Exportar registro bibliográfico

Efeitos de diferentes doses de doxiciclina sobre as alterações vasculares associadas à hipertensão experimental 2R1C (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: GUIMARÃES, DANIELLE APARECIDA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RFA
  • Subjects: METALOPROTEINASES; HIPERTENSÃO; SISTEMA RENINA-ANGIOTENSINA; FÁRMACOS (SISTEMA CARDIOVASCULAR)
  • Language: Português
  • Abstract: A hipertensão arterial provoca alterações vasculares que estão associadas com o aumento da atividade das metaloproteinases (MMPs). Embora estas alterações possam ser atenuadas pela doxiciclina, um inibidor não seletivo de MMPs, nenhum estudo anterior avaliou o efeito de diferentes doses de doxiciclina sobre estas alterações. No presente trabalho estudamos os efeitos da doxiciclina nas doses de 3, 10 e 30 mg/kg/dia sobre as alterações vasculares encontradas no modelo de hipertensão renal 2 rins-1 clipe (2R1 C). A pressão arterial sistólico (PAS) foi monitorada durante as quatro semanas de tratamento com a doxiciclina. Anéis de aorta foram isolados para avaliar o relaxamento dependente do endotélio. Morfometria quantitativa das mudanças estruturais na parede da aorta foram estudadas através de cortes histológicos corados com hematoxilina/eosina. Os níveis aórticos de MMP-2 e a atividade proteolítica foram determinados por zimografia em gel e in situ, respectivamente. O tratamento com doxiciclina nas três diferentes doses apresentou efeito hipotensor, ao reduzir de forma significativa a PAS dos animais 2R1C tratados com doxiciclina em relação aos animais 2R1C tratados com veículo (195,4 ‘+OU-’ 3,9 mmHg versus 177,2 ‘+OU-’ 6,2 mmHg, 176,3 ‘+OU-’ 4,5 mmHg e 173 ‘+OU-’ 5,1 mmHg nos ratos hipertensos 2R1C tratados com veículo, ou com doxiciclina, 3, 10, 30 mg /kg/dia, respectivamente na sexta semana (P <0,01)). No entanto, apenas a maior dose de doxiciclina normalizou a resposta relaxante da ACh (P <0,05), a hipertrofia vascular e o aumento dos níveis da MMP-2 induzidos pela hipertensão 2R1C (P <0,05). Não foram observadas mudanças significativas entre os animais controle (Sham+veículo, Sham+doxi 3, Sham+doxi 10, Sham+doxi 30) em relação a todos os parâmetros estudados. Em conclusão, estes resultados sugarem que a doxiciclina diminui a atividade da MMP-2, melhorandoassim a disfunção endotelial, e o remodelamento vascular encontrados nesse modelo de hipertensão renovascular. Além disso, menores doses de doxiciclina não atenuam estas alterações vasculares
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.10.2010

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GUIMARÃES, Danielle Aparecida; SANTOS, José Eduardo Tanus dos. Efeitos de diferentes doses de doxiciclina sobre as alterações vasculares associadas à hipertensão experimental 2R1C. 2010.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.
    • APA

      Guimarães, D. A., & Santos, J. E. T. dos. (2010). Efeitos de diferentes doses de doxiciclina sobre as alterações vasculares associadas à hipertensão experimental 2R1C. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Guimarães DA, Santos JET dos. Efeitos de diferentes doses de doxiciclina sobre as alterações vasculares associadas à hipertensão experimental 2R1C. 2010 ;
    • Vancouver

      Guimarães DA, Santos JET dos. Efeitos de diferentes doses de doxiciclina sobre as alterações vasculares associadas à hipertensão experimental 2R1C. 2010 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021