Exportar registro bibliográfico

Estudo da repetibilidade de medidas angulares e lineares na análise da morfologia facial por meio da estereofotogrametria (2016)

  • Autores:
  • Autor USP: ANDRADE, LILIAN MENDES - FORP
  • Unidade: FORP
  • Sigla do Departamento: 804
  • Assuntos: FOTOGRAMETRIA; MORFOLOGIA (ANATOMIA); FACE
  • Palavras-chave do autor: Face; Morfologia; Fotogrametria; Morphology; Photogrammetry
  • Idioma: Português
  • Resumo: Os sistemas de estereofotogrametria digital representam um método não radioativo, seguro, preciso e objetivo para quantificar as dimensões dos tecidos moles faciais. Novos equipamentos têm despontado como alternativa viável nas especialidades que tratam do complexo craniofacial. A estereofotogrametria se destaca pela completa ausência de radiação ionizante, alta velocidade de aquisição, grandes ângulos de visualização, navegação virtual da imagem e possibilidade de integração com outros sistemas de imagens. Quando um novo método é proposto, torna-se necessário avaliar a sua confiabilidade na obtenção de resultados. O objetivo deste estudo foi analisar a repetibilidade intraexaminador em medidas faciais lineares e angulares, em um sistema de estereofotogrametria digital utilizado para avaliação da morfologia facial. A amostra final consistiu em 30 indivíduos adultos brasileiros com idade entre 18 e 45 anos, média de 26,71± 6,53 anos. Vinte e cinco mulheres e cinco homens, saudáveis, sem histórico de traumas ou cirurgias faciais e sem anormalidades congênitas, tiveram pontos de referência marcados em suas faces por um mesmo examinador e foram fotografados em dois momentos, com intervalo de uma semana (T1 e T2), pelo sistema de estereofotogrametria digital Vectra M3® (Canfield Scientific, Fairfield, EUA). Trinta e oito pontos foram demarcados em cada captura. Identificou-se um total de 2280 pontos; 11 medidas foram feitas em cada imagem capturada e 330 medições foramrealizadas. As imagens obtidas foram medidas em software próprio do sistema. A análise foi realizada a partir de um conjunto de nove medidas angulares (ângulos nasolabial, mentolabial, convexidade facial, convexidade facial total, nasal, maxilar, mandibular, nasofrontal, maxilofacial, e duas medidas lineares (altura facial média AFAM e altura facial inferior - AFAI), propostas para caracterizar a morfologia facial dos indivíduos da amostra. A repetibilidade intraexaminador na aquisição das medidas foi analisada pela Média Absoluta das diferenças (MAD), Magnitude Relativa do Erro (MRE), Erro Técnico de Medição (ETM), Coeficiente de Correlação Intraclasse (ICC) e análise de Bland-Altman. O teste t para amostras pareadas foi utilizado na identificação de erro sistemático entre T1-T2. O coeficiente de correlação de Pearson foi empregado para verificar a associação entre idade/IMC e o erro nas medições realizadas. Resultados: No cálculo do ETM e da MAD, apenas os ângulos nasolabial (2,17°) e mentolabial (2,88°) apresentaram valores maiores que 2 graus (limite clínico estabelecido para o presente estudo). Para a MRE, 9,1% das medidas foram consideradas moderadas (ângulo maxilofacial), 27,3% foram consideradas boas (ângulo nasal, ângulo maxilar, ângulo mandibular), 45,5% muito boas (ângulo nasolabial, ângulo mentolabial, ângulo nasofrontal, AFAM, AFAI) e 18,2% excelentes (ângulo da convexidade facial, ângulo da convexidade facial total.). Os ângulos nasolabial, mentolabial,convexidade facial, convexidade facial total, maxilofacial e nasofrontal apresentaram valores de ICC (R) classificados como excelentes. O ângulo nasal, e as medidas lineares de AFAI e AFAM tiveram um resultado satisfatório. Não ficou comprovada a relação entre idade/IMC e o erro encontrado entre as medições (diferença absoluta entre T1 e T2). As medidas para AFAM apresentaram um erro sistemático. As medições realizadas foram consideradas precisas dentro dos limites e referências estabelecidas para o presente estudo. Os ângulos nasolabial e mentolabial devem ser interpretados com critério pela variabilidade apresentada. O examinador apresentou boa repetibilidade nas medições realizadas. Os resultados obtidos no presente estudo acrescentam confiabilidade ao uso da estereofotogrametria digital na antropometria facial. Os parâmetros de precisão adequados a cada situação, em clínica ou em pesquisa, devem ser previamente estabelecidos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.07.2016
  • Acesso à fonte
    Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ANDRADE, Lilian Mendes; SILVA, Marco Antonio Moreira Rodrigues da. Estudo da repetibilidade de medidas angulares e lineares na análise da morfologia facial por meio da estereofotogrametria. 2016.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58133/tde-09082016-095926/ >.
    • APA

      Andrade, L. M., & Silva, M. A. M. R. da. (2016). Estudo da repetibilidade de medidas angulares e lineares na análise da morfologia facial por meio da estereofotogrametria. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58133/tde-09082016-095926/
    • NLM

      Andrade LM, Silva MAMR da. Estudo da repetibilidade de medidas angulares e lineares na análise da morfologia facial por meio da estereofotogrametria [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58133/tde-09082016-095926/
    • Vancouver

      Andrade LM, Silva MAMR da. Estudo da repetibilidade de medidas angulares e lineares na análise da morfologia facial por meio da estereofotogrametria [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58133/tde-09082016-095926/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2020