Exportar registro bibliográfico

A autoridade na família democrática: crianças, "sujeitos políticos"? (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: CEZáRIO, VANESSA CARDOSO - FE
  • Unidade: FE
  • Subjects: FAMÍLIA; AUTORIDADE; EDUCAÇÃO; POLÍTICA; CONTEMPORANEIDADE; PSICANÁLISE
  • Keywords: authority; autoridade; contemporaneidade; contemporaneity; democracia; democracy; educação; education; família; family; psicanálise; psychoanalysis
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho trata das transformações que permitiram a família assumir uma configuração democrática e as consequências para a autoridade dos pais com os filhos. O conceito de social arendtiano define, em vários níveis, os fundamentos dessas mudanças, assim como a época que chamamos de contemporaneidade para fazer referência, principalmente, à segunda metade do século XX. Essa família, mais privada na conjugalidade e mais pública na parentalidade, embora de certa forma desvinculada das instituições que antes a definia, pretende funcionar como uma pequena democracia e a autoridade dos pais não é mais um aspecto evidente da educação. A partir desse contexto lançamos as seguintes questões: Quais podem ser as consequências para a educação quando um conceito do âmbito político e público é transportado para o privado? O que muda no laço de filiação quando a autoridade é preterida em favor de uma suposta igualdade ou democracia? As crianças podem sustentar uma posição política, ainda que no privado? A nossa hipótese é que a ideia de igualdade, presente sob várias formas entre os adultos, estendeu-se para as relações de filiação, e, em seu viés mais radical, desconsiderou a especificidade da educação causando dificuldades nessa área. Nosso objetivo foi verificar como as transformações das esferas pública e privada interferiram na dinâmica familiar, caracterizar a família democrática e demonstrar que a autoridade não tem somente o viés negativo que se quer combater na educação atual.Concluímos que, embora atualmente as crianças sejam sujeitos de direitos e a família funcione como uma pequena democracia, elas não são sujeitos políticos. Em sua perspectiva infantil, as crianças não têm condições de sustentar a ação e o discurso em seu nome como membro da polis. Diante delas, ainda é preciso que o adulto tenha a posição de autoridade que não cabe à política
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.11.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CEZÁRIO, Vanessa Cardoso; VOLTOLINI, Rinaldo. A autoridade na família democrática: crianças, "sujeitos políticos"?. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-18122015-093137/ >.
    • APA

      Cezário, V. C., & Voltolini, R. (2015). A autoridade na família democrática: crianças, "sujeitos políticos"?. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-18122015-093137/
    • NLM

      Cezário VC, Voltolini R. A autoridade na família democrática: crianças, "sujeitos políticos"? [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-18122015-093137/
    • Vancouver

      Cezário VC, Voltolini R. A autoridade na família democrática: crianças, "sujeitos políticos"? [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-18122015-093137/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021