Exportar registro bibliográfico

Efeitos da atividade física espontânea no curso da isquemia focal induzida pela injeção estriatal de endotelina-1. Análise do comportamento motor, da neurodegeneração e das respostas plásticas e tróficas (2005)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: OLIVEIRA, TATIANA DE PAULA - IP
  • Unidades: IP
  • Sigla do Departamento: PSE
  • Subjects: ISQUEMIA; ATIVIDADE FÍSICA; PLASTICIDADE NEURONAL; ASTRÓCITOS; ENDOTELINAS; GÂNGLIOS
  • Language: Português
  • Abstract: Ratos Wistar machos tiveram acesso à roda de corrida por 7 períodos de 12 horas antes da lesão. Animais controles sedentários permaneceram em caixas individuais desprovidas de roda, nas mesmas situações. Após, os animais treinados e controles sedentários foram submetidos à lesão estereotáxica isquêmica por injeção de endotelina-1 (ET-1, 2µg) no corpo estriado. Parte do grupo de animais controles sedentários foi submetido à injeção estereotáxica do solvente. Após a cirurgia, os animais treinados foram divididos em dois grupos: treinado interrompido (permaneceram em caixas individuais desprovidas de roda) e treinado mantido (manutenção do protocolo de atividade física). Os animais foram semanalmente submetidos à análise do comportamento motor espontâneo por sistema automatizado de emissão de luz infravermelha. Após 14 ou 30 dias da lesão, os animais foram sacrificados e seus cérebros processados para imunohistoquímica da OX42 (marcador de microglia), da proteína fibrilar ácida glial (GFAP, marcador de astrócitos), da proteína associada ao microtúbulo-2 (MAP-2, marcador de dendritos), da tirosina hidroxilase (TH, marcador de células e fibras dopaminérgicas) e do fator básico de crescimento fibroblástico (bFGF ou FGF-2, um fator neurotrófico). As marcações foram quantificadas por método de análise de imagem ou estereologia. A atividade física espontânea promoveu melhor desempenho motor antes da lesão e diante da manutenção do treino após a lesão. Acicatriz microglial ao redor da área de injeção estriatal de ET-1 diminuiu em função da atividade física espontânea mantida ou interrompida no grupo de 14 dias, entretanto, a reação microglial adjacente à lesão só foi maior no grupo sedentário, aos 14 dias de pós-operatório. A cicatriz astrocitária ao redor da lesão estriatal foi parcialmente reduzida pela manutenção da atividade física espontânea em 14 dias, entretanto, a ativação astrocitária foi mais acentuada nas adjacências da lesão e no corpo estriado contralateral dos animais lesados submetidos à manutenção da atividade física espontânea por 30 dias. A lesão estriatal isquêmica diminuiu a área de imunorreatividade da MAP-2 no corpo estriado ipsilateral à lesão apenas no grupo sedentário, no período de 14 dias. Aos 30 dias, esta diminuição foi também observada nos grupos solvente e treinado interrompido, mas não no grupo treinado mantido. A lesão estriatal isquêmica por ET-1 promoveu a hipertrofia dos neurônios dopaminérgicos da porção compacta da substância negra (SNc) ipsilateral à lesão, sem alterar o número destas células. A manutenção da atividade física espontânea por 30 dias promoveu o aumento do número de células marcadas pela TH na SNc contralateral e aumento no número de prolongamentos destas células na SNc bilateralmente, sem alterar a distribuição logarítmica dos volumes dos corpos celulares dos neurônios dopaminérgicos. A imunorreatividade do bFGF aumentou na SNc ipsilateral àlesão nos grupos treinado interrompido e treinado mantido em relação ao grupo solvente, no período de 30 dias. Conclui-se que a atividade fisica espontânea interfere no comportamento motor espontâneo, na ativação glial e na expressão de fatores neurotróficos e deste modo, influencia os mecanismos de proteção e plasticidade do sistema nigro-estriatal submetido à isquemia focal
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 28.11.2005

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Tatiana de Paula; CHADI, Gerson. Efeitos da atividade física espontânea no curso da isquemia focal induzida pela injeção estriatal de endotelina-1. Análise do comportamento motor, da neurodegeneração e das respostas plásticas e tróficas. 2005.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.
    • APA

      Oliveira, T. de P., & Chadi, G. (2005). Efeitos da atividade física espontânea no curso da isquemia focal induzida pela injeção estriatal de endotelina-1. Análise do comportamento motor, da neurodegeneração e das respostas plásticas e tróficas. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Oliveira T de P, Chadi G. Efeitos da atividade física espontânea no curso da isquemia focal induzida pela injeção estriatal de endotelina-1. Análise do comportamento motor, da neurodegeneração e das respostas plásticas e tróficas. 2005 ;
    • Vancouver

      Oliveira T de P, Chadi G. Efeitos da atividade física espontânea no curso da isquemia focal induzida pela injeção estriatal de endotelina-1. Análise do comportamento motor, da neurodegeneração e das respostas plásticas e tróficas. 2005 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020