Exportar registro bibliográfico

Obtenção anaeróbia de etanol em reator em batelada a partir de glicose, xilose e celulose em condição termófila (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SILVA, VANESSA CRISTINA DA - EESC
  • Unidades: EESC
  • Sigla do Departamento: SHS
  • Subjects: BIOMASSA; DIGESTÃO ANAERÓBIA; ETANOL; POLÍMEROS (QUÍMICA ORGÂNICA); BIOCOMBUSTÍVEIS
  • Language: Português
  • Abstract: A biomassa lignocelulósica é uma alternativa atrativa para o aumento na oferta de biocombustíveis, uma vez que é constituída de celulose e hemicelulose. Esses polímeros são constituídos principalmente de unidades menores de glicose e xilose, os quais por meio de bactérias anaeróbias termófilas, podem ser metabolizados em etanol. Portanto, estabeleceu-se o objetivo desse trabalho, em utilizar as principais fontes de carbono da biomassa lignocelulósica (celulose, glicose e xilose), e produzir etanol por meio da ação de consórcio microbiano selecionado a partir de inóculo termófilo e anaeróbio. O inóculo foi submetido a condição de crescimento com variação de pH (2,3,4,5,6,e 7) e variação de dois meios de cultivo ~m reatores M em batelada, visando favorecer bactérias celuloliticas e fermentativas produtoras de etanol. Para a produção de etanol, o pH e meio de cultivo mais adequados foram 7,0 e Meio Thermoanaerobacter ethanolicus, respectivamente. A partir do inóculo enriquecido nas condições nutricionais de pH e meio de cultivo, prosseguiu-se a realização dos ensaios de produção de etanol a partir de celulose, glicose e xilose (1g/L de cada substrato), em pH 7 e meio T ethanolicus. Os ensaios foram realizados em reator em batelada, em triplicata, a 55°C, ambos seguidos de um reator controle, sem adição desses substratos orgânicos. Os rendimentos de etanol foram de 1,73 mol etanol/mol glicose e 1,33 mol de etanol /mol de xilose. Para o substrato celulose obteve-se 1,88 mmol de etanol/g de celulose. Para os reatores controle de glicose, celulose e xilose, no qual o extrato de levedura foi a única fonte orgânica adicionada, a produção de etanol foi 1,27 mmol/L, 0,39 mmol/L e 1,65 mmol/L, respectivamente. Em todos os reatores foi detectado produção de ácido acético, ácido butírico e ácido propiônico. A produção de ácido acético foi de 5,73 mmol/L, 9,73 mmol/L e 14,45 mmol/L, para os reatores de glicose,celulose e xilose, respectivamente. No reator com glicose, observou-se baixo rendimento de hidrogênio (0,31 mol hidrogênio/mol glicose), e nos demais reatores não foi constatado produção desse gás. Em contrapartida, observou-se rendimentos de 6,6 mmol de metano/g de celulose e 0,68 mol de metano/mol de xilose para os respectivos reatores. Dessa forma, pode-se mencionar que em função das características do consórcio microbiano foi possível obter a degradação da celulose e metabolização da glicose e xilose em etanol
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.04.2015

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Vanessa Cristina da; VARESCHE, Maria Bernadete Amancio. Obtenção anaeróbia de etanol em reator em batelada a partir de glicose, xilose e celulose em condição termófila. 2015.Universidade de São Paulo, São Carlos, SP, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18138/tde-14082015-142835/pt-br.php >.
    • APA

      Silva, V. C. da, & Varesche, M. B. A. (2015). Obtenção anaeróbia de etanol em reator em batelada a partir de glicose, xilose e celulose em condição termófila. Universidade de São Paulo, São Carlos, SP. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18138/tde-14082015-142835/pt-br.php
    • NLM

      Silva VC da, Varesche MBA. Obtenção anaeróbia de etanol em reator em batelada a partir de glicose, xilose e celulose em condição termófila [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18138/tde-14082015-142835/pt-br.php
    • Vancouver

      Silva VC da, Varesche MBA. Obtenção anaeróbia de etanol em reator em batelada a partir de glicose, xilose e celulose em condição termófila [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18138/tde-14082015-142835/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020