Exportar registro bibliográfico

Evolução do sistema tempo-aspectual da língua japonesa: do período clássico ao moderno (2004)

  • Authors:
  • USP affiliated author: HASHIMOTO, SHIRLEI LICA ICHISATO - FFLCH
  • School: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLO
  • Subjects: LÍNGUA JAPONESA; LINGUÍSTICA HISTÓRICA
  • Language: Português
  • Abstract: Iniciamos nosso estudo com a noção semântica do Tempo.Cada língua organiza e classifica essa noção de acordo com a sua apreensão e visão de mundo, o que nos faz pressupor que uma mesma noção pode ter diferentes representações lingüísticas de uma língua para outra. Para proporcionar um panorama da organização da noção semântica do Tempo nas línguas, adotamos dois estudos de perspectivas diferentes, mas complementares, como ponto de partida para as nossas reflexões: Reichenbach (1947) e Comrie (1976).Uma das dificuldades encontradas no estudo sobre o Tempo é justamente estabelecer as relações existentes entre os níveis morfológico, sintático, semântico e pragmático para se apreender o recorte temporal que a língua procura privilegiar. A noção semântica do Tempo manifesta-se na língua, notadamente, através de seus verbos. Em se tratando de verbos, há de se considerar duas categorias lingüísticas intrinsecamente relacionadas com a expressão temporal: tempo e aspecto. O item 1.2 propõe estabelecer apenas os conceitos gerais de tempo e aspecto, sem a preocupação de descrever e exemplificar as várias distinções temporais encontradas nas línguas.A partir desses conceitos, em 1.3 tecemos algumas considerações gerais sobre a língua japonesa e levantamos três teorias sobre a questão do tempo e aspecto na língua moderna japonesa. Verificamos que a atual polêmica sobre o sistema temporal da língua japonesa origina-se da interpretação do auxiliar verbal -Ta. Cada teoria interpretaesse auxiliar verbal como sendo, respectivamente, indicador de "tempo passado e aspecto perfectivo", de "aspecto perfectivo" e de "tempo relativo". Diante dessa polêmica, percebemos a necessidade de ) fazer um estudo diacrônico do auxiliar verbal -Ta, percorrendo o seu processo de evolução desde a língua clássica até a moderna. Na língua clássica japonesa havia seis auxiliares verbais tempo-aspectuais: Ki, Keri (auxiliar verbal de passado) e Tsu, Nu, Tari, Ri (auxiliar verbal de aspecto perfectivo). O auxiliar verbal -Ta origina-se do auxiliar verbal -Tari, mas a existência de seis auxiliares verbais para indicar o tempo e o aspecto nos induz a refletir sobre o sistema temporal da língua clássica. O capítulo 2 possui duas partes e propõe-se a estudar a evolução desses auxiliares verbais na sucessão de sincronias até a ocorrência do auxiliar verbal -Ta da língua moderna. No item 2.2, estudamos separadamente cada auxiliar verbal, levando em consideração os seguintes tópicos:Etimologia, Significado, Encadeamento (aglutinação), Flexão, Polêmicas, Observações e Histórico. A título de ilustração, elaboramos um quadro-resumo de cada auxiliar verbal, mostrando a sua evolução desde a língua clássica até a moderna (tanto na língua falada, quanto na escrita). A divisão histórica que adotamos privilegiou o enfoque lingüístico e por isso consideramos três grandes períodos: Antigüidade (Nara e Heian, 712-1085), Medievo (Insei a Muromachi, 1086-1573) e Moderno (Edoa Meiji, 1609 - 1912). Há de se observar que, após o período Meiji, há também o período conhecido como Contemporâneo. Concentramos nossa atenção principalmente na Antigüidade e no período Medievo uma vez que, para os estudos lingüísticos, a língua dos períodos Nara e Heian é considerada essencialmente clássica, enquanto que, a partir do período Insei, a língua vai sofrendo gradativamente mudanças tanto na escrita como na fala que atingirão o seu auge em Muromachi, período em que ocorrerá a transição da língua clássica para a moderna )As mudanças ocorridas nos auxiliares verbais tempo-aspectuais possuem uma intrínseca relação com os gêneros literários (poesia, narrativa, diário literário, ensaio etc.), o que nos motivou a inserir um item (2.1), contendo um panorama das obras literárias que citamos na parte descritiva dos auxiliares verbais. Nesse item, acrescentamos também um sub-item sobre as "singularidades dos auxiliares verbais do período". Como no capítulo 2.2 nosso objetivo imediato é percorrer as mudanças ocorridas nos auxiliares verbais tempo-aspectuais, selecionamos apenas exemplos representativos que indicam essas transformações.Como conclusão de nosso trabalho, tratamos da evolução dos auxiliares verbais de tempo e aspecto da língua clássica à moderna e levantamos uma das possibilidades de explicar o porquê de restar somente o -Ta na língua moderna e, também, refletir sobre as mudanças ocorridas no sistema temporal da língua japonesa
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.08.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      HASHIMOTO, Shirlei Lica Ichisato; OTA, Junko. Evolução do sistema tempo-aspectual da língua japonesa: do período clássico ao moderno. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.
    • APA

      Hashimoto, S. L. I., & Ota, J. (2004). Evolução do sistema tempo-aspectual da língua japonesa: do período clássico ao moderno. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Hashimoto SLI, Ota J. Evolução do sistema tempo-aspectual da língua japonesa: do período clássico ao moderno. 2004 ;
    • Vancouver

      Hashimoto SLI, Ota J. Evolução do sistema tempo-aspectual da língua japonesa: do período clássico ao moderno. 2004 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020