Exportar registro bibliográfico

Avaliação perioperatória em cães idosos submetidos à anestesia geral inalatória: determinação das complicações trans e pós-operatórias (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: CARVALHO, HALEY SILVA DE - FMVZ
  • Unidade: FMVZ
  • Sigla do Departamento: VCI
  • Subjects: ANESTESIA (VETERINÁRIA); ANESTESIOLOGIA VETERINÁRIA; CUIDADOS PÓS-OPERATÓRIOS EM ANIMAIS; CUIDADOS PRÉ-OPERATÓRIOS EM ANIMAIS
  • Keywords: Anestesia por inalação; Cães; Complicações pós-operatória; Dogs; Geriatria veterinária; Geriatric veterinary; Inhalation anestesia; Postoperative complications; Procedimentos cirúrgicos; Surgical procedures
  • Language: Português
  • Abstract: Este estudo objetivou avaliar a condição clínica pré-operatória dos cães idosos submetidos à anestesia inalatória e relacionar as alterações encontradas na avaliação pré-operatória com a ocorrência de complicações e óbito perioperatório. O estudo foi prospectivo, observacional e realizado no período de abril de 2007 a abril de 2008. Os cães idosos foram avaliados por meio de anamnese, exame físico, mensuração da pressão arterial sistólica (Doppler), eletrocardiograma (ECG) e análises laboratoriais previamente ao procedimento cirúrgico. O procedimento anestésico, cirúrgico e a ocorrência de complicações transoperatórias foram analisados pelo registro nas fichas de anestesia. Incluíram-se no estudo os animais submetidos à anestesia inalatória por no mínimo 30 minutos. As complicações pós-operatórias foram avaliadas por meio da consulta pós-operatória, do registro nos prontuários e relato dos proprietários. Os grupos foram comparados por meio do teste de Mann-Whitney. Nas variáveis categóricas foi empregado o teste do qui-quadrado ou o teste exato de Fisher. O grau de significância foi de 5%. Foram incluídos no estudo 169 cães, 97 machos e 72 fêmeas, com idade média de 10,4±2,2 anos (125,0±26,6 meses) e com peso médio de 19,8±12,3 kg. A idade e peso não apresentaram diferença entre os sexos (p>0,05). O hematócrito abaixo dos valores normais ocorreu em 16,0% (27/169) dos animais e houve associação com a ocorrência de complicações (21/169=12,43%) e óbito(4/169=2,37%) perioperatório (p<0,01). A concentração de hemoglobina abaixo dos valores normais (4/169=2,37%) e a necessidade de transfusão de hemocomponentes foram associadas com o desfecho de óbito no pós-operatório (p<0,01). Os animais classificados com categoria de risco anestésico (ASA) III (34/169=20,12%) e IV (2/169=1,18%) apresentaram maior ocorrência de complicações (p<0,05) e óbito (p<0,01) perioperatório quando comparado a ASA II (133/169=78,70%). Nos cães categorizados com risco cirúrgico médio (96/169=56,80%) e alto (9/169=5,33%) ocorreu maior morbidade e mortalidade perioperatório quando comparado ao baixo (64/169=37,87%) (p<0,01). Houve menor mortalidade com o emprego da acepromazina (89/169=52,66%) na medicação pré-anestésica (p<0,05). A hipotensão arterial foi a complicação mais frequente (78/169=46,15%) no transoperatório, mas não foi associada ao uso de acepromazina e desfecho de óbito (p>0,05). A administração de fentanil em bolus (54/169=31,95%) foi associada com a hipotensão arterial transoperatória (p<0,05). A duração do procedimento anestésico acima de 75 minutos apresentou maior ocorrência de complicações perioperatórias (p<0,01). A morbidade e mortalidade perioperatória observada nos cães idosos foi de 56,21% (IC95%: 48,38-63,82%) e 2,96% (IC95%: 0,97-6,77%), respectivamente. A partir dos resultados pode-se concluir que: o hematócrito abaixo do valor de referência indica maior ocorrência de complicações e óbitoperioperatório; a concentração de hemoglobina abaixo do valor de referência e a necessidade de transfusão de hemocomponentes determinam maior mortalidade perioperatória; a classificação de risco anestésico e cirúrgico são métodos válidos na determinação dos pacientes mais propensos a ocorrência de complicações e o desfecho de óbito; a administração de acepromazina reduz a mortalidade; o procedimento anestésico superior a 75 minutos aumenta a ocorrência de complicações; e a morbidade e mortalidade perioperatória são elevadas nos cães idosos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.08.2011
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CARVALHO, Haley Silva de; CORTOPASSI, Silvia Renata Gaido. Avaliação perioperatória em cães idosos submetidos à anestesia geral inalatória: determinação das complicações trans e pós-operatórias. 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10137/tde-15102012-140418/ >.
    • APA

      Carvalho, H. S. de, & Cortopassi, S. R. G. (2011). Avaliação perioperatória em cães idosos submetidos à anestesia geral inalatória: determinação das complicações trans e pós-operatórias. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10137/tde-15102012-140418/
    • NLM

      Carvalho HS de, Cortopassi SRG. Avaliação perioperatória em cães idosos submetidos à anestesia geral inalatória: determinação das complicações trans e pós-operatórias [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10137/tde-15102012-140418/
    • Vancouver

      Carvalho HS de, Cortopassi SRG. Avaliação perioperatória em cães idosos submetidos à anestesia geral inalatória: determinação das complicações trans e pós-operatórias [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10137/tde-15102012-140418/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021