Exportar registro bibliográfico

Estudo mutacional em pacientes com o complexo da esclerose tuberosa (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: ALMEIDA, LUIZ GUSTAVO DUFNER DE - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIO
  • Subjects: DOENÇAS GENÉTICAS; MUTAÇÃO GENÉTICA; GENES SUPRESSORES DE TUMOR; ACONSELHAMENTO GENÉTICO
  • Keywords: Complexo da esclerose tuberosa; Frameshift mutation; Gene supressor tumoral; Gene TSC1; Mutação frameshift; Mutação nonsense; Nonsense mutation; TSC1 gene; Tuberous sclerosis complex; Tumor suppressor gene
  • Language: Português
  • Abstract: O complexo da esclerose tuberosa (TSC) é um transtorno genético, sistêmico, com expressividade variável e herança autossômica dominante. Clinicamente manifesta-se devido ao desenvolvimento de hamartomas e hamártias em diferentes tecidos, principalmente no cérebro, rins, coração, pele e pulmões, podendo causar disfunção do órgão. Mutação em um de dois genes supressores tumorais, TSC1 ou TSC2, são responsáveis pelo TSC. Os genes TSC1 e TSC2 codificam para hamartina e tuberina, respectivamente. Ambas as proteínas interagem fisicamente formando um complexo citosólico que inibe mTOR (mammalian target of rapamycin). Testes moleculares para TSC1 e TSC2 são úteis para auxiliar no diagnóstico de casos clínicos difíceis, em aconselhamento genético e estudos de associação genótipo-fenotípica, além de permitirem a caracterização molecular de mecanismos patogenéticos da formação dos hamartomas e análises funcionais de seus produtos gênicos. Apesar de o diagnóstico de TSC ser basicamente clínico, a partir da revisão de seus critérios em 2012 por um grupo de especialistas, o achado de uma mutação em TSC1 ou TSC2 passou a ser considerado suficiente para o diagnóstico definitivo da doença. O estudo apresentado aqui é parte de um projeto em andamento para estabelecer condições ao desenvolvimento de análise de mutações causadoras de TSC nos genes TSC1 e TSC2. Nosso objetivo neste trabalho foi avaliar por sequenciamento de Sanger o DNA genômico de 28 pacientes brasileiros com diagnósticodefinitivo de TSC, procedentes dos estados de São Paulo ou Paraná, tendo como alvo a sequência codificadora do gene TSC1, parte de seus segmentos intrônicos, o promotor basal, bem como o segmento imediatamente a 5' deste. Sete pacientes (25%) apresentaram mutações de sentido trocado (nonsense) ou com deslocamento da leitura à tradução (frameshift) no gene TSC1. Entre 31 outras variantes de DNA encontradas, 23 são polimorfismos conhecidos e oito apresentaram frequência inferior a 1%, como verificado in silico entre mais de mil sequências de genomas humanos. Entre essas oito variantes de DNA novas ou raras, quatro foram detectadas em pacientes para os quais uma mutação patogênica havia sido identificada e, por isso, foram reclassificadas como polimorfismos. Duas e uma variantes de DNA do mesmo paciente flanqueavam um sítio de ligação em potencial para um fator de transcrição específico, a 5' do promotor basal de TSC1. Por fim, uma nova variante de DNA na região não codificadora do éxon 2 do gene TSC1 foi predita com potencial para alterar um elemento candidato a acentuador de splicing. Em resumo, como observado em estudos anteriores, descrevemos aqui 25% dos pacientes com TSC apresentando mutações patogênicas na sequência codificadora do gene TSC1. Nossos dados mostraram quatro novas variantes de DNA em regiões potencialmente reguladoras da expressão do gene TSC1, que podem revelar-se como mutações patogênicas e, portanto, necessitam ser testadas experimentalmente
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.08.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ALMEIDA, Luiz Gustavo Dufner de; HADDAD, Luciana Amaral. Estudo mutacional em pacientes com o complexo da esclerose tuberosa. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-09122014-085619/ >.
    • APA

      Almeida, L. G. D. de, & Haddad, L. A. (2014). Estudo mutacional em pacientes com o complexo da esclerose tuberosa. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-09122014-085619/
    • NLM

      Almeida LGD de, Haddad LA. Estudo mutacional em pacientes com o complexo da esclerose tuberosa [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-09122014-085619/
    • Vancouver

      Almeida LGD de, Haddad LA. Estudo mutacional em pacientes com o complexo da esclerose tuberosa [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-09122014-085619/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021