Exportar registro bibliográfico

Organismos estudantis e o incentivo ao empreendedorismo nas universidades brasileiras (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: RIBEIRO, ARTUR TAVARES VILAS BOAS - FEA
  • Unidade: FEA
  • Sigla do Departamento: EAD
  • Subjects: EMPREENDEDORISMO; UNIVERSIDADE; ENTIDADES ESTUDANTIS; CRIAÇÃO DE EMPRESAS
  • Keywords: Company creation; Entrepreneurship; Student-led organizations; Universities
  • Language: Português
  • Abstract: O presente estudo tem como proposta compreender os processos de nascimento e evolução de organizações estudantis que atuam no incentivo ao empreendedorismo em universidades de pesquisa brasileiras. A característica central de tais organizações é relativa ao seu modelo grassroots: de gênese espontânea e informal, autônoma de interesses institucionais e com crescimento de baixo para cima - partindo dos alunos e ganhando apoio institucional ao passo que amadurecem seus trabalhos. Pretendeu-se explorar com maior profundidade os seguintes elementos acerca das mesmas: (i) surgimento e motivações; (ii) papéis e atividades a serem desempenhadas; (iii) indicadores de maturidade. A revisão de literatura cobriu inicialmente o conceito de empreendedorismo e seu impacto econômico, avançando para a abordagem de ecossistemas de empreendedorismo, detalhando os papéis das universidades em ecossistemas e modelos práticos para tais e, por fim, deu ênfase e aprofundamento nas bibliografias relativas ao fenômeno das organizações universitárias grassroots para empreendedorismo. A pesquisa tem caráter exploratório e abordagem qualitativa, utilizando, como método o estudo de casos múltiplos com fonte de coleta complementar por dois elementos: um relato descritivo com observador participante e um levantamento de experiências. O relato descritivo apresentou a vivência do observador participante atuando à frente do Núcleo de Empreendedorismo da USP, trazendo percepções acerca de desafios, soluções eatividades desempenhadas pela organização. O levantamento de experiência contou com entrevistas em profundidade aplicadas em dez líderes ou ex-líderes de organizações grassroots de universidades de pesquisa brasileiras. As entrevistas se dividiram em três blocos: papéis a serem desempenhados; criação e organização do movimento; validação de um modelo de maturidade. O Modelo de Maturidade se baseou em um modelo proposto por uma associação nacional de organizações grassroots para empreendedorismo em universidades do Reino Unido, buscando validação e adaptação ao contexto de universidades de pesquisa brasileiras - resultando em um modelo com quatro estágios: nascente, em consolidação, maduro e autossustentável. O tratamento dos dados das entrevistas foi realizado por meio de Análise de Conteúdo, utilizando os procedimentos de Bardin. Os resultados obtidos dialogam com a teoria e reforçam a importância das organizações grassroots no direcionamento estratégico das universidades, bem como sua relevância quanto à capacidade de execução e transformação do ambiente universitário. Referente às atividades, pode-se perceber uma concentração em três vias: inspiração/estímulo; capacitação/ensino; conexão/estrutura. O incentivo ao aluno interessado em empreender, percorrendo essas vias, se encerra com a formação de empreendedores que, bem-sucedidos, retornam à universidade trazendo consigo inspiração, capacitação e conexões para novos alunos interessados, formando uma espiral positiva eum efeito de rede marcante no estudo. Faz-se importante ressaltar também a notada tensão entre o apoio institucional salutar que pode vir a ser dado pela universidade versus os riscos de fagocitose, institucionalização prejudicial e engessamento das organizações grassroots. Deste modo, este estudo busca contribuir trazendo maior compreensão sobre o fenômeno grassroots e dar suporte a tais organismos e às instituições em que se inserem na otimização de suas atividades em universidades de pesquisa brasileira. Sua relevância se faz pelo relativo ineditismo no contexto nacional, pelo potencial impacto de tais organismos e pela contemporaneidade do fenômeno, abrindo caminhos para futuros e aprofundados estudos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.10.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RIBEIRO, Artur Tavares Vilas Boas; PLONSKI, Guilherme Ary. Organismos estudantis e o incentivo ao empreendedorismo nas universidades brasileiras. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12142/tde-16122016-163845/ >.
    • APA

      Ribeiro, A. T. V. B., & Plonski, G. A. (2016). Organismos estudantis e o incentivo ao empreendedorismo nas universidades brasileiras. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12142/tde-16122016-163845/
    • NLM

      Ribeiro ATVB, Plonski GA. Organismos estudantis e o incentivo ao empreendedorismo nas universidades brasileiras [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12142/tde-16122016-163845/
    • Vancouver

      Ribeiro ATVB, Plonski GA. Organismos estudantis e o incentivo ao empreendedorismo nas universidades brasileiras [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12142/tde-16122016-163845/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021