Exportar registro bibliográfico

A distribuição espacial da concentração de ozônio troposférico associada ao uso do solo na região metropolitana de São Paulo (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: CHIQUETTO, JULIO BARBOZA - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLG
  • Subjects: OZÔNIO; POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA; USO DO SOLO; GESTÃO AMBIENTAL
  • Keywords: WRF/Chem; WRF/Chem
  • Language: Português
  • Abstract: As altas concentrações de ozônio troposférico e outros poluentes constituem riscos à saúde da população da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), sendo regidas por complexos fatores de origem antrópica (como a emissão de poluentes precursores) e natural (como a disponibilidade de radiação solar). Na primeira etapa do estudo, as estações de monitoramento da CETESB foram classificadas de acordo com o uso e ocupação do solo, através de critérios sugeridos pelo OMS, em veicular, comercial, residencial e background urbano. Foi realizada a avaliação de séries temporais, de 1996-2011, medidas em estações da CETESB, principalmente pela comparação do ciclo sazonal de ozônio nas estações com diferentes classificações de uso do solo. A segunda etapa se caracterizou pela realização, no modelo atmosférico WRF/Chem 3.2.1, de testes de sensibilidade, onde alterações nas características de emissão e uso do solo foram realizadas por meio de programas em SIG, configurando diferentes cenários que foram comparados à um cenário de controle, durante um período de intensa insolação na região de estudo (verão de 2014). Os resultados da primeira etapa indicaram concentrações médias de ozônio mais elevadas em estações de uso do solo residencial ou de background urbano (com média mensal mais alta de 57 gm-3 ou 28 ppb em outubro na estação Pico do Jaraguá), e mais baixas em estações com uso do solo veicular e comercial (com média mensal mais baixa de 6 gm-3 ou 3 ppb em junho na estação Lapa); ooposto do verificado para outros poluentes, tanto na escala diurna como na sazonal. Os resultados da segunda etapa (modelagem) demonstraram que o tamanho das áreas onde as emissões antropogênicas veiculares foram alteradas influencia diretamente na intensidade e distribuição espacial das alterações de ozônio e poluentes primários avaliados. Os cenários com redução mais intensa da emissão (100%) também indicaram alterações mais intensas do que os com redução moderada (50%). Os cenários com número total de veículos reduzido apresentaram as reduções mais expressivas de ozônio, com redução média de 18 gm-3 ou 9 ppb durante o dia no cenário que simula um pedágio urbano no centro de São Paulo. A circulação local de brisa marítima foi determinante para o transporte do excesso ou déficit de ozônio e poluentes precursores para diferentes regiões da RMSP. A modificação de uso do solo acarretou em diferentes propriedades termodinâmicas de superfície e emissão de compostos biogênicos associados à formação do ozônio, acarretando em concentrações mais altas dentro das áreas modificadas (com aumento médio de 10 gm-3 ou 5 ppb durante todos os horários do dia no cenário em que se simula a construção de um parque urbano em São Paulo) e transporte para regiões mais distantes. Concluiu-se que, nas condições ambientais e de infraestrutura atuais encontradas na RMSP, a implementação de um parque deverá acarretar na elevação das concentrações médias de ozônio na área alterada (com possíveisimpactos de aumento ou redução também em áreas adjacentes e distantes, de acordo com a circulação atmosférica predominante). Sugere-se o foco no transporte público e não motorizado, além do ordenamento adequado do uso e ocupação do solo e políticas de desenvolvimento de combustíveis mais limpos para a mitigação destes problemas e implementação de parques urbanos sem aumento das concentrações de ozônio.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.08.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CHIQUETTO, Julio Barboza; SILVA, Maria Elisa Siqueira. A distribuição espacial da concentração de ozônio troposférico associada ao uso do solo na região metropolitana de São Paulo. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8135/tde-22112016-122638/ >.
    • APA

      Chiquetto, J. B., & Silva, M. E. S. (2016). A distribuição espacial da concentração de ozônio troposférico associada ao uso do solo na região metropolitana de São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8135/tde-22112016-122638/
    • NLM

      Chiquetto JB, Silva MES. A distribuição espacial da concentração de ozônio troposférico associada ao uso do solo na região metropolitana de São Paulo [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8135/tde-22112016-122638/
    • Vancouver

      Chiquetto JB, Silva MES. A distribuição espacial da concentração de ozônio troposférico associada ao uso do solo na região metropolitana de São Paulo [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8135/tde-22112016-122638/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021