Exportar registro bibliográfico

Da teoria sintética da evolução à síntese estendida: o papel da plasticidade fenotípica (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: SANTOS, CíNTIA GRAZIELA - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 592
  • Subjects: EVOLUÇÃO (HISTÓRIA); GENÉTICA (HISTÓRIA); FENÓTIPOS; EVOLUÇÃO FENOTÍPICA
  • Keywords: Extended synthesis; História da Evolução; History of Evolution; History of Genetics; Modern synthesis; Phenotypic plasticity; Plasticidade fenotípica; Síntese estendida; Síntese moderna
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo desta pesquisa histórica é inicialmente descrever um importante evento (A Síntese moderna) que ocorreu na biologia no período entre guerras. Os biólogos evolutivos chegaram a um acordo sob vários aspectos tais como: o gradualismo do processo evolutivo, o conceito de população e fatores ecológicos, dentre outros. Em segundo lugar, introduzir a chamada Síntese expandida analisando um de seus pressupostos a plasticidade fenotípica e seus antecedentes históricos. Procurará elucidar se algumas ideias relacionadas à plasticidade fenotípica já estavam presentes no início do século XX como alegam alguns autores. Além disso, se essas ideias estavam presentes em trabalhos publicados durante o período da Síntese. Esta tese compreende uma Introdução e seis capítulos. A Introdução apresenta o escopo, metodologia e objetivos da pesquisa. O Capítulo 1 apresenta a Síntese evolutiva e suas relações com a Síntese expandida, introduzindo a plasticidade fenotípica. O Capítulo 2 discute os antecedentes históricos da plasticidade fenotípica. O Capítulo 3 descreve alguns experimentos relacionados à plasticidade fenotípica realizados no início do século XX, focalizando as contribuições de Richard Woltereck. O Capítulo 4 analisa as pesquisas relacionadas ao assunto, desenvolvidas nas décadas de 1940 e 1950 por Ivan I. Schmalhausen e Conrad Waddington. O Capítulo 5 lida principalmente com as pesquisas voltadas à plasticidade fenotípica desenvolvidas na década de 1960 por Anthony D. Bradshaw. O Capítulo 6 esboça um panorama das pesquisas relacionadas ao assunto desenvolvidas após a década de 1960. O Capítulo 7 apresenta algumas considerações sobre o que foi discutido nesta tese. Esta pesquisa leva à conclusão de que algumas ideias que podem ser relacionadas à concepção de plasticidade fenotípica já estavam presentes no final do século XIX. A partir daí, houve mudançasem relação à sua abrangência e terminologia. Concepções relacionadas à plasticidade fenotípica também podem ser encontradas durante o período da Síntese em alguns autores como Schmalhausen, por exemplo. Talvez devido a razões de ordem política elas não foram propagadas. Além disso, é possível que não tenham sido compreendidas completamente pela comunidade científica da época
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.10.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTOS, Cintia Graziela; MARTINS, Lilian Al-Chueyr Pereira. Da teoria sintética da evolução à síntese estendida: o papel da plasticidade fenotípica. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59139/tde-05112015-100804/ >.
    • APA

      Santos, C. G., & Martins, L. A. -C. P. (2015). Da teoria sintética da evolução à síntese estendida: o papel da plasticidade fenotípica. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59139/tde-05112015-100804/
    • NLM

      Santos CG, Martins LA-CP. Da teoria sintética da evolução à síntese estendida: o papel da plasticidade fenotípica [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59139/tde-05112015-100804/
    • Vancouver

      Santos CG, Martins LA-CP. Da teoria sintética da evolução à síntese estendida: o papel da plasticidade fenotípica [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59139/tde-05112015-100804/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020