Exportar registro bibliográfico

O significado das variantes do eritrovírus em pacientes com citopenias de origem desconhecida (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: GARCIA, SHEILA DE OLIVEIRA - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MCM
  • Subjects: GENÓTIPOS; ANEMIA (VIROLOGIA); LEUCÓCITOS (DEFICIÊNCIA); PLAQUETAS SANGUÍNEAS (ANORMALIDADES)
  • Language: Português
  • Abstract: O eritrovírus humano (parvovírus), gênero Erytrovírus, é o único representante da família Parvoviridae responsável por um amplo espectro de doenças. Estudos recentes têm demonstrado variações entre o eritrovírus e orientam a reclassificação destas variantes em três genótipos distintos: genótipos 1, 2 e 3. O papel do eritrovírus na etiopatogenia de doenças hematológicas em humanos permanece incerto. Este estudo teve como objetivo principal avaliar a relação etiopatogênica dos genótipos do eritrovírus e as citopenias de origem desconhecida. Materiais e Métodos: Participaram do estudo 285 indivíduos procedentes do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Destes, 120 apresentavam citopenias de origem desconhecida (grupo 1 Casos), 45 eram doadores de medula óssea (grupo 2 Controles Saudáveis) e 120 eram pacientes com doenças oncohematológicas crônicas (grupo 3 Controles com Neoplasias Hematológicas). A pesquisa do vírus foi realizada pelo método de semi-nested PCR (Reação em Cadeia da Polimerase) em amostras de medula óssea e de sangue periférico. As fitas complementares foram seqüenciadas diretamente do produto da PCR. Amostras de plasma de todos os indivíduos incluídos no estudo foram testadas para presença de anticorpos IgG e IgM específicos contra o eritrovírus por ensaio imunoenzimático. Resultados: Dos 40 indivíduos com resultado positivo na PCR em amostra da medula óssea, o genótipo 1 foi encontrado em 22 (55%), o genótipo 2 em 5 (12,5%), o genótipo 3 em 13 (32,5%). Quando comparadas as freqüências de positividade entre os casos e controles (Grupo 1 VS Grupos 2 e 3), não encontramos diferença significativa com relação ao genótipo 1 (p=0, 192) nem com relação aos genótipos 2 e 3 (p= 0.143). A soroprevalência encontrada na amostra foi de 71%. Conclusão: Concluímos que a infecção isolada pelo eritrovírus, independente do genótipo encontrado, (Continua)(Continuação) não tem relação etiopatogênica com as citopenias de origem desconhecida, uma vez que o vírus foi encontrado com a mesma freqüência nos casos e nos controles estudados
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.09.2010
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GARCIA, Sheila de Oliveira; SABINO, Ester Cerdeira. O significado das variantes do eritrovírus em pacientes com citopenias de origem desconhecida. 2010.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5164/tde-03112010-172833/ >.
    • APA

      Garcia, S. de O., & Sabino, E. C. (2010). O significado das variantes do eritrovírus em pacientes com citopenias de origem desconhecida. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5164/tde-03112010-172833/
    • NLM

      Garcia S de O, Sabino EC. O significado das variantes do eritrovírus em pacientes com citopenias de origem desconhecida [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5164/tde-03112010-172833/
    • Vancouver

      Garcia S de O, Sabino EC. O significado das variantes do eritrovírus em pacientes com citopenias de origem desconhecida [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5164/tde-03112010-172833/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021