Exportar registro bibliográfico

Compostos fenólicos em madeiras brasileiras (2006)

  • Authors:
  • Autor USP: SILVA, ALEXANDRE ATAIDE DA - IQSC
  • Unidade: IQSC
  • Subjects: AGUARDENTE; MADEIRA; CARVALHO
  • Language: Português
  • Abstract: A maturação em tonéis de carvalho é uma prática importante amplamente empregada na produção de uma bebida de alta qualidade. Porém, apesar da biodiversidade no Brasil, o envelhecimento da cachaça em tonéis de madeira não é uma prática comum. Os tonéis de carvalho são usualmente mais empregados para o processo de maturação da cachaça. Estes tonéis foram usados previamente por produtores para maturação de vinho, conhaque, e envelhecimento de whisky na Europa e América do Norte. Os apontamentos de alternativa para o carvalho apresentados neste trabalho reportam o perfil fenólico dos extratos de cachaça de espécies de madeira brasileiras em comparação com o carvalho. O método de HPLC foi usado para a análise simultânea de 16 compostos fenólicos de relevância para o sabor e aroma de bebidas envelhecidas. As separações cromatográficas foram realizadas usando uma coluna Shimadzu de C18 (2 mm x 3'mu'm x 250 mm) com gradiente de eluição. As eluições dos compostos foram monitoradas em seu máximo de absorção especifico através de um espectrofotômetro de arranjo de diodo com exceção de catequina e epicatequina, as quais foram monitoradas usando um detector espectrofluorométrico com emissão fixada a 280 nm e excitação a 313 nm. Os 16 compostos fenólicos seguintes foram analisados: (ácido gálico, (+)catequina, ácido vanílico, vanilina, (-)epicatequina, ácido seríngico, seringaldeído, escopoletina, cumarina, sinapaldeído, coniferaldeído, trans-resveratrol, ácidoelágico, mirecetina, quercetina e o eugenol) em extratos de cachaça de diferentes espécies de madeira. ) Os principais compostos fenólicos identificados e quantificados foram: ácido de vanílico (média 0.18 mg/L), seringaldeído (média 0.048 mg/L) e vanilina (média 0.47 mg/L). A cumarina apresenta maior concentração nos extratos de madeira brasileira do que nos extratos de carvalho nos níveis do composto supracitado. Nas amostras de carvalho o teor médio foi de 0,0054 mg/L e nas espécies de madeira brasileiras o teor médio foi de 1,2 mg/L. Também foi analisada a presença de compostos fenólicos em cachaça, rum e whisky onde o seringaldeído e a vanilina foram os compostos majoritários
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.11.2006
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Alexandre Ataide da; FRANCO, Douglas Wagner. Compostos fenólicos em madeiras brasileiras. 2006.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2006. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/75/75132/tde-16042007-110050/ >.
    • APA

      Silva, A. A. da, & Franco, D. W. (2006). Compostos fenólicos em madeiras brasileiras. Universidade de São Paulo, São Carlos. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/75/75132/tde-16042007-110050/
    • NLM

      Silva AA da, Franco DW. Compostos fenólicos em madeiras brasileiras [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/75/75132/tde-16042007-110050/
    • Vancouver

      Silva AA da, Franco DW. Compostos fenólicos em madeiras brasileiras [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/75/75132/tde-16042007-110050/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021