Exportar registro bibliográfico

Fotometria infravermelha de regiões HII gigantes da galáxia: aplicação a NGC3576 (2001)

  • Authors:
  • Autor USP: FIGUERÊDO, ELYSANDRA - IAG
  • Unidade: IAG
  • Sigla do Departamento: AGA
  • Subjects: ASTRONOMIA; ASTROFÍSICA ESTELAR
  • Language: Português
  • Abstract: As estrelas massivas têm um grande impacto na evolução das galaáxias. Estrelas do tipo O, e suas descendentes , as estrelas Wolf-Rayet, são as principais fontes de fótons UV, massa, energia momentum para o meio interestelar. Elas desempenham o papel principal na ionização do meio interestelar e no aquecimento da poeira. A via láctea é o melhor lugar para acessar simultaneamente a população estelar massiva e seu impacto na poeira e gás circundante. Nossa posição desfavorável no plano da Galáxia na janela óptica(A'IND.v APROXIMADAMENTE'20- 40 MAG) resultando numa estatística pobre. Mudar para comprimentos de onda maiores torna a perspectiva muito melhor, especialmente no infravermelho próximo, onde o obscurecimento é muito menor A'IND.k APROXIMADAMENTE 2-4mag) e a missão térmica ainda não é grande. Como os catálogos de estrelas massivas disponíveis são quase exclusivamente baseados na janela óptica, eles não contém uma amostra representativa da população estelar de grande massa. O estudo de regiões HII gigantes (GHII) no infravermelhom próximo é muito promissor uma vez que pode abordar questões astrofísicas importantes, tais como: 1) caracterização do conteúdo estelar pela determinação da função inicial de massa (IMF), taxa de formação estelar e idade; 2) estudo dos processos físicos envolvidos na formação de estrelas massivas, através da identificação de estrelas OB em estágios primitivos de evolução, como objetos estelares jovens embebidos (YSOs) e regiõesHII ultra compactas (UCHII); 3)mapeamento dos braços espirais da nossa galáxia pela medida por paralaxe espectroscópica de estrelas OB na sequência principal de idade zero (ZAMS). O imageamento e a espectroscopia no infravermelho próximo não são tão simples como no óptico. O campo estelar denso, a extinção elevada e desigual, a emissão nebular forte e irregular trazem dificuldades à fotometria. A emissão térmica proveniente do ambiente próximo ao ) telescópio e efeitos do meio ambiente estelar afetam consideravelmente a performance da espectroscopia. o objetivo deste trabalho é desenvolver procedimentos robustos de caracterização do conteúdo estelar de regiões HII galácticas e aplicá-los em NGC3576 afim de avaliar a performance do método
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.02.2001

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FIGUERÊDO, Elysandra; DAMINELI NETO, Augusto. Fotometria infravermelha de regiões HII gigantes da galáxia: aplicação a NGC3576. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.
    • APA

      Figuerêdo, E., & Damineli Neto, A. (2001). Fotometria infravermelha de regiões HII gigantes da galáxia: aplicação a NGC3576. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Figuerêdo E, Damineli Neto A. Fotometria infravermelha de regiões HII gigantes da galáxia: aplicação a NGC3576. 2001 ;
    • Vancouver

      Figuerêdo E, Damineli Neto A. Fotometria infravermelha de regiões HII gigantes da galáxia: aplicação a NGC3576. 2001 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021