Exportar registro bibliográfico

Produção geográfica e ruptura crítica: a geografia uspiana entre 1964 e 1985 (2016)

  • Authors:
  • USP affiliated author: VERDI, ELISA FAVARO - FFLCH
  • School: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLG
  • Subjects: GEOGRAFIA (ESTUDO;INFLUÊNCIA FRANCESA); PESQUISA CIENTÍFICA; MARXISMO
  • Keywords: Civil-military dictatorship; Critical Geography; Ditadura civilmilitar; Escola francesa de geografia; French Geography school; Geografia crítica
  • Language: Português
  • Abstract: Esta dissertação de Mestrado analisa a produção acadêmica do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo como momento fundamental do movimento de ruptura crítica da Geografia brasileira na segunda metade do século XX. A partir da hipótese de que os antecedentes da renovação podem ser encontrados na produção geográfica do referido departamento e nos periódicos da Associação dos Geógrafos Brasileiros (SILVA, 1983), empreendeu-se o levantamento e a análise das dissertações de Mestrado, teses de Doutorado, Livre-Docência e Cátedra defendidas no Departamento de Geografia da USP entre 1964 e 1985. Tal recorte temporal refere-se ao período da ditadura civil-militar no Brasil e constitui o contexto sócio-histórico de desenvolvimento da renovação crítica na ciência geográfica brasileira. Compreendemos que o estabelecimento da relação entre texto a produção acadêmica - e contexto a ditadura civil-militar - (CANDIDO, 1981) revela as determinações da produção e consolidação de um pensamento crítico em um momento de repressão. A análise das dissertações e teses demonstrou a existência de um diálogo entre a Geografia brasileira e a Escola Francesa de Geografia, a qual fundamentou diversas perspectivas teóricas e metodológicas nos trabalhos analisados a partir, essencialmente, da obra de três geógrafos franceses: Pierre Monbeig, Pierre George e Yves Lacoste. Neste trabalho analisamos também o diálogo entre a produção acadêmica do Departamento de Geografia da USP e a obradestes três autores. Compreendemos que a renovação crítica se consolidou como uma ruptura em relação à perspectiva da Escola Francesa de Geografia, construindo uma Geografia baseada no materialismo histórico que analisa a relação entre sociedade e espaço dialeticamente. As dissertações e teses analisadas, portanto, revelam um movimento de ruptura metodológica, fruto de um processo de ruptura crítica em relação à tradição herdada da Escola Francesa de Geografia e de ruptura política em relação à ditadura civil-militar, constituindo assim o chamado movimento da Geografia Crítica no Brasil.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.01.2016
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VERDI, Elisa Favaro; CARLOS, Ana Fani Alessandri. Produção geográfica e ruptura crítica: a geografia uspiana entre 1964 e 1985. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-08042016-123008/ >.
    • APA

      Verdi, E. F., & Carlos, A. F. A. (2016). Produção geográfica e ruptura crítica: a geografia uspiana entre 1964 e 1985. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-08042016-123008/
    • NLM

      Verdi EF, Carlos AFA. Produção geográfica e ruptura crítica: a geografia uspiana entre 1964 e 1985 [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-08042016-123008/
    • Vancouver

      Verdi EF, Carlos AFA. Produção geográfica e ruptura crítica: a geografia uspiana entre 1964 e 1985 [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-08042016-123008/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020