Exportar registro bibliográfico

Perfil de expressão tecidual e plasmático do miR-152, -148a e -99b e de DKK1 em meningiomas de diferentes graus de malignidade (2017)

  • Autores:
  • Autor USP: ZANETTI, BRUNA RIEDO - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPA
  • Assuntos: MENINGIOMA; BIOMARCADORES; MICRORNAS; EXPRESSÃO GÊNICA
  • Idioma: Português
  • Resumo: Introdução: Os miRNA funcionam como repressores da expressão genica. A superexpressão dos miRNAs-152, -148a e -99b pode levar a modulação de DKK1 e acarretar na progressão do meningioma (MNG) por regulação da via Wnt/β-catenina. Objetivos: Analisar o perfil de expressão dos miRNAs -152, -148a e -99b e do gene DKK-1, em tecido e plasma de portadores de MNGs grau I, II e III; e ainda, avaliar a correlação entre esses transcritos e a regulação da via Wntβ-catenina. Métodos: A técnica de PCR em tempo real (qRT-PCR) foi utilizada para validar a expressão dos miRNAs em tecido e plasma de MNG graus I, II e III. qRT-PCR e ELISA foram utilizados para avaliar a expressão do gene e da proteína DKK-1 em tecido e plasma. Proteínas efetoras da via Wnt/β-catenina tais quais, DKK-1, β-catenina e c-myc foram avaliadas por meio da imunoistoquímica. Resultados: Baixa expressão de DKK1 foi verificada apenas em MNG grau I quando comparado às aracnóides normais. No entanto, não houve diferença de expressão entre os graus tumorais e nem mesmo entre os subtipos histológicos e características clínicas. A proteína DKK1 apresentou-se com baixa expressão tecidual em 93% dos MNGs grau I, e apenas em 58% e 37% dos MNG grau II e III. No plasma, não houve diferença da proteína DKK1 entre MNGs grau I, II e III. Tumores recrescidos apresentaram expressão maior do miR-152 em relação aos não recrescidos, mas não foi visto diferença significante entre MNGs e aracnoides normais, entre os graus tumorais e nem mesmo entre os subtipos histológicos. Por outro lado, a expressão plasmática do miR-152 mostrou-se menor em MNG grau I e II em relação ao plasma controle (saudável), apenas. MNGs grau II apresentaram expressão elevada do miR-148a quando comparado às aracnoides normais, porém não houve diferença de expressão entre os graus tumorais, subtipos histológicos e característicasclínicas. Em contrapartida, a expressão plasmática do miR-148a apresentou-se menor em MNGs grau I, II e III em relação ao plasma controle. O mir-99b não apresentou expressão tecidual diferenciado em MNGs, mas mostrou-se com expressão plasmática significativamente mais baixa em MNGs grau I, II e III em relação ao plasma controle. Ainda, não houve correlação entre o perfil de expressão dos miRNA com o gene DKK1. Com relação as proteínas efetoras da via Wnt/β-catenina, 60% dos MNGs grau I apresentaram alta expressão da β-catenina, enquanto que alta expressão foi verificada em 74% dos MNGs grau II e 75% dos MNGs grau III. Por fim, 20% dos MNGs grau I, 28% dos MNGs grau II e 12% dos MNG grau III apresentaram positividade para c-myc. Não houve associação dos marcadores imunoistoquímicos analisados aos graus tumorais, subtipos histológicos e aos tumores recrescidos. Conclusão: Embora os achados não tenham demonstrado que DKK-1 é alvo dos miRNA-152, 148a e 99b em MNGs, o perfil de expressão tecidual de DKK-1 apresentou padrão diferenciado em MNG grau I. O miR-152 mostrou padrão diferente em tumores recrescidos, apontando superexpressão. Foi evidenciado um perfil particular em MNG grau II do mir-148a, que se mostrou hiperexpresso. Os níveis plasmáticos do miR-148a e 99b apresentaram-se baixo em MNGs em relação ao plasma controle. No entanto, o miR-152 mostrou níveis baixos apenas em MNGs grau I e II em relação ao plasma controle. Os resultados sugeriram ativação da via Wnt/β-catenina pela baixa expressão da proteína de DKK1 e alto acúmulo citoplasmático da proteína β-catenina nas células tumorais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.08.2017

  • Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ZANETTI, Bruna Riedo; SERAFINI, Luciano Neder. Perfil de expressão tecidual e plasmático do miR-152, -148a e -99b e de DKK1 em meningiomas de diferentes graus de malignidade. 2017.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017.
    • APA

      Zanetti, B. R., & Serafini, L. N. (2017). Perfil de expressão tecidual e plasmático do miR-152, -148a e -99b e de DKK1 em meningiomas de diferentes graus de malignidade. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Zanetti BR, Serafini LN. Perfil de expressão tecidual e plasmático do miR-152, -148a e -99b e de DKK1 em meningiomas de diferentes graus de malignidade. 2017 ;
    • Vancouver

      Zanetti BR, Serafini LN. Perfil de expressão tecidual e plasmático do miR-152, -148a e -99b e de DKK1 em meningiomas de diferentes graus de malignidade. 2017 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2021