Exportar registro bibliográfico

Síndrome de Pusher em Hospital Universitário terciário: incidência, avaliação funcional prospectiva e sua correlação com dados de neuroimagem estrutural (2006)

  • Authors:
  • Autor USP: SANTOS, TAIZA ELAINE GRESPAN DOS - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: EPILEPSIA (AVALIAÇÃO); IMAGEM POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA; NEUROCIÊNCIAS
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A Síndrome de Pusher (SP) caracteriza-se por uma alteração de controle postural observada em pacientes com lesões encefálicas e hemiparesia que apresentam uma inclinação do corpo no plano frontal para o lado parético, empurram-se ativamente para o mesmo lado e resistem à correção passiva da postura. Apesar de ter sido descrita há mais de 20 anos, vários aspectos desta síndrome ainda não estão completamente elucidados. Objetivos: Identificar a ocorrência da SP em pacientes com lesão encefálica aguda internados em hospital universitário terciário assim como suas características clínicas e fatores funcionais; avaliar o tempo de recuperação dos sintomas da SP e sua relação com outros déficits neurológicos; identificar as estruturas encefálicas envolvidas na SP; avaliar a função dos canais semicirculares horizontais em pacientes com esta condição. Material e métodos: Prospectivamente, identificamos pacientes com SP internados na Enfermaria de Neurologia UE-HCFMRP-USP durante o período de 3,5 anos. Os pacientes foram submetidos à avaliação neurológica clínica e neuropsicológica, escala de gravidade da doença através da Nationallnstitute of Health Stroke Sca/e (NIHSS) ou Escore de Trauma Revisado (Revised Trauma Score-RTS), análise da função de vida diária através do índice de Barthel (IB), Scale for Contraversive Pushing (SCP) e análise das imagens estruturais de encéfalo. Para analisar a função dos canais semicirculares laterais, avaliamos 9 pacientes comacidente vascular cerebral (AVC) e SP através das provas calórica e rotatória. Resultados: Encontramos 31 pacientes com a SP (SCP média=5,81 ± 0,4), idade média de 67,4 ± 11,89 anos, 25 pacientes com diagnóstico de AVC, 5 com TCE e 1 com sangramento de metástase cerebral. A pontuação média NIHSS foi de 18,24 ± 4,9 e do RTS de 6,66 ± 0,86 com IB médio inicial de 1,77 ± 4,75 e final de 40,56 ± 25,3. A hemianopsia estava presente em 64,5% dos pacientes, hipoestesia em 61,3%, disfagia em 100%, heminegligência em 35,5% e anosognosia em apenas 2 dos pacientes avaliados. O tempo mediano de permanência da SP foi de 53 dias. Não houve correlação dos déficits neurológicos com o prognóstico da SP. Os pacientes com TCE apresentaram sintomas mais leves e melhor prognóstico da SP que os pacientes com AVC. A gravidade da SP influenciou no seu prognóstico. Os vasos sanguíneos predominantemente acometidos nos pacientes com SP foram a artéria cerebral média e os ramos da artéria cerebral posterior. A freqüência de lesão talâmica e parietal posterior foi maior nos pacientes com SP. Não foram observadas correlações dos desvios de linha média (DLM) e do volume do AVC hemorrágico com a gravidade e prognóstico da SP. Na prova calórica, foram encontrados três pacientes que apresentaram preponderância direcional (PD) e dois pacientes com predomínio labiríntico (PL). Na prova rotatória, foram observados quatro pacientes com PD na análise de velocidade da componentelenta. Não houve correlação da PD e PL com a gravidade e prognóstico da SP. Conclusões: 1)A freqüência relativa da SP na Enfermaria de Neurologia-UE-HCFMRP-USP é de 1,5%; 2)SP pode ocorrer em diversas etiologias; 3)0 tempo de permanência dos sintomas da SP pode exceder 2 anos; 4)pacientes com TCE apresentam sintomas da SP mais leves e melhor prognóstico desta condição que pacientes com AVC; 5)a idade, lado da lesão, presença de lesão encefálica prévia, alteração de sensibilidade, hemianopsia e anosognosia não influenciam o tempo de permanência dos sintomas da SP; 6)a gravidade dos sintomas da SP influencia seu prognóstico; 7)os DLM influenciam a gravidade do AVC; 8)os DLM e o volume do AVC hemorrágico não influenciam a gravidade dos sintomas da SP nem seu prognóstico; 9)a disfunção dos canais semicirculares horizontais não parece ser fundamental para a expressão da SP
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.12.2006

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTOS-PONTELLI, Taiza Elaine Grespan dos; LEITE, João Pereira. Síndrome de Pusher em Hospital Universitário terciário: incidência, avaliação funcional prospectiva e sua correlação com dados de neuroimagem estrutural. 2006.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2006.
    • APA

      Santos-Pontelli, T. E. G. dos, & Leite, J. P. (2006). Síndrome de Pusher em Hospital Universitário terciário: incidência, avaliação funcional prospectiva e sua correlação com dados de neuroimagem estrutural. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Santos-Pontelli TEG dos, Leite JP. Síndrome de Pusher em Hospital Universitário terciário: incidência, avaliação funcional prospectiva e sua correlação com dados de neuroimagem estrutural. 2006 ;
    • Vancouver

      Santos-Pontelli TEG dos, Leite JP. Síndrome de Pusher em Hospital Universitário terciário: incidência, avaliação funcional prospectiva e sua correlação com dados de neuroimagem estrutural. 2006 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021