Exportar registro bibliográfico

Dostoiévski e a dialética: fetichismo da forma, utopia como conteúdo (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: VASSOLER, FLÁVIO RICARDO - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLT
  • Subjects: LITERATURA RUSSA; TEORIA CRÍTICA; DIALÉTICA; POLIFONIA; FILOSOFIA DA HISTÓRIA
  • Keywords: Cicatrização do espírito; Commodity; Fetichismo da mercadoria; Healing of the spirit
  • Language: Português
  • Abstract: Esta tese tem como objetivo a análise e interpretação do sentido histórico, estético, político e literário das tensões dialéticas expostas na obra do escritor russo Fiodor Dostoiévski. Na primeira parte (tese), Dostoiévski e o fetichismo da forma mercadoria, a análise da obra de Dostoiévski nos leva às tensões e às afinidades eletivas que enredam duas vertentes: a polifonia proposta pelo crítico russo Mikhail Bakhtin (1895-1975), em Problemas da Poética de Dostoiévski (1929/1963), e a dialética materialista, sobretudo a partir da Teoria Estética (1968), do autor frankfurtiano Theodor Adorno (1903-1969). Trata-se de totalizar as aporias do concerto polifônico, de modo que, dialeticamente, o transcurso analítico desvele a mimese imanente da forma mercadoria como o sentido histórico-tautológico da forma dostoievskiana, sobretudo a partir de Memórias do Subsolo (1864). Na segunda parte (antítese), O conteúdo em Dostoiévski como a cicatrização do espírito rumo à utopia?, procuramos estruturar a filosofia da história que transpassa a obra do escritor russo. Os diálogos dostoievskianos envolvendo socialismo e cristianismo nos fazem correlacionar as discussões estabelecidas nesse sentido em Recordações da Casa dos Mortos (1862), Notas de Inverno sobre Impressões de Verão (1863), Memórias do Subsolo (1864), Crime e Castigo (1866), O Idiota (1869), Os Demônios (1872) e, fundamentalmente, em dois capítulos de Os Irmãos Karamázov (1879): A Revolta e O Grande Inquisidor. Ao fim e ao caboe como um prenúncio de superação (Aufhebung) o conteúdo dostoievskiano da história como o movimento dialético rumo à utopia nos faz colocar em diálogo o conto O sonho de um homem ridículo (1877) com o conceito de cicatrização do espírito, que o filósofo alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel (1770- 1831) desenvolve em sua Filosofia da História (1837).
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.12.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VASSOLER, Flávio Ricardo; ALMEIDA, Jorge Mattos Brito de. Dostoiévski e a dialética: fetichismo da forma, utopia como conteúdo. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-11042016-110905/ >.
    • APA

      Vassoler, F. R., & Almeida, J. M. B. de. (2015). Dostoiévski e a dialética: fetichismo da forma, utopia como conteúdo. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-11042016-110905/
    • NLM

      Vassoler FR, Almeida JMB de. Dostoiévski e a dialética: fetichismo da forma, utopia como conteúdo [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-11042016-110905/
    • Vancouver

      Vassoler FR, Almeida JMB de. Dostoiévski e a dialética: fetichismo da forma, utopia como conteúdo [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-11042016-110905/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021