6.Esta diferença não foi estatisticamente significante. Não houve diferenças estatisticamente significantes entre os oito domínios do Inventário de Estratégias de Coping e gênero, enquanto os domínios Resolução de problemas, Reavaliação positiva e Suporte social tiveram maiores médias de pontuação. Observou-se que os domínios Reavaliação positiva, Fuga e esquiva, Autocontrole, Suporte social e Afastamento se relacionaram significativamente com algumas variáveis clínicas e sociodemográficas. Houve diferença estatisticamente significante entre gêneros na categoria B.1-Medo do procedimento: O coração com problemas/anestesia/esternotomia, com predomínio das mulheres (p=0,009) e na categoria C-Atividades para ocupar a mente, com predomino dos homens (p=0,031). Conclusão: Diante da complexidade, novidade e incontrolabilidade relativas à cirurgia de revascularização do miocárdio, o gênero não influenciou nas pontuações de estresse e domínios de coping (Inventário de Estratégias de Coping), predominando, na amostra total, a busca pela Resolução do problema e, em seguida, focou-se na emoção, com o uso da Reavaliação positiva e do Suporte social, destacandose o apoio na fé/oração e o apoio de familiares e amigos.Homens e mulheres diferenciaram-se diante do relato quanto ao estressor e quanto à ação para enfrentar o pré-operatório
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.08.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ESPLENDORI, Gabriela Feitosa; COSTA, Ana Lucia Siqueira. Diferenças de gênero na percepção e nas estratégias de coping de pacientes em pré-operatório de revascularização do miocárdio. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-20012015-120103/ >.
    • APA

      Esplendori, G. F., & Costa, A. L. S. (2014). Diferenças de gênero na percepção e nas estratégias de coping de pacientes em pré-operatório de revascularização do miocárdio. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-20012015-120103/
    • NLM

      Esplendori GF, Costa ALS. Diferenças de gênero na percepção e nas estratégias de coping de pacientes em pré-operatório de revascularização do miocárdio [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-20012015-120103/
    • Vancouver

      Esplendori GF, Costa ALS. Diferenças de gênero na percepção e nas estratégias de coping de pacientes em pré-operatório de revascularização do miocárdio [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-20012015-120103/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021