Exportar registro bibliográfico

Negrinhos que por ahi andão: a escolarização da população negra em São Paulo (1870-1920) (2005)

  • Authors:
  • Autor USP: BARROS, SURYA AARONOVICH POMBO DE - FE
  • Unidade: FE
  • Subjects: NEGROS; ENSINO PÚBLICO; HISTORIA DA EDUCAÇÃO; ACESSO À EDUCAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: Trata-se de uma pesquisa histórica sobre o processo de escolarização da população negra na cidade de São Paulo, entre 1870 e 1920, período de vigência do entusiasmo pela educação, quando a rede escolar aumentava sensivelmente. A partir das contribuições retiradas da historiografia e da análise das fontes documentais, chegou-se à concepção de ação branca e ação negra, sendo a primeira identificada como estratégia e a segundo como tática, a partir das referências do trabalho de Michel de Certeau. A ação branca divide-se em duas vertentes: por um lado a necessidade de destinar escolarização para a camada negra é percebida como importante para a modernização em curso, em que a abolição do trabalho escravo trazia outras demandas para a conformação do povo; nesse sentido é possível perceber a presença de alunos negros nas escolas paulistanas, a partir de registros da instrução pública coletados no Arquivo do Estado de São Paulo. Entretanto quando se coteja essa presença com depoimentos de pessoas de origem negra que vivenciaram a escolarização no período, e também as falas dos envolvidos) com a instrução pública no período (professores, inspetores de ensino), percebe-se que a presença das crianças negras na escola gerava um incômodo, existindo uma série de práticas geradas pelo sistema escolar que no mínimo dificultava a presença desses alunos. É possível afirmar que o acesso à escola se dava de maneira diferente e desigual entre esse da população e a camadabranca. Examinou-se ainda a ação negra, que consiste, por um lado, na busca desse segmento pelo acesso à escola. Nesse sentido, a existência de homens incomuns, como o advogado e abolicionista Luiz Gama e o professor da Academia de Direito José Rubino de Souza, negros que alcançaram patamares elevados dentro da cultura letrada, devem ser referidos não como excepcionais, mas que se inscrevem nos movimentos mais amplos de seu grupo social, que buscava a escolarização. Apesar disso, é possível também perceber em registros como os depoimentos e jornais da raça negra do período, uma parte desse grupo social que ficou à parte desse movimento, não se manifestando no sentido de interesse e busca pela escola
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.04.2005

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BARROS, Surya Aaronovich Pombo de; HILSDORF, Maria Lucia Spedo. Negrinhos que por ahi andão: a escolarização da população negra em São Paulo (1870-1920). 2005.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.
    • APA

      Barros, S. A. P. de, & Hilsdorf, M. L. S. (2005). Negrinhos que por ahi andão: a escolarização da população negra em São Paulo (1870-1920). Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Barros SAP de, Hilsdorf MLS. Negrinhos que por ahi andão: a escolarização da população negra em São Paulo (1870-1920). 2005 ;
    • Vancouver

      Barros SAP de, Hilsdorf MLS. Negrinhos que por ahi andão: a escolarização da população negra em São Paulo (1870-1920). 2005 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021