Exportar registro bibliográfico

Relação entre consumo alimentar, perfil bioquímico e metabolismo ósseo em mulheres com artrite reumatóide que apresentam ou não alteração na densidade mineral óssea (2007)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SARKIS, KARIN SEDÓ - FSP
  • Unidades: FSP
  • Sigla do Departamento: HNT
  • Subjects: ARTRITE REUMATOIDE; OSTEOPOROSE; CONSUMO DE ALIMENTOS; COMPOSIÇÃO CORPORAL; ATIVIDADE MOTORA; BIOMARCADORES
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A artrite reumatóide (AR) é uma doença auto-imune inflamatória crônica, que causa diversas manifestações sistêmicas. A perda óssea generalizada é reconhecida como uma destas manifestações. A associação da AR com osteoporose gera maior morbidade, risco de fraturas, de mortalidade, além dos altos custos referentes à doença. Objetivo: Avaliar fatores de risco para perda de massa óssea como: ingestão alimentar, composição corporal e marcadores bioquímicos do metabolismo mineral e ósseo em mulheres com AR que apresentam ou não alteração na Densidade Mineral Óssea (DMO). Métodos: Foram avaliadas 83 mulheres com AR do Ambulatório de Reumatologia do Hospital Heliópolis que preenchiam os critérios estabelecidos pela American Collage of Reumathology para AR. A média de idade foi de 53 mais ou menos 10 anos e 7 a mais ou menos 6 anos de duração da doença. A DMO da coluna lombar e fêmur proximal, bem como a composição corporal foram mensuradas pelo DXA (GE Lunar Radiation Corporation, DPX IQ, Madison, WI, USA), sendo divididas em três grupos conforme a DMO: grupo DMO normal (n=24), grupo DMO osteopenia (n=38) e grupo DMO osteoporose (n=21) (WHO, 1994). A AR foi classificada segundo classe funcional e atividade (DAS28); além disso avaliou-se a qualidade de vida (HAQ) e o uso de prednisona. O consumo alimentar e atividade física (AF) foram avaliados por QFA e questionário de Baecke, respectivamente. Os exames bioquímicos englobaram: cálcio total, fósforo,paratormônio, proteína C-reativa, fator reumatóide e velocidade de hemossedimentação. Foram utilizados os testes de Kolmogorov-Smirnov, ANOVA, ANCOVA, correlação de Pearson e Regressão Linear Múltipla, tendo como variável dependente a DMO. Adotou-se um nível de significância de p,0,05. Resultados: 48,2 por cento das pacientes se enquadraram na classe funcional I. ) Não houve diferença entre os grupos em relação ao DAS28, HAQ, dose de prednisona atual, FR e escores de AF. Mulheres com osteoporose eram mais velhas, apresentaram maior duração da AR, menor peso, IMC, massa magra e percentagem de gordura corporal (p<0,05). A ingestão de lipídeos apresentou-se maior nas mulheres com massa óssea diminuída (p<0,05). Alguns nutrientes tiveram média de ingestão abaixo do recomendado, segundo as DRIs: cálcio, vitamina D, vitamina E e Omega 6.O cálcio sérico total foi maior nas osteopênicas em relação ao grupo DMO normal (p<0,05)
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.08.2007

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SARKIS, Karin Sedó; MARTINI, Lígia Araújo. Relação entre consumo alimentar, perfil bioquímico e metabolismo ósseo em mulheres com artrite reumatóide que apresentam ou não alteração na densidade mineral óssea. 2007.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.
    • APA

      Sarkis, K. S., & Martini, L. A. (2007). Relação entre consumo alimentar, perfil bioquímico e metabolismo ósseo em mulheres com artrite reumatóide que apresentam ou não alteração na densidade mineral óssea. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Sarkis KS, Martini LA. Relação entre consumo alimentar, perfil bioquímico e metabolismo ósseo em mulheres com artrite reumatóide que apresentam ou não alteração na densidade mineral óssea. 2007 ;
    • Vancouver

      Sarkis KS, Martini LA. Relação entre consumo alimentar, perfil bioquímico e metabolismo ósseo em mulheres com artrite reumatóide que apresentam ou não alteração na densidade mineral óssea. 2007 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020