Exportar registro bibliográfico

A estrutura sintática das chamadas "construções resultativas em PB" (2008)

  • Authors:
  • Autor USP: BARBOSA, JULIO WILLIAM CURVELO - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLL
  • Subjects: PORTUGUÊS DO BRASIL; SINTAXE; SEMÂNTICA
  • Language: Português
  • Abstract: Neste trabalho, retomaremos a questão sobre a existência de construções resultativas no português brasileiro (PB), conforme debatido nos trabalhos de Foltran (1999), Marcelino (2000), e Lobato (2004), inter alia, apresentando evidências teóricas e empíricas contra a afirmação de que existam em PB construções resultativas sintaticamente ou semanticamente equivalentes às construções resultativas presentes em línguas como o inglês, por exemplo. A partir de alguns trabalhos sobre as construções resultativas do inglês, como Hoekstra (1988) e Levin & Rappaport-Hovav (1995), mostraremos que as propriedades básicas dessas construções no inglês se mostram bem distintas das propriedades das construções citadas pelos trabalhos sobre o PB. Com base em um critério que leva em conta as propriedades das construções resultativas no inglês, mostraremos que existe uma diferença semântica quanto ao tipo de modificação que o predicado resultativo exerce sobre a sentença em inglês e em PB, baseados na semântica de eventos neo-Davidsoniana (PARSONS, 1990); enquanto na primeira o predicado resultativo denota o estado resultante da ação, na segunda, o predicado secundário é, na verdade, um modificador do estado resultante, já denotado pelo conteúdo semântico expresso no complexo verbo+argumento interno. Baseados na tipologia de Talmy (2000), estenderemos sua proposta de impossibilidade de amálgama (conflation) de certos elementos semânticos ao verbo em línguas românicas à impossibilidade deformação de resultativas. Incapaz de realizar amálgama de modo ao verbo, o PB realiza, ao invés do modo, a semântica de causa amalgamada ao co-evento no verbo, enquanto inglês realiza a semântica de estado resultante em um satélite, e modo e causa amalgamados ao verbo. A partir dos resultados obtidos pela nossa análise semântica, conduziremos uma análise sintática que explica tanto a restrição de amálgama de modo quanto à impossibilidade de ) formação de construções resultativas em PB. Baseados na teoria de estrutura argumental de Hale & Keyser (1993, 2002), iremos propor uma estrutura de predicados complexos para as resultativas do inglês a partir da estrutura de verbos deadjetivais, responsáveis pela formação de verbos inacusativos. A restrição de formação desses predicados complexos em PB é explicada pela marcação negativa do Parâmetro de Composicionalidade nessa língua, (SNYDER, 1995), impedindo a inserção de itens lexicais de classe aberta (raízes) em posições marcadas com o traço [+Afixal], condição sine qua non para a formação de predicados resultativos como os do inglês
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.07.2008
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BARBOSA, Julio William Curvelo; NEGRÃO, Esmeralda Vailati. A estrutura sintática das chamadas "construções resultativas em PB". 2008.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-07102008-151004/ >.
    • APA

      Barbosa, J. W. C., & Negrão, E. V. (2008). A estrutura sintática das chamadas "construções resultativas em PB". Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-07102008-151004/
    • NLM

      Barbosa JWC, Negrão EV. A estrutura sintática das chamadas "construções resultativas em PB" [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-07102008-151004/
    • Vancouver

      Barbosa JWC, Negrão EV. A estrutura sintática das chamadas "construções resultativas em PB" [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-07102008-151004/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021