Exportar registro bibliográfico

Avaliação de marcadores de proliferação celular e apoptose em tecido endometrial eutópico e ectópico em modelo experimental de endometriose em coelhas (2007)

  • Authors:
  • Autor USP: SILVA, JULIO CESAR ROSA E - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGO
  • Subjects: PROLIFERAÇÃO CELULAR; APOPTOSE; ENDOMETRIOSE
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivo: Caracterizar o padrão de homeostase (proliferação celular e apoptose) de tecido endometrial eutópico e ectópico de coelhas submetidas à indução de lesões de endometriose por modelo experimental já conhecido, quatro e oito semanas após o procedimento de implantação endometrial. Material e Métodos: Estudo experimental animal sendo utilizado 20 coelhas adultas Nova Zelândia, fêmeas e virgens, submetidas à laparotomia para indução da lesão de endometriose, através da ressecção de um como uterino e fixação no peritônio pélvico de fragmento de 5mm. As coelhas foram divididas em dois grupos de 10 animais, sendo os animais do grupo , sacrificados após 4 semanas da indução da lesão endometrial ectópica e os do grupo 2 após 8 semanas. A lesão foi excisada para análise histológica juntamente com o como uterino contralateral, comprovando a presença de tecido endometrial glandular e estromal. Reações de imunohistoquínica foram realizadas, no tecido endometrial eutópico e ectópico, para proliferação celular através do PCNA e para apoptose através do tas, na glândula e estroma, sendo obtido o índice de proliferação celular (IPC )e de apoptose (IA) através do número de células marcadas por 1000 contadas, e o índice de homeostase tecidual através do coeficiente entre o IPC e IA. Resultados: Observou-se maior índice de proliferação no tecido ectópico, tanto glandular como estromal, quando comparado com o endométrio eutópico, com 4 e 8 semanas após a inpução da lesão. Contudo,quando as lesões ectópicas foram comparadas entre si, com 4 e 8 semanas, não foi observada diferença significativa.Quando comparamos o índice de apoptose, observamos que não houve diferença entre o tecido ectópico e o eutópico, tanto glandular como estromal nas lesões induzidas e analisadas com 4 semanas, porém no tecido glandular das lesões analisadas com 8 semanas houve diferença significativa entre a lesão ectópica e o tecido endometrial eutópico 0,0819’+OU-‘0,0213 e 0,0995 ‘+OU-‘0,01336, respectivamente (p=O,O4). A homeostase tecidual foi calculada e observou-se uma tendência destes tecidos a proliferação, sempre com índices de homeostase tecidual (IPC/IA) acima de Conclusão: As lesões ectópicas parecem ter uma proliferação celular maior que o endométrio eutópico levando a uma tendência ao crescimento tecidual descontrolado nas lesões de endometriose induzidas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.12.2007

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Júlio Cesar Rosa e; NOGUEIRA, Antonio Alberto. Avaliação de marcadores de proliferação celular e apoptose em tecido endometrial eutópico e ectópico em modelo experimental de endometriose em coelhas. 2007.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2007.
    • APA

      Silva, J. C. R. e, & Nogueira, A. A. (2007). Avaliação de marcadores de proliferação celular e apoptose em tecido endometrial eutópico e ectópico em modelo experimental de endometriose em coelhas. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Silva JCR e, Nogueira AA. Avaliação de marcadores de proliferação celular e apoptose em tecido endometrial eutópico e ectópico em modelo experimental de endometriose em coelhas. 2007 ;
    • Vancouver

      Silva JCR e, Nogueira AA. Avaliação de marcadores de proliferação celular e apoptose em tecido endometrial eutópico e ectópico em modelo experimental de endometriose em coelhas. 2007 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021