Exportar registro bibliográfico

Simulação realística no ensino de emergências pediátricas na graduação (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: COUTO, THOMAZ BITTENCOURT - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MPE
  • Subjects: SIMULAÇÃO (APRENDIZAGEM); EDUCAÇÃO MÉDICA; MEDICINA DE EMERGÊNCIA; PEDIATRIA; ENSINO SUPERIOR; MEDICINA; MODELOS DE APRENDIZAGEM (EDUCAÇÃO)
  • Keywords: Active learning; Aprendizado ativo; Comparative study; Educação de graduação em medicina; Educação médica; Education medical; Education medical undergraduate; Emergency medicine, Models educational; Estudo comparativo; Medicina de emergência; Modelos educacionais; Pediatria; Pediatrics; Simulação; Simulation
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: Simulação e discussão de caso são métodos de ensino efetivos com alta satisfação dos alunos. Nossa hipótese foi que o mesmo caso apresentado com ambos métodos traria ganho de conhecimento imediato similar em pós-teste, porém maior retenção de conhecimento em teste de retenção e maior satisfação com método de ensino com uso de simulação. M >>TODOS: Estudo prospectivo, não randomizado e controlado, usando um desenho cruzado para método de ensino, testes com questões de múltipla escolha e uma pesquisa de satisfação. Alunos de medicina do último ano fizeram o pré-teste e foram alocados em dois grupos. Grupo Enfermaria participou em simulação de anafilaxia (SIM-ANA) e discussão de caso de taquicardia supraventricular (DC-TSV). Grupo PS fez o oposto (SIM-TSV e DCANA). Alunos foram testados para cada tema no fim do seu estágio (pós-teste) e 4 a 6 meses após (teste de retenção). RESULTADOS: A maioria dos alunos (108- 66,3%) completaram todos testes. Nota média para anafilaxia do préteste foi 43,6% SIM-ANA e 46,6% DC-ANA; pós-teste 63,5% SIM-ANA e 67,8% CD-ANA e teste de retenção 61,5% SIM-ANA e 65,5% DC-ANA. Nota média do pré-teste para taquicardia supraventricular foi 33,9% SIM-TSV e 31,6% DCTSV; pós-teste 42,5% SIM-TSV e 47,7% DC-TSV e teste de retenção 41,5% SIM-TSV e 39,5% DC-TSV. Houve melhora significante entre pré e pós-testes (p < 0,05) e não houve diferença entre pós-teste e teste de retenção (p > 0,05) para ambos os temas. Não houve diferença estatisticamentesignificante entre simulação e discussão de caso para qualquer teste (todos com p > 0,05). Pesquisa de satisfação favoreceu simulação comparado com discussão de caso em seis das oito afirmativas pesquisadas (p < 0,001). CONCLUSÃO: Como intervenção única, simulação não apresenta diferença significante em relação a discussão de caso para aquisição e retenção de conhecimento. A maior satisfação dos alunos com método de ensino mostra um benefício mensurável da simulação em comparação com a discussão de caso
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.10.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      COUTO, Thomaz Bittencourt; SCHVARTSMAN, Claudio. Simulação realística no ensino de emergências pediátricas na graduação. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5141/tde-09012015-162708/ >.
    • APA

      Couto, T. B., & Schvartsman, C. (2014). Simulação realística no ensino de emergências pediátricas na graduação. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5141/tde-09012015-162708/
    • NLM

      Couto TB, Schvartsman C. Simulação realística no ensino de emergências pediátricas na graduação [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5141/tde-09012015-162708/
    • Vancouver

      Couto TB, Schvartsman C. Simulação realística no ensino de emergências pediátricas na graduação [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5141/tde-09012015-162708/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021