Exportar registro bibliográfico

O contexto de marxismo e filosofia da linguagem: as identidades linguísticas e sua relação com o conceito de “forma interna” (2015)

  • Autor:
  • Autor USP: GRILLO, SHEILA VIEIRA DE CAMARGO - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Assunto: FILOSOFIA DA LINGUAGEM
  • Language: Português
  • Abstract: A primeira tradução brasileira do livro Marxismo e filosofia da linguagem. Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem foi realizada em 1979 a partir do francês com consultas à tradução americana e está em sua 12a. edição. Apesar de ser provavelmente a mais conhecida e citada do Círculo de Bakhtin entre linguistas brasileiros, essa obra permanece vertida do francês, fato que motivou a decisão de traduzir esse texto, em parceria com Ekaterina Vólkova Américo, diretamente da primeira edição russa de 1929 (V. N. Volóchinov. Markcizm i filossófiia iazyka. Osnóvnye probliémy sotsiologuítcheskogo miétoda v naúke о iazyké. Leningrad: Priboi, 1929). Assim como já fizemos na tradução de O método formal nos estudos literários (Contexto, 2012) e Questões de estilística nas aulas de língua (ED34, 2013), a tradução de MFL será acompanhada de um prefácio cujo princípio norteador é a recuperação e a compreensão do contexto intelectual de produção da obra MPL com vistas a possibilitar o acesso a novas camadas de sentido para o leitor brasileiro Nesta comunicação, focalizaremos uma parte do contexto intelectual compreendido pela influência do conceito de “forma interna da palavra” (Wilhelm Humboldt, 1767-1835). Esse conceito foi introduzido na Rússia por Aleksándr Afanácievitch Potiebniá (1835-1891) em sua obra clássica “Pensamento e linguagem”(“Mysl i iazyk”, 1892) e retomado por Gustav Gustavovitch Chpet (1879-1937) nos livros “A forma interna da palavra: estudos e variações nos temas de Humboldt (“Vnútrenniaia forma Slova: etiudy i variatsii na tiemy Gúmbolta”, 1926) e “Introdução à psicologia étnica” (“Vvedénie etnítechskuiu psikhológuiiu”, 1927).Citadas literalmente no livro assinado por Volóchinov, essas obras são identificadas ao psicologismo individualista e seus autores postulam que as identidades das diversas línguas naturais podem ser explicadas pelo conceito de “forma interna da palavra”, espécie de princípio que orienta cada língua na transformação dos sons acústicos em meios de expressão do sentido. Com base na leitura dos originais russos e de análises contemporâneas dessa obra (Tihanov, G. (Ed.) Gustv Shpet`s contribution to philosophy an cultural theory, 2009), procuraremos evidenciar o diálogo polêmico entre o método sociológico proposto por Bakhtin /Medviédev / Volóchinov e a filosofia da linguagem de Humboldt, Potiebniá e Chpet.
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference titles: Simpósio Mundial de Estudos de Língua Portuguesa

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GRILLO, Sheila Vieira de Camargo. O contexto de marxismo e filosofia da linguagem: as identidades linguísticas e sua relação com o conceito de “forma interna”. Anais.. Lecce: Università del Salento, 2015.
    • APA

      Grillo, S. V. de C. (2015). O contexto de marxismo e filosofia da linguagem: as identidades linguísticas e sua relação com o conceito de “forma interna”. In Caderno de Resumos. Lecce: Università del Salento.
    • NLM

      Grillo SV de C. O contexto de marxismo e filosofia da linguagem: as identidades linguísticas e sua relação com o conceito de “forma interna”. Caderno de Resumos. 2015 ;
    • Vancouver

      Grillo SV de C. O contexto de marxismo e filosofia da linguagem: as identidades linguísticas e sua relação com o conceito de “forma interna”. Caderno de Resumos. 2015 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021