Exportar registro bibliográfico

Fadiga em lajes de pontes dimensionadas pela teoria das charneiras plásticas (1988)

  • Authors:
  • Autor USP: LORIGGIO, DANIEL DOMINGUES - EP
  • Unidade: EP
  • Sigla do Departamento: PEF
  • Subjects: CHARNEIRAS PLÁSTICAS; FADIGA DAS ESTRUTURAS; LAJES; PONTES
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho tem como objetivo estudar, principalmente, o efeito da fadiga em lajes de pontes de concreto armado dimensionados pela Teoria das Charneiras Plásticas.A ideia de sua realização surgiu depois de o autor haver apresentado a dissertação de mestrado intitulada “Limitações impostas pela fissuração e pela fadiga à aplicação da teoria das charneiras plásticas ao projeto de lajes de pontes” à Escola Politécnica da USP. A dissertação demonstrou que, apesar desse processo de dimensionamento permitir uma grande redução do consumo de aço na laje, quando comparado com o consumo resultante dos dimensionamentos usuais, ele é limitado principalmente pela fadiga nas barras de aço da armadura. Por outro lado, o procedimento atual para a verificação da fadiga, indicado nas normas brasileiras, fornece uma segurança exagerada em relação a esse estado limite último, especialmente no caso das lajes.Portanto, era necessário criar um procedimento para a verificação da fadiga que se adaptasse melhor ao caso de lajes de pontes, e fornecesse estruturas mais econômicas, já que a fadiga revelou-se o fator determinante no dimensionamento. O problema será estudado dividindo-se a verificação da fadiga em três fases distintas: definição do carregamento, definição da solicitação e resistência dos materiais às solicitações. Dessa maneira, pode-se definir esse novo critério. Já a fissuração também tem de ser verificada quando a laje é dimensionada pela teoria das charneiras plásticas. Porém, utilizando-se uma relação entre os momentos positivos e negativos igual aquela decorrente da teoria das placas em regime elástico, a fissuração não chega a limitar significativamente o dimensionamento da laje. No final deste trabalho são apresentadas tabelas para o dimensionamento de lajes, de modo que estas possuam segurança adequada em relação àruína e verifiquem também sua fissuração e capacidade de resistência à fadiga pelo novo critério apresentado. Foram criadas tabelas para os novos trens-tipo da NBR 7188, junto com o antigo trem-tipo de classe 36 que pode ser utilizado em verificações de lajes já projetadas. Quando esse trabalho já estava praticamente concluído, entrou em vigor a nova norma que regulariza o projeto de pontes em concreto armado e protendido, a NBR 7187/87, que modifica principalmente os coeficientes de majoração dos esforços e o procedimento para a verificação da fissuração. Essas mudanças, entretanto, não devem alterar muito o dimensionamento final da laje. Alguns comentários a respeito dessa norma serão feitos no final do trabalho, com um enfoque maior nos novos critérios de fadiga por ela adotada.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.10.1988

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LORIGGIO, Daniel Domingues; ZAGOTTIS, Décio Leal de. Fadiga em lajes de pontes dimensionadas pela teoria das charneiras plásticas. 1988.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1988.
    • APA

      Loriggio, D. D., & Zagottis, D. L. de. (1988). Fadiga em lajes de pontes dimensionadas pela teoria das charneiras plásticas. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Loriggio DD, Zagottis DL de. Fadiga em lajes de pontes dimensionadas pela teoria das charneiras plásticas. 1988 ;
    • Vancouver

      Loriggio DD, Zagottis DL de. Fadiga em lajes de pontes dimensionadas pela teoria das charneiras plásticas. 1988 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021