Exportar registro bibliográfico

Caracterização da trealase intestinal da larva de tenebrio molitor e clonagem do cDNA que a codifica (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: DURAN, ANA GILHEMA GOMEZ - IQ
  • Unidade: IQ
  • Sigla do Departamento: QBQ
  • Subjects: BIOQUÍMICA ANIMAL; INSETOS (ESTUDO); BIOLOGIA (ESTUDOS ESPECÍFICOS); BIOLOGIA MOLECULAR
  • Language: Português
  • Abstract: A trealase intestinal de Tenebrio molitor foi purificada após três etapas cromatográficas (interação hidrofóbica, troca iônica e gel filtração), obtendo-se uma recuperação de 46'POR CENTO', uma atividade especifica de 16,5 U/mg de proteína e um enriquecimento de 73 vezes. A proteína purificada apresenta uma massa molecular de 58 kDa estimada por plotes de Ferguson, pH ótimo de 5,3 e Km de 0,43(MAISOUMENOS)0,03 mM. Estudos de inibição com a enzima purificada mostraram que a mesma é inibida competitivamente por amigdalina ('K IND.i''igual' = 0,22 mM), prunasina ('K IND.i''IGUAL' 0,43 mM), florizina ('K IND.i''IGUAL' 0,50 mM), floretina ('K IND.i''IGUAL' 0,008 mM), metil-a-manosídeo ('K IND.i''IGUAL' 43 mM), salicina ('K IND.i''IGUAL' 186 mM) e glucono-d-lactona ('K IND.i''IGUAL1,4 mM). Mandelonitrila apresentou inibição mista com 'K IND.i''IGUAL' 3,8 e 'alfa''IGUAL'1,5. A enzima não apresentou inibição por 1,10 fenantrolina, gentibiose, metil-a-aglucosídeo e Tris, em concentrações de 4 mM, 10 mM, 200 mM e 264 Mm, respectivamente. Experimentos de inibição, inibição múltipla e de proteção da enzima contra modificadores de resíduos específicos de aminoácidos permitiram idealizar um esquema para o sítio ativo da trealase. Esse sítio ativo teria dois sítios assimétricos para a ligação de glicose. Em um dos sub-sítios liga-se o inibidor floritina e no outro os inibidores metil-a-manosídeo e glucono-'DELTA'-Iactona. Nesse último está presente um resíduo dehistidina que tem como papel modular o p'K IND.a' do carboxilato catalítico. Esse e o resíduo de arginina que atua como doador de prótons, encontra-se na região entre os dois sub-sítios. RT-PCR foi usado para clonar o cDNA que codifica a trealase intestinal de T. molitor. ) Esta proteína é solúvel e apresenta massa molecular prevista pela seqüência de 61 kDa. Tomando por base a seqüência de aminoácidos, esta trealase pode ser classificada na família 37 das glicosídeo hidrolases e faz parte do clã G, onde não se conhecem quais são os grupos envolvidos em catálise e nem a estrutura tridimensional de seus componentes
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.10.2005
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GOMEZ DURAN, Ana Gilhema; FERREIRA, Clélia. Caracterização da trealase intestinal da larva de tenebrio molitor e clonagem do cDNA que a codifica. 2005.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-01092014-163452/pt-br.php >.
    • APA

      Gomez Duran, A. G., & Ferreira, C. (2005). Caracterização da trealase intestinal da larva de tenebrio molitor e clonagem do cDNA que a codifica. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-01092014-163452/pt-br.php
    • NLM

      Gomez Duran AG, Ferreira C. Caracterização da trealase intestinal da larva de tenebrio molitor e clonagem do cDNA que a codifica [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-01092014-163452/pt-br.php
    • Vancouver

      Gomez Duran AG, Ferreira C. Caracterização da trealase intestinal da larva de tenebrio molitor e clonagem do cDNA que a codifica [Internet]. 2005 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-01092014-163452/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020