Exportar registro bibliográfico

Enfrentamento o tráfico de pessoas: condicionantes domésticos dos Estados e formação da agenda brasileira (2017)

  • Autores:
  • Autor USP: PIRES, MÔNICA SODRÉ - IRI
  • Unidade: IRI
  • Assuntos: TRÁFICO HUMANO; TRÁFICO INTERNACIONAL DE PESSOAS; POLÍTICAS PÚBLICAS; DIREITOS HUMANOS; AGENDA SETTING
  • Palavras-chave do autor: Agenda-setting; Formação de agenda; Human right; Human trafficking; International regimes; Public policy; Regimes internacionais
  • Idioma: Português
  • Resumo: O tráfico de pessoas configura-se atualmente como a terceira atividade mais lucrativa no mundo e as estimativas sobre seu volume e rendimentos ganham novos números a cada ano. No ano 2000, a Organização das Nações Unidas reconheceu formalmente a necessidade de se lidar com o problema e estabeleceu o principal instrumento jurídico sobre o tema, a Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional (conhecida como Convenção de Palermo), complementada por três Protocolos Adicionais, sendo um deles especificamente relativo ao tráfico de mulheres e crianças. Isso posto, os objetivos deste trabalho são de duas ordens: (1) compreender o papel de características domésticas na ratificação dos Estados a compromissos internacionais, mais especificamente ao Protocolo Adicional à Convenção das Nações Unidas contra a Criminalidade Organizada Transnacional relativo à Prevenção, à Repressão e à Punição do Tráfico de Pessoas, em especial de Mulheres e Crianças e (2) compreender a formação da agenda decisória brasileira sobre o tema e a influência do cenário internacional para isso. Para o primeiro, fazemos uso do arcabouço teórico-metodológico fornecido por estudos que explicam a adesão de países à regimes internacionais, sobretudo os de direitos humanos, empregamos metodologia quantitativa, adotamos como série temporal o período compreendido entre 2000 e 2011, tomamos como amostra os 193 países membros das Nações Unidas e selecionamos como variáveis independentes: (Continua)(Continuação) regime de governo, tempo de democracia, novas democracias, região geográfica de localização do país, indicador de tráfico humano, tipos de tráfico humano e PIB per capita. Para a segunda dimensão, qualitativa, fazemos uso do arcabouço da área de políticas públicas, sobretudo os estudos relacionados ao processo de formação de agenda e o Modelo de Fluxos Múltiplos, e mapeamos as políticas públicas referentes ao tema produzidas entre 2000 e os dias atuais no Brasil
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.03.2017
  • Acesso à fonte
    Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PIRES, Mônica Sodré; ONUKI, Janina. Enfrentamento o tráfico de pessoas: condicionantes domésticos dos Estados e formação da agenda brasileira. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/101/101131/tde-18052017-174333/ >.
    • APA

      Pires, M. S., & Onuki, J. (2017). Enfrentamento o tráfico de pessoas: condicionantes domésticos dos Estados e formação da agenda brasileira. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/101/101131/tde-18052017-174333/
    • NLM

      Pires MS, Onuki J. Enfrentamento o tráfico de pessoas: condicionantes domésticos dos Estados e formação da agenda brasileira [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/101/101131/tde-18052017-174333/
    • Vancouver

      Pires MS, Onuki J. Enfrentamento o tráfico de pessoas: condicionantes domésticos dos Estados e formação da agenda brasileira [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/101/101131/tde-18052017-174333/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2020