Exportar registro bibliográfico

Preparação e caracterização de nanosuspensões e hidrogéis de N,O-metoxipoli(etilenoglicol)-g-quitosana para aplicação em sistemas de liberação de fármacos antitumorais (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: FACCHINATTO, WILLIAM MARCONDES - IQSC
  • Unidade: IQSC
  • Subjects: QUITOSANA; BIOPOLÍMEROS
  • Language: Português
  • Abstract: Dados do Instituto Nacional do Câncer revelam 14,1 milhões de casos novos de câncer em 2012 em todo o mundo, e a estimativa para 2014/2015 no Brasil aponta para mais 500 mil novos casos. Assim, pesquisas voltadas à produção de nanopartículas e hidrogéis, constituídos de polímeros naturais ou sintéticos, são importantes para o desenvolvimento de sistemas destinados à liberação controlada de fármacos antitumorais. Nesse sentido, este estudo visou produzir derivados hidrofílicos de quitosanas, N,O-metoxi(polietilenoglicol)-g-quitosana, destinados ao encapsulamento e à liberação de fármacos antitumorais. As características estruturais e físico-químicas dos polímeros foram avaliadas por FTIR, RMN 1H, solubilidade em função do pH, viscosimetria, DRX e TGA. As quitosanas de partida, com diferentes graus médios de desacetilação e massas molares médias viscosimétricas, QD1x ( = 64,0 ± 1,1 % e = 495,6 ± 6,3.103 g mol-1), QD2x ( = 75,8 ± 0,8 % e = 346,8 ± 5,8.103 g mol-1) e QD3x ( = 92,3 ± 0,9 % e = 501,9 ± 5,9.103 g mol-1), produzidas pela aplicação do processo DAIUS à β-quitina, e quitosana comercial, Q ( = 94,7 ± 0,7 % e = 82,9 ± 2,0.103 g mol-1), foram avaliadas quanto aos teores de metais pesados por ICP OES e os resultados comparados aos limites permitidos pela ANVISA e Farmacopeia norte-americana. Teores significativos de metais foram detectados nas quitosanas QD1x, QD2x e QD3x (Ti e Al) e na quitosana comercial (Ni). O emprego de α-metoxipoli(etilenoglicol)-ω-carboxi possibilitou a síntese dos derivados PgQD1x, PgQD2x, PgQD3x e PgQ, que apresentaram graus médios de substituição semelhantes ( ≈ 40%). Os derivados foram hidrossolúveis em amplo intervalo de pH (1 – 11) e apresentaram viscosidades intrínsecas significativamente inferiores quando comparados às quitosanasFoi observado que a estabilidade térmica e a cristalinidade das quitosanas são inferiores às de beta-quitina, enquanto os derivados exibiram maior cristalinidade e são termicamente mais estáveis quando comparados às quitosanas. Em geral, o aumento da razão molar –NH3+/TPP empregada na preparação das nano e microsuspensões de polímero/TPP pelo método de gelificação iônica resultou no aumento da densidade de cargas positivas nas superfícies das partículas. Entretanto, a ocorrência de numerosas cadeias de mPEG nos polímeros N,O-mPEG-g-quitosana levou à predominância das cadeias laterais hidrofílicas nas superfícies das partículas, blindando as cargas positivas, favorecendo a hidratação das partículas e o aumento dos diâmetros hidrodinâmicos médios. A influência das viscosidades intrínsecas dos polímeros e das concentrações poliméricas foi avaliada através do parâmetro de recobrimento (c[η]). Essa avaliação revelou que os diâmetros hidrodinâmicos médios das partículas são diretamente afetados por c[η] nos casos dos sistemas quitosana/TPP, enquanto as viscosidades intrínsecas dos derivados N,O-mPEG-g-quitosana são determinantes nos sistemas N,O-mPEG-g-quitosana/TPP. O estudo do comportamento reológico dos hidrogéis de N,O-mPEG-g-quitosana revelou que G’ > G’’ nos casos de PgQD3x, PgQD1x e PgQ, o que é característico de gel rígido, enquanto que no caso de PgQD2x foi observado G’’ > G’, indicando a predominância do comportamento viscoso sobre o elástico. O ponto de crossover foi observado acima de 38,2 ºC, indicando a formação de hidrogel estruturado termosensível. Assim, pesquisas futuras poderão investigar a influência das características estruturais e físico-químicas destes carreadores poliméricos, visando melhor eficiência de incorporação e liberação in vitro de fármacos antitumorais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.02.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FACCHINATTO, William Marcondes; CAMPANA FILHO, Sérgio Paulo. Preparação e caracterização de nanosuspensões e hidrogéis de N,O-metoxipoli(etilenoglicol)-g-quitosana para aplicação em sistemas de liberação de fármacos antitumorais. 2016.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/75/75134/tde-30032016-140515/publico/WilliamMarcondesFacchinattorevisada.pdf >.
    • APA

      Facchinatto, W. M., & Campana Filho, S. P. (2016). Preparação e caracterização de nanosuspensões e hidrogéis de N,O-metoxipoli(etilenoglicol)-g-quitosana para aplicação em sistemas de liberação de fármacos antitumorais. Universidade de São Paulo, São Carlos. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/75/75134/tde-30032016-140515/publico/WilliamMarcondesFacchinattorevisada.pdf
    • NLM

      Facchinatto WM, Campana Filho SP. Preparação e caracterização de nanosuspensões e hidrogéis de N,O-metoxipoli(etilenoglicol)-g-quitosana para aplicação em sistemas de liberação de fármacos antitumorais [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/75/75134/tde-30032016-140515/publico/WilliamMarcondesFacchinattorevisada.pdf
    • Vancouver

      Facchinatto WM, Campana Filho SP. Preparação e caracterização de nanosuspensões e hidrogéis de N,O-metoxipoli(etilenoglicol)-g-quitosana para aplicação em sistemas de liberação de fármacos antitumorais [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/75/75134/tde-30032016-140515/publico/WilliamMarcondesFacchinattorevisada.pdf


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021