Exportar registro bibliográfico

Desenvolvimento e análise "in vitro" do efeito antimicrobiano de bandagem bucal (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: KLOSTER, ANNELYZE PODdLAN - FOB
  • Unidade: FOB
  • Sigla do Departamento: BAO
  • Subjects: CICATRIZAÇÃO; CLOREXIDINA; QUITOSANA; AGENTES ANTIMICROBIANOS; BANDAGENS; STREPTOCOCCUS MUTANS (EFEITOS DE DROGAS); CANDIDA ALBICANS (EFEITOS DE DROGAS)
  • Language: Português
  • Abstract: A busca por um dispositivo terapêutico que possa ser aplicado em feridas e lesões da mucosa oral é um desafio para a Odontologia. O objetivo deste trabalho foi desenvolver uma bandagem bucal com capacidade de liberação de fármacos e avaliar in vitro sua eficiência antimicrobiana sobre os microrganismos Streptococcus mutans e Candida albicans. A bandagem foi feita a partir de quitosana, que é um biopolímero com características específicas. Este biopolímero é biocompatível, biodisponível, biodegradável, tem ação antimicrobiana, pode ser indicado para uso em vários segmentos da área da saúde e possui baixo custo. A bandagem possibilitou a incorporação de um fármaco antimicrobiano e neste caso foi incorporada a clorexidina, eficaz no tratamento de lesões ulceradas, traumatismos e feridas cirúrgicas, amplamente utilizado em odontologia. Sendo assim, foram desenvolvidas cinco tipos de bandagens: bandagem de quitosana a 5% + clorexidina a 0,2%; bandagem de quitosana a 5% + clorexidina a 0,6%; bandagem de quitosana a 5% + clorexidina a 1,0%; bandagem de quitosana a 5% + clorexidina a 2,0% e quitosana a 5%, sem adição de clorexidina. Obtidas as amostras, foi testada a ação antimicrobiana das bandagens frente aos microrganismos C.albicans e S.mutans através de antibiograma. Para efeito comparativo, foram testados géis nas seguintes formulações: gel de quitosana; gel de quitosana e clorexidina 0,2% e 2,0% e gel de clorexidina 0,2% e 2,0% sobre os mesmos tipos de microrganismos. Os resultados obtidos foram submetidos à análise estatística, onde se observou que as bandagens que continham quitosana pura não inibiram o crescimento de microrganismos e, as bandagens com clorexidina a 2,0% formaram os maiores halos de inibição para C.albicans e S.mutans (16,6mm e 25,0mm respectivamente)Dentre os géis testados, o gel de clorexidina 2,0% teve melhor resultado para ambos os microrganismos e o gel de quitosana pura, assim como a bandagem de igual composição também não foram eficientes. Conclui-se que a bandagem possui eficácia na inibição do crescimento dos microrganismos Candida albicans e Streptococcus mutans. Sugerimos que mais estudos ainda são necessários para o aprimoramento deste dispositivo inovador
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.04.2011
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      KLOSTER, Annelyze Podolan; MACHADO, Maria Aparecida de Andrade Moreira. Desenvolvimento e análise "in vitro" do efeito antimicrobiano de bandagem bucal. 2011.Universidade de São Paulo, Bauru, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25145/tde-04112011-141419/pt-br.php >.
    • APA

      Kloster, A. P., & Machado, M. A. de A. M. (2011). Desenvolvimento e análise "in vitro" do efeito antimicrobiano de bandagem bucal. Universidade de São Paulo, Bauru. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25145/tde-04112011-141419/pt-br.php
    • NLM

      Kloster AP, Machado MA de AM. Desenvolvimento e análise "in vitro" do efeito antimicrobiano de bandagem bucal [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25145/tde-04112011-141419/pt-br.php
    • Vancouver

      Kloster AP, Machado MA de AM. Desenvolvimento e análise "in vitro" do efeito antimicrobiano de bandagem bucal [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/25/25145/tde-04112011-141419/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021