Exportar registro bibliográfico

Estudo do papel do gene SLC26A4 na surdez neurossensorial não-sindrômica pré-lingual em uma série de casos no sudeste brasileiro (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: CARVALHO, SIMONE DA COSTA E SILVA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGE
  • Subjects: SURDEZ; GENÉTICA MÉDICA; DIAGNÓSTICO
  • Keywords: Diagnóstico molecular; GJB2; Hereditary hearing loss; Molecular diagnosis; SLC26A4; Surdez hereditária
  • Language: Português
  • Abstract: A audição representa a principal fonte para o aprendizado da fala e linguagem durante a infância e a surdez e a privação de estímulos auditivos pode implicar em dificuldades emocionais e sociais àqueles indivíduos afetados. Aproximadamente 360 milhões de pessoas sofrem de perda auditiva no mundo, o que corresponde a 5,3% da população mundial. A surdez pode se desenvolver em decorrência de causas genéticas (hereditárias), não-genéticas e ambientais. As infecções pré-natais e a exposição a ruídos constituem as causas ambientais mais comuns. Já a surdez hereditária, constitui o transtorno neurossensorial mais comum em humanos, com uma prevalência de 1:1000 nascidos vivos. Mais de 70% dos casos de surdez hereditária constituem casos não-sindrômicos, destes cerca de 70% cursam com surdez congênita ou pré-lingual. Na maioria dos casos, a perda auditiva hereditária é neurossensorial, heterogênea, com diferentes padrões de herança e com uma grande quantidade de genes envolvidos. Estudos têm demonstrado o importante papel dos genes GJB2, GJB6 e SLC26A4 na fisiologia do ouvido interno e alterações nestes genes têm sido relatadas como causa da surdez hereditária. Desta forma, o objetivo deste estudo foi investigar a base genética e o papel do gene SLC26A4 na perda auditiva neurossensorial (PANS) nãosindrômica pré-lingual em pacientes atendidos pelo serviço de Genética Médica do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. Para isso, uma série de 88 casos foi investigada quanto a características clínicas e moleculares. A amostra abrangeu indivíduos de ambos os sexos, com idade de 2 a 63 anos, provenientes de 88 famílias diferentes, assistidos durante o período de 2003 a 2013. As amostras foram triadas pela técnica de High Resolution Melting (HRM) e em seguida levadas para o seqüenciamento para caracterização das alterações. Na série de casos estudada, 23,9% (21/88) dos pacientesportadores de surdez neurossensorial não-sindrômica pré-lingual evidenciaram alterações nos genes GJB2, GJB6 e SLC26A4 sugeridas como patogênicas. A prevalência de alterações no gene SLC26A4 foi de 28,4% (25/88), não relacionada à Síndrome do Aqueduto Vestibular Alargado (SAVA). Dentre as 11 alterações encontradas neste gene, três constituem mutações não descritas: p.Gly139Arg, p.Ile254Val, p.Asn382Lys. Os genótipos mais freqüentes neste estudo foram a c.35delG/c.35delG no gene GJB2 (5/88), a dupla heterozigose com o gene GJB6 c.35delG/del(GJB6-D13S1854) (3,4%) e chr7:g.107301238C>G/wt no gene SLC26A4 (10,2%). Entretanto, apenas 19,3% dos indivíduos apresentaram genótipos sugeridos como responsáveis pelo fenótipo estudado. Alterações particulares no gene SLC26A4 podem sugerir a explicação para a surdez genética para aproximadamente 9,1% destes casos. Destes, cinco casos de heterozigose preditas como patogênicas (p.Ile300Leu; p.Asn324Tyr e p.Asn382Lys), dois casos de heterozigose composta (chr7:g.107301201T>C/chr7:g.107301238C>G e chr7:g.107301238C>G/p.Gly139Arg) e um caso de dupla heterozigose com GJB2 (chr7:g.107301238C>G/c.35delG). Isto ressalta a importância do gene SLC26A4 para o diagnóstico molecular de surdez hereditária e reforça a sua potencial contribuição para o processo de aconselhamento genético. Entretanto, nossos dados sugerem a necessidade de testes funcionais a fim de elucidar o papel destas alterações para o estabelecimento do fenótipo, como também, a presença de outros genes ou regiões envolvidas naqueles casos em que mutações monoalélicas não foram suficientes para justificar o fenótipo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.05.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CARVALHO, Simone da Costa e Silva; FERRAZ, Victor Evangelista de Faria. Estudo do papel do gene SLC26A4 na surdez neurossensorial não-sindrômica pré-lingual em uma série de casos no sudeste brasileiro. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17135/tde-28072015-121136/ >.
    • APA

      Carvalho, S. da C. e S., & Ferraz, V. E. de F. (2015). Estudo do papel do gene SLC26A4 na surdez neurossensorial não-sindrômica pré-lingual em uma série de casos no sudeste brasileiro. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17135/tde-28072015-121136/
    • NLM

      Carvalho S da C e S, Ferraz VE de F. Estudo do papel do gene SLC26A4 na surdez neurossensorial não-sindrômica pré-lingual em uma série de casos no sudeste brasileiro [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17135/tde-28072015-121136/
    • Vancouver

      Carvalho S da C e S, Ferraz VE de F. Estudo do papel do gene SLC26A4 na surdez neurossensorial não-sindrômica pré-lingual em uma série de casos no sudeste brasileiro [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17135/tde-28072015-121136/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021