Exportar registro bibliográfico

The ring-tailed coatis Nasua nasua and their human similarities: social and communicative lives, culture and conflicts (2017)

  • Autores:
  • Autor USP: GASCO, ALINE DOMINGUES CARNEIRO - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Assuntos: CARNIVORA; QUATIS; INTERAÇÃO HOMEM-ANIMAL; COMUNICAÇÃO ANIMAL
  • Idioma: Inglês
  • Resumo: As complexas estruturas de redes sociais afiliativas, agressivas e de catação dos quatis podem ser estabelecidas ou não por parentesco e são mediadas por diversos sinais acústicos. As fêmeas nidificam em árvores, são filopátricas e estabelecem sistemas matrilineares onde elas permitem um único macho social andar com o grupo, enquanto que os machos solitários dispersam. Nesta tese, o objetivo foi realizar quatro estudos relacionados à (1) vida sonora dos quatis, ampliando o repertório acústico descrito anteriormente (GASCO, 2012). (2) Vida social, apresentando fatos novos concernentes ao investimento parental, ao comportamento de construir ninhos para descanso e procriação, e ao padrão de atividade vocal nos ninhos de pernoite (Capítulo 4). (3) Uso de produtos introduzidos por humanos, apresentando um estudo de caso e discutindo a primeira evidência de cultura neste carnívoro social (Capítulo 5). (4) E conflitos entre quatis e humanos ao redor do Brasil, propondo a perspectiva da Etologia da Conservação para lidar com tal espécie silvestre considerada abundante (Capítulo 6). As populações de quatis de vida livre foram estudadas no Parque Ecológico do Tietê (PET), em 2013, e na Ilha do Campeche, em 2014. Foram utilizados também informações sobre os ninhos e vocalizações registradas durante estudos anteriores com os quatis do PET, e estavam armazenados em computador. Acompanhamos 4 grupos de quatis habituados, compostos por um número variado de indivíduos, classificados como BE, PE, JD, e GiC, e formados por indivíduos de ambos os sexos, todas as idades. Os dados acústicos foram coletados com os gravadores ™Songmeter SM2+ e ™Marantz PMD660 (sampling rate: 44.1 kHz, 16 bits of resolution, phantom off) que estava acoplado ao microfone unidirecional ™Sennheiser ME67/K6 e embutido na vara de boom, tomando a distancia de 1 m do emissor. As análises dasvocalizações foram feitas nos programas ™Avisoft SAS Lab e ™Raven Pro 1.4. Os comportamentos foram filmados, registrados em planilhas pelos métodos de animal focal (30 minutes de scans a cada 5 minutes de intervalos), todas as ocorrências e instantâneo (ALTMANN, 1974). As análises comportamentais ocorreram nos programas Gigraph add-in do Excel Microsoft Office 2013 e Sony Vegas Pro v.1.3, e a codificação no programa ™Boris. Utilizamos uma trena a laser e GPS Garmin eTrex Legend para tomar medidas das árvores-ninhos e posicionamento delas dentro das áreas de uso dos grupos estudados. O programa SPSS foi utilizado para as análises estatísticas descritivas, ANOVA e testes não-paramétricos. Ampliamos o repertório acústico dos quatis por adição do chamado rítmico do greeting, emitidos durante grooming antes da entrada nos ninhos. Descrevemos o repertório comportamental de construção de ninhos contendo 13 movimentos altamente repetitivos em frequência e de duração variável. Encontramos uma sequência básica para a formação do ninho que é construído com galhos verdes e retorcidos: empurrar com as patas; virar o corpo; empurrar com o nariz; e pegar com a boca. O comportamento mais importante, nas redes de construção de ninhos separados por idade e género, foi o uso das patas, que foi seguido por sentar (em adultos) e caminhar ou usar a boca (em juvenis). Os quatis usaram preferencialmente o sabão de cinzas para untarem o corpo e observamos três tipos de anointing: o mais comum foi self-anointing; seguido de allo-anointing; e o menos comum foi o anointing coletivo / social. A área genital foi comumente untada, enquanto que cauda, raramente. Na perspectiva humana, os quatis causam prejuízos financeiros, ecológicos, ou epidemiológicos. Tomando como base nossa experiência e reunindo os relatos de outros pesquisadores no Brasil, desde parques urbanos a umambiente insular, concordamos que a interação humano-animal é ainda um domínio relativamente novo de pesquisa. Esperamos que os estudos aqui apresentados instiguem futuros estudos comparativos que tenham os quatis como modelo de representação de carnívoro social com fenómenos sociais paralelos aos humanos: a comunicação (Capítulo 3), as relações sociais (Capítulo 4), os aspectos culturais (Capítulo 5), e os conflitos (Capítulo 6)
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.05.2017

  • Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GASCO, Aline Domingues Carneiro; MONTICELLI, Patrícia Ferreira. The ring-tailed coatis Nasua nasua and their human similarities: social and communicative lives, culture and conflicts. 2017.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017.
    • APA

      Gasco, A. D. C., & Monticelli, P. F. (2017). The ring-tailed coatis Nasua nasua and their human similarities: social and communicative lives, culture and conflicts. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Gasco ADC, Monticelli PF. The ring-tailed coatis Nasua nasua and their human similarities: social and communicative lives, culture and conflicts. 2017 ;
    • Vancouver

      Gasco ADC, Monticelli PF. The ring-tailed coatis Nasua nasua and their human similarities: social and communicative lives, culture and conflicts. 2017 ;


Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2021