Exportar registro bibliográfico

Quando a tradução (re)conta a história: análise textual e tradução comentada de interrogatórios da 'Rosa Branca' (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: SCHÄFER, ANNA CAROLINA - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLM
  • Subjects: TRADUÇÃO (ESTUDO); LINGUÍSTICA TEXTUAL; RESISTÊNCIA; NAZISMO; REPRESSÃO
  • Keywords: Estudos funcionais da tradução; Functional translation studies
  • Language: Português
  • Abstract: O presente trabalho tem por objetivo produzir uma tradução comentada, do alemão para o português, de uma seleção de documentos emblemáticos da resistência alemã ao Nacional-Socialismo. O corpus constitui-se especificamente de registros escritos dos interrogatórios (em alemão: Verhörprotokolle, "protocolos de interrogatório") conduzidos em fevereiro de 1943 pela Polícia Secreta Nazista com os irmãos Hans e Sophie Scholl. Ambos eram integrantes do grupo A Rosa Branca, formado sobretudo por estudantes da Universidade de Munique que se opuseram ao regime nacional-socialista através da produção e distribuição de panfletos, nos quais lançavam críticas incisivas ao regime e à postura apática da população alemã perante os crimes cometidos pelo Estado. Tendo em vista o objetivo geral do trabalho e a conjuntura histórica em que se insere o corpus, partiu-se na análise e tradução dos protocolos de uma base teórica interdisciplinar, pautada tanto em elementos da pesquisa historiográfica quanto em pressupostos dos Estudos Funcionais da Tradução sobretudo no modelo de análise textual e tradução de Christiane Nord (1988, 2009) , da Linguística Textual e da Análise do Discurso. Para a tradução comentada dos protocolos, produto final deste trabalho, previu-se desde o início uma função documental, a qual justifica diversas microdecisões tomadas ao longo do processo tradutório. Elas vão desde a opção por reproduzir a formatação original dos textos de partida em alemão até a busca porreconstituir seu pano de fundo histórico por meio de comentários e imagens, inseridos propositalmente na margem direita e não no rodapé ou no fim da tradução. Espera-se, assim, que os textos traduzidos possam ser consultados, lidos e analisados como documentos e testemunhos sobre a resistência alemã ao Nacional-Socialismo, tema ainda pouco divulgado e estudado no Brasil.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.08.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SCHÄFER, Anna Carolina; REICHMANN, Tinka. Quando a tradução (re)conta a história: análise textual e tradução comentada de interrogatórios da 'Rosa Branca'. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8144/tde-23112015-133329/ >.
    • APA

      Schäfer, A. C., & Reichmann, T. (2015). Quando a tradução (re)conta a história: análise textual e tradução comentada de interrogatórios da 'Rosa Branca'. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8144/tde-23112015-133329/
    • NLM

      Schäfer AC, Reichmann T. Quando a tradução (re)conta a história: análise textual e tradução comentada de interrogatórios da 'Rosa Branca' [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8144/tde-23112015-133329/
    • Vancouver

      Schäfer AC, Reichmann T. Quando a tradução (re)conta a história: análise textual e tradução comentada de interrogatórios da 'Rosa Branca' [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8144/tde-23112015-133329/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021