Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Desenvolvimento de um modelo experimental de infecção subcutânea por vírus oropouche em hamster (2004)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: RODRIGUES, ALCIR HUMBERTO - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBP
  • Subjects: BUNYAVIRIDAE (PATOGENICIDADE); ARBOVÍRUS
  • Language: Português
  • Abstract: O vírus Oropouche pertence à família Bunyaviridae, gênero Orthobunyavirus, sorogrupo Simbu, e é segunda causa mais freqüente de arbovirose febril no Brasil. Estima-se que mais de meio milhão de casos de febre do Oropouche tenham ocorrido no Brasil nos últimos 30 anos, havendo também ocorrências no Panamá, Peru, Suriname e Trinidad. Epidemias de febre do Oropouche têm sido registradas quase que exclusivamente na Amazônia. Porém, com o aquecimento global do planeta, desmatamentos e conseqüente redistribuição de insetos vetores e animais reservatórios, há risco de disseminação de vírus Oropouche para outras regiões do Brasil e da América do Sul. A patogenia da infecção por Oropouche não é bem entendida. Modelo em roedores, usando inoculação intracerebral, tem sido descrito, mas não com uso da via subcutânea, que mais se assemelha à rota natural da infecção. O objetivo, deste trabalho foi estabelecer e caracterizar um modelo experimental de infecção com Oropouche, usando inoculação subcutânea em hamster, a fim de contribuir para o entendimento da patogenia do mesmo. Oropouche da linhagem BeAn19991, passado em cérebro de camundongo recém-nascido, foi inoculado (‘10 POT. 6,25’ ‘TCID IND. 50’/100’mü’L) por via subcutânea na coxa de hamsters sírios com 2-3 semanas de idade. Em tomo de 3 dias alguns animais desenvolveram doença com sinais clínicos brandos caracterizados por: eriçamento dos pêlos e agressividade, outros com características mais graves: perda de peso, tremoressugestivos de calafrios, letargia e paralisia. Os animais foram sacrificados 1, 3, 5, 8 e 11 dias pós- inoculação ou quando eram encontrados em estado agônico. Baço, cérebro, coração, fígado, músculo e sangue foram colhidos para titulação viral, histologia e imuno-histoquímica. Infiltrado inflamatório estava presente no cérebro, principalmente em tomo dos vasos, meninges e discretamente no coração. O vírus Oropouche ... foi detectado no tecido cerebral (’10 POT. 7,23’ ‘TCID IND. 50’/g), no fígado (’10 POT. 6,67’ ‘TCID IND. 50’/g) e no sangue (’10 POT. 6’ ‘TCID IND. 50’/g). Antígeno de Oropouche foi encontrado, difusamente no fígado, associado com hepatócitos e em neurônios de diversos locais do cérebro. Este modelo reproduz uma infecção sistêmica por Oropouche e pode tomar-se útil no estudo da patogênese, bem como para testar drogas antivirais e possíveis candidatos a vacina
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.10.2004

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RODRIGUES, Alcir Humberto; ARRUDA, Eurico de. Desenvolvimento de um modelo experimental de infecção subcutânea por vírus oropouche em hamster. 2004.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2004. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17136/tde-05082008-182147/ >.
    • APA

      Rodrigues, A. H., & Arruda, E. de. (2004). Desenvolvimento de um modelo experimental de infecção subcutânea por vírus oropouche em hamster. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17136/tde-05082008-182147/
    • NLM

      Rodrigues AH, Arruda E de. Desenvolvimento de um modelo experimental de infecção subcutânea por vírus oropouche em hamster [Internet]. 2004 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17136/tde-05082008-182147/
    • Vancouver

      Rodrigues AH, Arruda E de. Desenvolvimento de um modelo experimental de infecção subcutânea por vírus oropouche em hamster [Internet]. 2004 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17136/tde-05082008-182147/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019