Exportar registro bibliográfico

Efeito do tratamento com hidroxiuréia sobre as células hematopoéticas da medula óssea de pacientes com anemia falciforme (2007)

  • Authors:
  • Autor USP: PINTO, ANA CRISTINA SILVA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Assunto: ANEMIA FALCIFORME (TRATAMENTO;EFEITOS DE DROGAS)
  • Language: Português
  • Abstract: ntrodução. Os benefícios do tratamento com hidroxiuréia (HU) na evolução clínica e na sobrevida de pacientes com doença falciforme já estão bem documentados na literatura. Vários trials clínicos comprovaram a eficácia da HU em reduzir a freqüência e a intensidade das crises vaso-oclusivas. O parâmetro hematológico que mais se correlaciona com a melhora clínica é o volume corpuscular médio (VCM), e por isso é utilizado para monitorar a eficácia do tratamento com HU. Porém, o mecanismo pelo qual a HU aumenta o VCM ainda não está esclarecido. Objetivos. Nossa hipótese é que a HU aumenta o VCM porque causa transformação megaloblástica nas células da medula óssea devido ao seu efeito inibitório na síntese de DNA. Materiais e Métodos. Foram selecionados 20 pacientes com anemia falciforme seguidos regularmente no ambulatório de hemoglobinopatia do HC-FMRP-USP (grupo 1: 10 pacientes em uso de HU 10-30 mg/ kg/dia; grupo 2: 10 pacientes sem uso de HU), e 10 doadores de medula óssea como controle (grupo 3). Todos os pacientes faziam uso de acido fólico regularmente e possuíam dosagens séricas normais de folato. Amostras de sangue periférico (1 ml) e de medula óssea (5 ml) foram coletadas de todos os participantes para avaliação morfológica e morfométrica das células da medula óssea, para estudo citogenético e para quantificação da expressão de moléculas de adesão por citometria de fluxo. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética do HC-FMRP-USP e todos os participantesassinaram termo de [ consentimento informado. Resultados. A análise dos esfregaços de medula óssea dos f pacientes do grupo 1 mostrou sinais evidentes de transformação megaloblástica, como I. megaloblastos, células com núcleo em salame, pleocariócitos, metamielócitos gigantes e megacariócitos com núcleo hiperlobulado. Essas alterações foram ausentes no grupo 3 e raramente observadas no grupo 2 e se limitaram a série eritróide. Os resultados da morfometria mostraram aumento da área de todos os tipos celulares estudados no grupo 1 comparado ao grupo 2 e 3, principalmente da linhagem vermelha: pró-eritroblastos (318.21:1:7.52 x 248.82:1:2.25 J.lm2, p<0.05), eritroblastos basófilos (265.7±4.87 x 197.14±2.79 µm2, p<0.001) e eritroblastos policromáticos (202.55±5.8 x 134.53±4.47 µm2, p<0.05) comparado ao grupo 2 e 3 (318.21±7.52 x 218.68±5.58 µm2, p<0.001; 265.7±4.87 x 177.37±:3.27 µm2, p<0.001; 202.55±5.8 x 122.64±2.61 µm2, p<0.001). A análise citogenética mostrou perda aleatória de cromossomos (hipodiploidia) em praticamente todos os casos, incluindo o grupo controle. A citometria de fluxo mostrou uma redução estatisticamente significante (p<0.01) das expressões de CD71, CD36 e anexina V na superfície dos eritrócitos falciformes do sangue periférico, e do CD71 e CD36 das células eritróides da medula óssea dos pacientes do grupo 1 comparado ao grupo 2. A redução na expressão de moléculas de adesão na superfície doseritrócitos falciformes se correlacionou negativamente com o aumento do VCM: CD71 x VCM (r = -0.81, p< 0.001), CD36 x VCM (r =- 0.82, p< 0.001), e anexina V x VCM (r = -0.46, p= 0.041) e também com a área celular do eritroblasto policromático (EP): CD71 x EP (r= -0.48, p=0.033) e CD36 x EP (r= -0.50, p=0.023). Conclusão. A HU causa transformação megaloblástica nas células da medula óssea de pacientes com anemia falciforme, aumenta o VCM e a área celular de todos os tipos celulares estudados. O aumento do tamanho celular dos eritrócitos favorece a dispersão das moléculas de HbS. Esse efeito contribui para a redução da polimerização das moléculas de HbS e da ade~o celular ao endotélio, evidenciada pela diminuição da expressão de várias moléculas de adesão na superfície de células vermelhas falciformes do sangue periférico e da medula óssea de pacientes em uso de HU. A correlação negativa entre o aumento do VCM e a diminuição da expressão de moléculas de adesão celular indica que o VCM é um bom parâmetro para monitorar a adesão celular durante o tratamento com HU
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.05.2007

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PINTO, Ana Cristina Silva; COVAS, Dimas Tadeu. Efeito do tratamento com hidroxiuréia sobre as células hematopoéticas da medula óssea de pacientes com anemia falciforme. 2007.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2007.
    • APA

      Pinto, A. C. S., & Covas, D. T. (2007). Efeito do tratamento com hidroxiuréia sobre as células hematopoéticas da medula óssea de pacientes com anemia falciforme. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Pinto ACS, Covas DT. Efeito do tratamento com hidroxiuréia sobre as células hematopoéticas da medula óssea de pacientes com anemia falciforme. 2007 ;
    • Vancouver

      Pinto ACS, Covas DT. Efeito do tratamento com hidroxiuréia sobre as células hematopoéticas da medula óssea de pacientes com anemia falciforme. 2007 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020