Exportar registro bibliográfico

Violência nas escolas: retrato da sociedade (2012)

  • Autor:
  • Autor USP: MACHADO, MARIA APARECIDA MIRANDA DE PAULA - FOB
  • Unidade: FOB
  • Subjects: VIOLÊNCIA ESCOLAR; SOCIEDADE; DISCRIMINAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: Violência é um processo de difícil explicitação e de simples compreensão, considerado por alguns autores como inerente à condição humana e, por outros, como aprendizagem. Embora possa apresentar-se antagônico e multifacetado, seus procedimentos são movidos pela intencionalidade, o que torna complexa a conceituação e as formas de penalização. A Organização Mundial de Saúde (OMS) define a violência como o uso de força física ou poder, em ameaça ou na prática, contra si próprio, outra pessoa ou contra um grupo ou comunidade que resulte ou possa resultar em sofrimento, morte, dano psicológico, desenvolvimento prejudicado ou privação, portanto, relacionada à saúde ou bem estar dos indivíduos. Didaticamente é possível classificar os atos de violência por sua natureza (física, sexual, psicológica e por privação, negligência ou abandono) ou tipologia (auto-infligida, interpessoal ou coletiva), contudo, essa qualificação não evidencia todos os aspectos inclusos nos atos de violência. A vulnerabilidade se manifesta por meio de discriminações e preconceitos principalmente relativos à faixa etária, etnia, gênero, necessidades especiais, condição de portadores de doenças e de pobreza. Dessa forma, crianças e adolescentes negros, estão mais sujeitos à discriminação do que o branco; crianças, adolescentes e jovens do sexo masculino, mais do que os do sexo feminino, sofrem violência fatal; crianças e adolescentes do sexo feminino são mais vitimadas pela violência não letal; deficientes físicos, homossexuais, portadores do HIV/aids e crianças e adolescentes pobres são mais vulneráveis e expostos à violência e aos danos provocados por ela. Em relação ao adulto, a mulher ainda sofre mais a violência doméstica, com alto índice de letalidade.Embora as instituições de ensino, de saúde e dos meios de comunicação em massa desempenhem um papel importante na proteção dos grupos vulneráveis, paradoxalmente, naturalizam a violência quando se calam sobre o entrelaçamento dos processos sociais e seus resultados sobre a sociedade. O Bullying, forma de violência que ocorre nas instituições educacionais, atualmente, vem sendo praticado indiscriminadamente por quase todos os alunos, incluindo a associação perversa entre eles contra o professor, embora, muitas vezes também tenha início entre os estudantes nos comentários realizados por docentes. A análise e diagnóstico local é essencial no enfrentamento do panorama. Uma educação que não articula o discurso e a ação, onde os sujeitos deixam de ser protagonistas, na utilização da palavra e na autonomia em seu agir, é uma educação que perpetua e reitera a violência dentro e fora dela. Fundamentada em Hannah Arendt, apenas o resgate e a devolução do direito à palavra, a criação de espaços coletivos de debate e a procura saudável do dissenso e da diferença possibilita a reversão e a alternativa à violência. Um plano de ação processual monitorado inclui formação dos profissionais de todos os setores, mas principalmente, da saúde e educação, somados à inclusão do tema no programa curricular em todos os níveis de ensino e constituição de um sistema de redes de apoio à vítima, ao agressor e ao profissional que presta assistência, fundamentado por um modelo participativo, são elementos imprescindíveis para reduzir os altos índices de violência.
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference titles: Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MACHADO, Maria Aparecida Miranda de Paula. Violência nas escolas: retrato da sociedade. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia[S.l: s.n.], 2012.
    • APA

      Machado, M. A. M. de P. (2012). Violência nas escolas: retrato da sociedade. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia. São Paulo: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia.
    • NLM

      Machado MAM de P. Violência nas escolas: retrato da sociedade. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia. 2012 ; 17
    • Vancouver

      Machado MAM de P. Violência nas escolas: retrato da sociedade. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia. 2012 ; 17


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021