Exportar registro bibliográfico

Emprego do ácido tranexâmico em cães submetidos à osteotomias corretivas (2014)

  • Autores:
  • Autor USP: RIZZO, MARIA FERNANDA CERNIAWSKY INNOCENCIO - FMVZ
  • Unidade: FMVZ
  • Sigla do Departamento: VCI
  • Assuntos: CIRURGIA ORTOPÉDICA (VETERINÁRIA); CIRURGIA VETERINÁRIA; OSTEOTOMIA (VETERINÁRIA, ESTUDO)
  • Palavras-chave do autor: Ácido tranexâmico; Anestesia; Anesthesia; Blood loss; Perda sanguínea; Tranexamic acid
  • Idioma: Português
  • Resumo: A pressão sanguínea é responsável pela manutenção de importantes funções corpóreas. Uma perda de sangue que leve à queda brusca dessa pressão resulta em ineficiente perfusão tecidual e, consequentemente, em déficit de oxigênio e acúmulo de metabólitos. Quando em excesso, a perda sanguínea pode levar o paciente ao choque e a complicações anestésicas e cirúrgicas. O uso de um fármaco antifibrinolítico, como o ácido tranexâmico, pode minimizar o sangramento transoperatório, e é preferível à transfusão sanguínea. Este composto já é amplamente utilizado em cirurgias ortopédicas humanas, que apresentam alto grau de sangramento e geralmente requerem a transfusão sanguínea. O objetivo deste trabalho é avaliar a eficácia da utilização do ácido tranexâmico em cães submetidos a cirurgias com grande potencial de perda sanguínea. Foram incluídos 21 cães com ruptura de ligamento ou luxação de patela, com necessidade de osteotomia corretiva, distribuídos em 2 grupos. O primeiro grupo recebeu ácido tranexâmico em bolus, no momento da indução, na dose de 10 mg/kg seguido de infusão contínua na taxa de 1 mg/kg/hora já o segundo recebeu solução salina 0,9% no volume correspondente ao volume do fármaco. A estimativa da perda sanguínea foi feita através da pesagem dos campos cirúrgicos, compressas e gases quando secos e, posteriormente, quando embebidos em sangue, além disso foram dosadas a concentração sérica de lactato, tempos de coagulação, hemograma e hemogasometria, nos dados momentos: TB(basal), T1 (1 hora após a indução anestésica) e T2 (imediatamente ao final do procedimento cirúrgico). Utilizou-se análise de variância para medidas repetidas (ANOVA), seguido pelos testes de Tukey e t-Student, valores de p<0,05 expressam diferença estatística. Não houve diferença estatística entre os grupos em relação a nenhum dos parâmetros avaliados exceto as idades dos animais que foram significativamente mais velhos no grupo GSF quando comparados ao grupo GAT, também não houve diferença em relação à quantidade de sangue perdida nos diferentes grupos. Sendo assim, o ácido tranexâmico não foi eficaz em diminuir a perda sanguínea em cães submetidos a osteotomias corretivas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.08.2014
  • Acesso à fonte
    Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RIZZO, Maria Fernanda Cerniawsky Innocencio; FANTONI, Denise Tabacchi. Emprego do ácido tranexâmico em cães submetidos à osteotomias corretivas. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10137/tde-05012015-113509/ >.
    • APA

      Rizzo, M. F. C. I., & Fantoni, D. T. (2014). Emprego do ácido tranexâmico em cães submetidos à osteotomias corretivas. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10137/tde-05012015-113509/
    • NLM

      Rizzo MFCI, Fantoni DT. Emprego do ácido tranexâmico em cães submetidos à osteotomias corretivas [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10137/tde-05012015-113509/
    • Vancouver

      Rizzo MFCI, Fantoni DT. Emprego do ácido tranexâmico em cães submetidos à osteotomias corretivas [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10137/tde-05012015-113509/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2021