Exportar registro bibliográfico

O sistema de secreção Dot/Icm favorece a virulência de Legionella longbeachae em modelo murino da doença dos legionários (2015)

  • Authors:
  • Autor USP: ASSIS, MARIANA APRIGIO - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBP
  • Subjects: LEGIONELLA; PROTEÍNAS; SECREÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: Bactérias do gênero Legionella spp. são agentes patogênicos que causam uma pneumonia severa, que pode ser fatal em pessoas imunocomprometidas, chamada doença dos Legionários ou legionelose. Essa doença ocorre no mundo todo acometendo de 2 a 7% das pessoas infectadas com uma taxa de mortalidade entre 5 a 30%, sendo considerada uma importante causa de morbidade e mortalidade mundial. Além de Legionella pneumophila, outra espécie do gênero, chamada Legionella longbeachae, é responsável por grande parte dos casos, sendo motivador por cerca de 30-50% das infecções por Legionella em países do hemisfério sul. Diferente de outras espécies do genêro, L. longbeachae habita o solo e é transmitida por inalação de aerossóis contaminadas provenientes do solo. L. longbeachae se mostrou altamente virulenta e letal para várias linhagens de camundongos, uma característica que não é observada para outras espécies de Legionella, incluindo L. pneumophila. Dessa forma, L. longbeachae se tornou um modelo de estudo que mimetiza melhor a doença dos Legionários em humanos. Patógenos bacterianos, incluindo L. pneumophila, são conhecidos por apresentarem estratégias para subverter a biologia normal das células hospedeiras criando um nicho intracelular que suporta a replicação bacteriana através do sistema de secreção Dot/Icm. Tanto L. pneumophila, quanto L. longbeachae apresentam um sistema de secreção do tipo IV (T4SS), chamado Dot/Icm, que é muito semelhante entre eles. Em L. pneumophila esse sistema é fundamental para sobrevivência intracelular, patogênese e estabelecimento da doença. Apesar da similaridade do sistema de secreção Dot/Icm de L. pneumophila e L. longbeachae, até o momento, não há informações detalhadas sobre o papel de Dot/Icm na virulência e patogênese de L. longbeachae. Nesse trabalho, utilizamos uma bactéria selvagem e um mutante de L. longbeachae no gene dotA (que éessencial para as funções do sistema Dot/Icm), para explorar e determinar a importância do T4SS na virulência de L. longbeachae em camundongos. Verificou-se que o sistema de secreção Dot/Icm é importante para a virulência de L. longbeachae em modelo murino de infecção uma vez que a bactéria selvagem é letal em baixas doses, enquanto os mutantes dotA- não causam patogênese, falham em se replicar in vivo e não são letais aos camundongos infectados. Verificamos que de maneira dependente de Dot/Icm, ocorre a multiplicação e disseminação das bactérias para o pulmão, baço e fígado dos animais. Finalmente, utilizamos uma bactéria L. longbeachae resistente à estreptomicina DZ420 para podermos manipular geneticamente e realizar experimentos in vitro e in vivo. Observamos que DZ420 é capaz de multiplicar intracelularmente em macrófagos murinos primários derivados da medula óssea de camundongos e que é possível manipular geneticamente essas bactérias. Vale ressaltar que nossos estudos indicam que foi possível manipular geneticamente DZ420 conforme demonstrado pela expressão de vetor codificando GFP. Coletivamente, nossos dados sugerem que Dot/Icm é importante para virulência de L. longbeachae e conforme demonstrado em L. pneumophila, é possível manipular geneticamente L. longbeachae
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.01.2015

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ASSIS, Mariana Aprigio; ZAMBONI, Dario Simões. O sistema de secreção Dot/Icm favorece a virulência de Legionella longbeachae em modelo murino da doença dos legionários. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.
    • APA

      Assis, M. A., & Zamboni, D. S. (2015). O sistema de secreção Dot/Icm favorece a virulência de Legionella longbeachae em modelo murino da doença dos legionários. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Assis MA, Zamboni DS. O sistema de secreção Dot/Icm favorece a virulência de Legionella longbeachae em modelo murino da doença dos legionários. 2015 ;
    • Vancouver

      Assis MA, Zamboni DS. O sistema de secreção Dot/Icm favorece a virulência de Legionella longbeachae em modelo murino da doença dos legionários. 2015 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021