Exportar registro bibliográfico

Diagnóstico da apneia obstrutiva do sono em pacientes na fase aguda do acidente vascular cerebral através do uso de auto-CPAP (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: CAMILO, MILLENE RODRIGUES - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: NEUROLOGIA; ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL; RESPIRAÇÃO; APNEIA DO SONO
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução- Distúrbios respiratórios do sono (DRS) e doenças cerebrovasculares (DCV) têm elevada prevalência em todo o mundo. Apesar de compartilharem vários fatores de risco, existe uma forte relação causal entre apneia obstrutiva do sono (AOS) e acidente vascular cerebral (AVC). De fato, a AOS é reconhecida como um fator de risco independente para um evento cerebrovascular. Durante a fase aguda do AVC, mais de 60% dos pacientes apresentam AOS, sendo associada à pior evolução funcional, ao aumento da taxa de mortalidade e à recorrência de eventos cardiovasculares. O exame padrão-ouro para o diagnóstico de AOS é a polissonografia (PSG). Entretanto, é inviável sua realização, de rotina, em todos os casos de AVC agudo, devido à própria complexidade técnica, à gravidade do quadro neurológico e ao seu alto custo. Dessa forma, a substituição da PSG por outro método de boa acurácia seria muito útil nesta específica população. Os novos algoritmos dos aparelhos automáticos de pressão positiva contínua em vias aéreas (auto-CPAP, do inglês, automatic continuous positive airway pressure) conseguem diferenciar os diversos tipos de eventos respiratórios e, assim, potencialmente, permitem o diagnóstico de AOS. No entanto, faltam estudos para verificar sua acurácia em relação à PSG em pacientes com AVC agudo. O objetivo primário desse estudo foi validar o algoritmo de detecção de eventos respiratórios do auto-CPAP para o diagnóstico de AOS em pacientes na fase aguda do AVC. Métodos - O estudo do sono foi realizado com a PSG e com o aparelho de auto-CPAP, simultaneamente, dentro de 48 horas após o evento cerebrovascular. A curva ROC (do inglês, Receiver Operating Characteristic Curve), o coeficiente de correlação de Spearman e o coeficiente de correlação intraclasse foram analisados. Resultados - Foram avaliados, prospectivamente, 31 pacientes adultoscom AVC agudo (2 hemorrágicos; 29 isquêmicos). Destes, 30 (96,8%), idade média de 59,7 ± 12 anos e 60% do sexo masculino, realizaram estudo do sono. Todos os pacientes usaram o auto-CPAP por mais de 4 horas. A PSG revelou um índice de apneia-hipopneia (IAH) de 34 ± 41 eventos/h e o auto-CPAP de 18 ± 16 eventos/h. De acordo com o IAH (≥ 5, ≥ 10, ≥ 15 e ≥ 30 eventos/h), a frequência de AOS foi de 83%, 67%, 66% e 40%, respectivamente, pela PSG. Enquanto que pelo auto-CPAP, foi de 73%, 53%, 43% e 27%. Analisando a curva ROC, a área sob a curva foi acima de 0,90, com sensibilidade e especificidade acima de 80%, para cada valor do IAH. Os coeficientes de correlação de Spearman (rs) do IAH, do índice de hipopneia, do índice de apneia obstrutiva e do índice de apneia central foram de 0,92; 0,89; 0,63 e 0,62, respectivamente. Os coeficientes de correlação intraclasse entre os eventos detectados pelo auto-CPAP e os manualmente marcados na PSG foram de 0,60 para o IAH, 0,64 para o índice de hipopneia e 0,45 para o índice de apneia. Conclusão - O auto-CPAP tende a subestimar os índices de eventos respiratórios. Contudo, apresentou uma ótima acurácia na detecção desses eventos e foi bem tolerado pelos pacientes com AVC agudo. Em função da complexidade da realização de PSG, da alta frequência de AOS e da possibilidade de seu tratamento precoce, nossos resultados sugerem que o auto-CPAP deve ser considerado como método diagnóstico de DRS em pacientes na fase aguda do AVC
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.07.2017

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CAMILO, Millene Rodrigues; PONTES NETO, Octávio Marques; ECKELI, Alan Luiz. Diagnóstico da apneia obstrutiva do sono em pacientes na fase aguda do acidente vascular cerebral através do uso de auto-CPAP. 2017.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017.
    • APA

      Camilo, M. R., Pontes Neto, O. M., & Eckeli, A. L. (2017). Diagnóstico da apneia obstrutiva do sono em pacientes na fase aguda do acidente vascular cerebral através do uso de auto-CPAP. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Camilo MR, Pontes Neto OM, Eckeli AL. Diagnóstico da apneia obstrutiva do sono em pacientes na fase aguda do acidente vascular cerebral através do uso de auto-CPAP. 2017 ;
    • Vancouver

      Camilo MR, Pontes Neto OM, Eckeli AL. Diagnóstico da apneia obstrutiva do sono em pacientes na fase aguda do acidente vascular cerebral através do uso de auto-CPAP. 2017 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021