Exportar registro bibliográfico

Diversidade genética em "caxetais" da Mata Atlântica brasileira: uma abordagem filogeográfica para Tabebuia cassinoides (2012)

  • Authors:
  • Autor USP: PRETTI, VANIA QUIBAO - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIB
  • Subjects: GENÉTICA DE POPULAÇÕES; DIVERSIDADE GENÉTICA; FLORESTAS
  • Keywords: Atlantic Rain Forest; Climatic modeling; DNA plastidial; Filogeografia; Mata Atlântica; Microsatellites; Microssatélites; Modelagem climática; Phylogeography; Plastidial DNA; Tabebuia cassinoides; Tabebuia cassinoides
  • Language: Português
  • Abstract: A Mata Atlântica representa um dos Biomas mais diversos do Planeta. No entanto, ainda pouco se sabe sobre os processos que levaram à alta diversidade de plantas nesta região. A maior parte dos estudos na Mata Atlântica trata este Bioma de forma ampla, sem considerar os diversos tipos vegetacionais encontrados na região. Apesar de ser dominado pela Floresta Pluvial Montana, este Bioma ainda inclui outros tipos vegetacionais periféricos, tais como: as Florestas Pluviais Baixo Montanas, Florestas Pluviais de Altitude, Florestas Pluviais Ripária, Florestas Pluviais em Manchas e as Florestas Paludosas Litorâneas, popularmente conhecidas como "caxetais". O nome "caxetal" foi dado devido à predominância da espécie Tabebuia Cassinoides (Lam.) DC., a qual é popularmente conhecida como "caxeta". Esta formação vegetal tem distribuição restrita a áreas com solos permanentemente encharcados do norte de Santa Catarina até o norte do Espírito Santo, onde ocorre de forma naturalmente fragmentada, formando ilhas ao longo de sua extensão de ocorrência. Populações com distribuição fragmentada são modelos em potencial para estudos de genética de populações, visto que a delimitação geográfica de populações naturais é um dos maiores problemas para estudos dessa natureza. Diante desse cenário, a presente tese teve como objetivo: (1) verificar como a distribuição geográfica da espécie arbórea T. cassinoides, agregada, bem delimitada e fragmentada na paisagem, pode influenciar na estruturaçãoda diversidade genética em nível local; (2) caracterizar o grau de variabilidade genética inter e intrapopulacional em populações naturais de T. cassinoides ao longo da Mata Atlântica; e, (3) determinar a estrutura filogeográfica de T. cassinoides. Para tanto foram analisados dados de oito marcadores de microssatélites nucleares, além do sequenciamento da região trnC-ycf6 do DNA plastidial (cpDNA). Os dados genéticos obtidos foram primeiramente utilizados para o conhecimento da diversidade genética e estruturação da população em nível local, na região de Iguape (SP). Nossos resultados sugerem que a fragmentação dessas populações é somente geográfica, devido a suas necessidades edáficas, bem como que o modo de distribuição agregada e naturalmente fragmentada não indica a subdivisão genética das mesmas. A caracterização da variabilidade genética inter e intra-populacional em populações naturais de T. cassinoides ao longo de toda sua área de distribuição, com base nos marcadores de microssatélites nucleares indicou que a espécie possui baixos níveis de diversidade genética, e que 61% dessa diversidade é encontrada dentro das populações e 39% entre elas. Além disso, estes resultados evidenciaram significativos níveis de correlação entre distância genética e distância geográfica, sugerindo assim a presença de isolamento por distância. Nossos resultados indicam ainda a região geográfica do Rio de Janeiro como centro de diversidade para T. cassinoides. Uma forte estruturaçãogenética foi encontrada para os dados de DNA nuclear e plastidial. Os resultados da análise de cpDNA, sugerem que a espécie T. cassinoides está dividida em três grupos filogeográficos: Norte, Central e Sul. Já os resultados de DNA nuclear apenas se diferenciam dos anteriores por considerar os grupos filogeográficos Norte e Central como um único grupo. Dados de modelagem de nicho ecológico foram gerados e associados com análises demográficas e de estruturação populacional visando um melhor entendimento dos padrões filogeográficos da espécie e inferências sobre a ocorrência de possíveis alterações populacionais ocorridas nos últimos 21 mil anos (Last Glacial Maximum - LGM) e 6 mil anos (Holocene Optimum - HO). Os resultados destas análises sugerem a estabilidade do tamanho populacional e das possíveis áreas de ocorrência de T. cassinoides no LGM e no HO. Assim, aventamos a hipótese de que a quebra de fluxo gênico entre as regiões filogeográficas propostas no presente estudo sejam anteriores ao LGM. Esse padrão converge com resultados encontrados para outras espécies de comunidades vegetais periféricas e diverge daqueles encontrados para espécies do núcleo principal da Floresta Ombrófila Densa, evidenciando a importância de estudos com espécies de diferentes comunidades vegetais da Floresta Atlântica para um melhor entendimento dos processos que moldaram a evolução das espécies nesse complexo bioma
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.11.2012
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PRETTI, Vania Quibao; LOHMANN, Lucia Garcez; MEYER, Diogo. Diversidade genética em "caxetais" da Mata Atlântica brasileira: uma abordagem filogeográfica para Tabebuia cassinoides. 2012.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-01052013-134603/ >.
    • APA

      Pretti, V. Q., Lohmann, L. G., & Meyer, D. (2012). Diversidade genética em "caxetais" da Mata Atlântica brasileira: uma abordagem filogeográfica para Tabebuia cassinoides. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-01052013-134603/
    • NLM

      Pretti VQ, Lohmann LG, Meyer D. Diversidade genética em "caxetais" da Mata Atlântica brasileira: uma abordagem filogeográfica para Tabebuia cassinoides [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-01052013-134603/
    • Vancouver

      Pretti VQ, Lohmann LG, Meyer D. Diversidade genética em "caxetais" da Mata Atlântica brasileira: uma abordagem filogeográfica para Tabebuia cassinoides [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-01052013-134603/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020