Exportar registro bibliográfico

Psicologia (2013)

  • Autor:
  • Autor USP: MENCONI, MARLENE APARECIDA - HRAC
  • Unidade: HRAC
  • Subjects: PSICOLOGIA; ANORMALIDADES CRANIOFACIAIS; DEFICIÊNCIA AUDITIVA; FISSURA LÁBIOPALATINA
  • Language: Português
  • Abstract: O atendimento às pessoas com anomalias craniofaciais começou em 1967 e, em 1987 atendimentos a deficiência auditiva, desde então, o numero vem crescendo. Hoje o Hospital conta com mais de 60.000 pacientes matriculados. Durante a reabilitação os pacientes passam por avaliações e cirurgias do nascimento até o fim da adolescência. O Setor de Psicologia do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da Universidade de São Paulo (HRAC/USP), tem como objetivo uma assistência psicológica preventiva e terapêutica aos pacientes matriculados e famílias, visando seu desenvolvimento psicossocial e em conformidade com o contexto hospitalar, minimizando os sofrimentos causados pela hospitalização. A rotina do Setor é organizada em Rotina Ambulatorial e Internação. Em todos os processos, cabe aos profissionais da Psicologia lidarem com as conseqüências das malformações, uma vez que gera complicações e situações constrangedoras, refletindo no desenvolvimento do indivíduo, na sua participação no mercado de trabalho, na inserção social, na dinâmica familiar, ou seja, sempre que as relações interpessoais estiverem presentes. Deste modo, é relevante o papel do psicólogo na rotina, atuando junto ao paciente e sua família e orientando os demais membros da equipe. Compreende os atendimentos da Rotina de Ambulatório de anomalias craniofaciais: 1. Atendimento a pacientes na rotina de Caso Novo: tem por objetivo atender aos pais e pacientes que chegam pela primeira vez ao hospital, encaminhados pela Equipe Diagnóstica 2. Consulta ambulatorial: tem o objetivo de detectar e atuar em aspectos emocionais do paciente e de suas famílias, que estejam interferindo no ajustamento psicossocial e no tratamento reabilitador. 3. Avaliação psicológica à pacientes indicados para fonoterapia intensiva: esta avaliação é realizada por solicitação do setor de Fonoaudiologia, (Continua)(Continuação) busca verificar junto ao paciente e ou acompanhante a percepção da problemática da fala; motivação para o tratamento, limitações e disponibilidades, tipos de apoio oferecido pelo acompanhante e levantamento de interesses pessoais. 4. Preparo psicológico para a nasofaringoscopia: é realizado regularmente em crianças de cinco a 12 anos de idade ou por solicitação do setor de Fonoaudiologia. Sua meta, é um preparo psicológico para exames evasivos, buscando a conscientização da realização e importância do exame com enfoque apropriado, dentro da perspectiva do desenvolvimento; adequação ao nível cognitivo; consideração de experiências similares anteriores; avaliação de padrões de comportamentos cooperativos; identificação de fantasias, temores, ansiedade e resistências. Neste preparo é utilizado sistema de fichas, psicologia comportamental, que indica o sucesso na realização do exame e que após o ganho do mesmo poderá trocar com reforços primários e secundários, além de reforço feito pelo profissional que realizou o exame e o preparo. 5. Preparo psicológico para a internação e cirurgia: os pacientes em rotina de pré-internação são atendidos pela equipe independente da idade, enquanto realizam os exames clínicos e consultas com os profissionais da equipe. Visa o enfrentamento da situação; minimização da sintomatologia psicológica; adaptação à internação e cooperação no pós-operatório. 6. Atuação Psicológica na Comissão de Avaliação de pacientes de alto risco: Realiza avaliação dos aspectos cognitivos, emocionais e comportamentais do paciente, contribuindo para análise da presença ou não dos benefícios cirúrgicos quanto ao aspecto bio-psico-social e para o estabelecimento de condutas. 7. Atuação Psicológica na Equipe Craniofacial: consultas ambulatoriais com a Equipe Craniofacial acontecem uma vez ao (Continua)(Continuação) mês, com todos os profissionais que a compõe a Equipe. Neste momento são realizadas observações e se necessário, intervenção e discussão com Equipe. Realiza-se avaliação dos aspectos emocionais, comportamentais, expectativas, concordância e adesão ao tratamento 8. Projeto Jovem Doutor: Visa à avaliação e seleção de pacientes, preferencialmente filhos de pais coordenadores, inicialmente do estado de São Paulo, para atuarem nas escolas como agentes de informação sobre anomalias craniofaciais e deficiência auditiva, bem como, as formas de acesso ao atendimento. Além disso, há o objetivo de que, jovens com um bom conhecimento em algum assunto específico possam ajudar uma comunidade. O programa é uma atividade multiprofissional, em parceria com o Dr. Chao Lung Wen, professor e chefe da disciplina de Telemedicina da Faculdade de Medicina da USP e presidente do Conselho Brasileiro de Telemedicina e Telessaúde. Este programa utiliza recursos de Telemedicina, educação à distância e do Projeto Homem Virtual, com o objetivo de incentivar os estudantes dos ensinos médio e superior a realizarem trabalhos que promovam a saúde e melhorem a qualidade de vida das comunidades. Assim como, os atendimentos de Rotina de Internação, compreendem atender a pacientes do pré-anestésico, pós-operatório, UTI, UCE, berçário, leitos especiais, feminino e masculino e o Serviço de Educação e Recreação, proporcionando-lhes acolhimento e apoio emocional, a pacientes e acompanhantes, dissipar tensões, dúvidas e ansiedades relativas à rotina hospitalar, facilitar as relações do paciente com a equipe, estimular e encorajar a adesão e colaboração com o tratamento. O Setor fornece encaminhamentos psicológicos (internos e externos) para os pacientes e pais, diante das necessidades apresentadas. Oferece também carta de orientação à escola, na tentativa de (Continua)(Continuação) abordar as dificuldades de aprendizagem, trabalhar ou prevenir o estigma relacionado à estética, fala prejudicada, trazendo como conseqüência o prejuízo de seu próprio desenvolvimento acadêmico e emocional
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference titles: Curso de Anomalias Congênitas Labiopalatinas

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MENCONI, Marlene Aparecida. Psicologia. Anais.. Bauru: Universidade de São Paulo, Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, 2013.
    • APA

      Menconi, M. A. (2013). Psicologia. In Anais. Bauru: Universidade de São Paulo, Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais.
    • NLM

      Menconi MA. Psicologia. Anais. 2013 ;
    • Vancouver

      Menconi MA. Psicologia. Anais. 2013 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020