Exportar registro bibliográfico

Caracterização morfológica da subplacenta em cutia (Dasyprocta leporina) (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: RODRIGUES, ROSANGELA FELIPE - FMVZ
  • Unidade: FMVZ
  • Sigla do Departamento: VCI
  • Subjects: DASYPROCTIDAE; PLACENTA; MORFOLOGIA (ANATOMIA); VASCULARIZAÇÃO EM ANIMAL
  • Language: Português
  • Abstract: A cutia Dasyprocta leporina é um roedor pertencente à sub-ordem histricomorfa, e é encontrada em todo território nacional. Os roedores da sub-ordem histricomorfa apresentam uma placenta dotada de uma estrutura peculiar, a subplacenta. Nesta pesquisa estudou-se em 9 (nove) placentas de cutias, nas três fases de gestação (inicial, média e final). Este estudo consistiu da análise morfológica placentária, pelas microscopias de luz e eletrônica, em conjunto com as técnicas de citoquímica, imunohistoquímica, e microvascularização. A subplacenta da cutia encontra-se localizada no ápice da placenta corioalantoidiana, separada desta por um tecido mesenquimal. Insere-se na parede uterina em íntimo contato com o tecido materno. Histologicamente a subplacenta consistiu de estruturas lamelares, cujos eixos são formados por tecido mesenquimal fetal. Sobre estes apoiam-se arranjos epiteliais de cito e sinciciotrofoblasto. Na região de interface da subplacenta e da decídua, foram encontradas populações de células trofoblásticas gigantes multinucleadas, citoqueratina positivas. A vimentina apresentou intensa reação positiva junto ao revestimento endotelial dos vasos do tipo arterial, e no interior do tecido mesenquimal do eixo central das lamelas da subplacenta. A reação de PCNA apresentou reatividade positiva no citotrofoblasto das lamelas da subplacenta, e em algumas células do sincício, principalmente no terço médio de gestação. A análise ultra-estrutural dasubplacenta mostrou duas populações de células trofoblásticas distintas na parede das lamelas: o cito e o sinciciotrofoblasto. A vascularização da subplacenta analisada pela perfusão de látex colorido, e por Mercox, ao microscópio eletrônico de varredura, demonstrou a ausência de vasos de origem materna, e irrigação oriunda da artéria fetal. Esta após capilarização dirigia-se para os lóbulos da placenta principal, cuja disposição lembrava uma circulação do tipo portal
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.12.2005
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RODRIGUES, Rosangela Felipe; MIGLINO, Maria Angélica. Caracterização morfológica da subplacenta em cutia (Dasyprocta leporina). 2005.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10132/tde-07082007-145753/ >.
    • APA

      Rodrigues, R. F., & Miglino, M. A. (2005). Caracterização morfológica da subplacenta em cutia (Dasyprocta leporina). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10132/tde-07082007-145753/
    • NLM

      Rodrigues RF, Miglino MA. Caracterização morfológica da subplacenta em cutia (Dasyprocta leporina) [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10132/tde-07082007-145753/
    • Vancouver

      Rodrigues RF, Miglino MA. Caracterização morfológica da subplacenta em cutia (Dasyprocta leporina) [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10132/tde-07082007-145753/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020