Exportar registro bibliográfico

Implantação das diretrizes curriculares para cursos de graduação em odontologia no Brasil: contradições e perspectivas (2007)

  • Authors:
  • Autor USP: ZILBOVICIUS, CELSO - FO
  • Unidade: FO
  • Sigla do Departamento: ODS
  • Subjects: CURRÍCULO DE ENSINO SUPERIOR (ODONTOLOGIA); REFORMA DO ENSINO (ODONTOLOGIA); EDUCAÇÃO (ODONTOLOGIA); TEORIA CRÍTICA
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho teve como objetivo analisar a tendência de mudanças na educação odontológica no Brasil em face à necessidade de implantação das Diretrizes Curriculares Nacionais para cursos de graduação em odontologia, aprovadas em 2002. O referencial teórico inclui as perspectivas da educação superior no Brasil em um contexto neoliberal, incluindo a área da saúde e a odontologia em particular apontando para a contradição da formação em saúde bucal no país que convive com um número crescente de faculdades de odontologia em todo o território nacional sem, contudo, responder às necessidades de atenção em saúde bucal de parcelas significativas da população brasileira. A metodologia partiu dos resultados da análise quantitativa obtidos pelo instrumento de avaliação utilizado durante as oficinas realizadas pela Associação Brasileira de Ensino Odontológico (ABENO) durante os anos de 2005 e 2006. O instrumento permitiu que cada participante avaliasse a instituição e o grau de inovação frente aos pressupostos das diretrizes curriculares segundo 3 eixos : orientação teórica do curso, abordagem pedagógica e cenários de prática. Cada eixo continha 3 vetores correspondendo ao tema analisado e cada participante avaliava o mesmo segundo 3 estágios possíveis (1- mais conservador; 2- intermediário e 3- mais inovador). Foram analisadas 48 faculdades (23 públicas e 25 privadas) de odontologia totalizando 1229 participantes entre professores (total de 711), alunos (228) efuncionários (14). Os resultados apontam para um alto grau de inovação incipiente (52,9%) seguido pelo grau de inovação parcial (40,2%), Estes resultados se confirmam para todas as variáveis analisadas ( tipo de instituição, região do país, tipo de ocupação e área de docência). O instrumento permite afirmar que a maioria das escolas mantém uma proposta pedagógica tecnicista, sem integração das disciplinas e com poucos ) cenários de práticas que permitem ao aluno conhecer e se formar na lógica do Sistema Único de Saúde (SUS), mantendo uma abordagem clássica da educação odontológica conforme as concepções de Gies e Charles Godon,no princípio do século XX. A análise qualitativa dos relatórios dos facilitadores, que teve como objetivo analisar os discursos apontados durante as oficinas destacou o desconhecimento, por parte da comunidade acadêmica odontológica, das diretrizes curriculares bem como dos princípios do SUS; a ausência de integração com o serviço e cenários de prática no SUS; a pouca formação pedagógica do corpo docente bem como uma resistência a mudanças que direcionem a formação para uma lógica de saúde coletiva. A discussão foi elaborada a partir de um arcabouço teórico advindo da teoria crítica da educação e currículo que aborda, de forma dialética, questões como ideologia, hegemonia, reprodução social, relações políticas de poder e dominação bem como o currículo oculto considerando que a resistência a transformações e inovações na educação odontológicaprovém de um projeto político e ideológico desta voltado à uma lógica capitalista, predominantemente voltada a classes dominantes numa perspectiva de tecnicismo direcionado à prática individual e mercantil da profissão, contrapondo-se e distanciando-se das perspectivas das diretrizes curriculares atuais e, portanto, mantendo-se resistente e em graus incipiente e parcial de inovação conforme demonstrou a análise quantitativa das oficinas.A necessidade de se transformar a educação odontológica impõe mudanças nos projetos político-pedagógicos das instituições, que devem ser construídos de forma coletiva com os diversos atores do processo educativo envolvidos; criação de espaços de formação docente dos professores de odontologia e ampliação da integração do SUS com as instituições formadoras permitindo uma real e ) signioficativa transformação do currículo, revisão de conteúdos ministrados, permitindo a adoção da integralidade do processo saúde/doença como eixo transversal do currículo dos cursos de graduação em odontologia
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 07.12.2007
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ZILBOVICIUS, Celso; ARAUJO, Maria Ercilia de. Implantação das diretrizes curriculares para cursos de graduação em odontologia no Brasil: contradições e perspectivas. 2007.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23148/tde-22042008-114142/ >.
    • APA

      Zilbovicius, C., & Araujo, M. E. de. (2007). Implantação das diretrizes curriculares para cursos de graduação em odontologia no Brasil: contradições e perspectivas. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23148/tde-22042008-114142/
    • NLM

      Zilbovicius C, Araujo ME de. Implantação das diretrizes curriculares para cursos de graduação em odontologia no Brasil: contradições e perspectivas [Internet]. 2007 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23148/tde-22042008-114142/
    • Vancouver

      Zilbovicius C, Araujo ME de. Implantação das diretrizes curriculares para cursos de graduação em odontologia no Brasil: contradições e perspectivas [Internet]. 2007 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23148/tde-22042008-114142/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021