Exportar registro bibliográfico

Compostos bioativos em flores comestíveis processadas por radiação (2015)

  • Autores:
  • Autor USP: KOIKE, AMANDA CRISTINA RAMOS - IPEN
  • Unidade: IPEN
  • Assuntos: FLORES; ALIMENTOS NÃO CONVENCIONAIS; DESINFESTAÇÃO; RADIAÇÃO GAMA
  • Idioma: Português
  • Resumo: Flores comestíveis são cada vez mais utilizadas nas preparações culinárias, sendo também reconhecidas por seus potenciais efeitos benéficos na saúde humana, o que exige novas abordagens para melhorar a sua conservação e segurança. Estes produtos altamente perecíveis devem ser cultivados sem o uso de agrotóxicos. Tratamento de irradiação pode ser a resposta a estes problemas, garantindo a qualidade dos alimentos, aumentando seu prazo de validade e desinfestação. Tropaeolum majus L. (capuchinha) e Viola tricolor L. (amorperfeito) são flores amplamente utilizadas nas preparações culinárias, sendo também reconhecidas por suas propriedades antioxidantes e alto teor de compostos fenólicos. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos dose-resposta da irradiação por gama e feixe de elétron (doses de 0, 0,5, 0,8 e 1 kGy) sobre a atividade antioxidante, compostos fenólicos, aspectos físicos e potencial antiproliferativo das flores comestíveis. O flavonoide Kaempferol-O-hexosídeo-Ohexosídeo foi o composto mais abundante em todas as amostras de flores de Tropaeolum majus, enquanto Pelargonidina-3-O-soporosídeo foi a principal antocianina. Em geral, as amostras irradiadas demonstraram maior atividade antioxidante. Nas amostras da Viola tricolor, os compostos fenólicos mais abundantes foram os flavonois, especialmente aqueles derivados da quercetina. Em geral, as amostras irradiadas com raios gama, independentemente da dose aplicada, apresentaram quantidades mais elevadas m compostosfenólicos, os quais também foram favorecidos pela dose de 1,0 kGy independente da fonte utilizada. A atividade antioxidante também foi maior entre as amostras irradiadas. As duas espécies de flores comestíveis não apresentaram as amostras não apresentaram potencial antiproliferativo e citotoxicidade. Assim, os tratamentos por irradiação aplicados, demonstraram ser uma tecnologia viável para preservar a qualidade de pétalas de flores comestíveis, considerando as exigências impostas para sua utilização
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.05.2015
  • Acesso à fonte
    Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      KOIKE, ^Amanda^Cristina^Ramos; VILLAVICENCIO, Anna Lucia Casañas Haasis. Compostos bioativos em flores comestíveis processadas por radiação. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/85/85131/tde-17082015-102839/ >.
    • APA

      Koike, ^A. ^C. ^R., & Villavicencio, A. L. C. H. (2015). Compostos bioativos em flores comestíveis processadas por radiação. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/85/85131/tde-17082015-102839/
    • NLM

      Koike ^A^C^R, Villavicencio ALCH. Compostos bioativos em flores comestíveis processadas por radiação [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/85/85131/tde-17082015-102839/
    • Vancouver

      Koike ^A^C^R, Villavicencio ALCH. Compostos bioativos em flores comestíveis processadas por radiação [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/85/85131/tde-17082015-102839/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2021