Exportar registro bibliográfico

Avaliação de marcadores de diferenciação celular e de invasão tecidual em endométrio tópico e ectópico em modelo experimental de endometriose em coelhas (2013)

  • Autores:
  • Autor USP: BRANDÃO, VERÔNICA CRISTINA MORAES - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGO
  • Assuntos: ENDOMETRIOSE; EXPERIMENTOS ANIMAIS; COELHOS; DIFERENCIAÇÃO CELULAR
  • Idioma: Português
  • Resumo: Objetivo: Caracterizar o padrão de diferenciação e invasão tecidual em endométrio tópico e ectópico de coelhas submetidas à indução de lesões de endometriose por modelo experimental já conhecido, quatro e oito semanas após o procedimento de implantação endometrial. A avaliação das lesões em dois tempos tem a finalidade de verificar se existe modificação tecidual ao longo da evolução das lesões, assim como se existe crescimento das mesmas. Material e Métodos: Estudo experimental animal sendo utilizadas 29 coelhas adultas Nova Zelândia, fêmeas, virgens, submetidas a laparotomia para indução da lesão de endometriose, através da ressecção e sutura de fragmento de corno uterino direito (5 x 5mm) em peritônio pélvico. As coelhas foram divididas em dois grupos, sendo o grupo 1, constituído de 14 animais, sacrificados após 4 semanas da indução da lesão endometrial ectópica e o grupo 2 composto de 15 animais, com tempo de evolução de oito semanas. A lesão foi excisada para análise histológica juntamente com o corno uterino contralateral, comprovando a presença de tecido endometrial glandular e estromal. Reações de imunohistoquímica foram realizadas, no tecido endometrial eutópico e ectópico, para análise dos seguintes marcadores: Metaloprotease (MMP 9) e Inibi dor tecidual de metaloprotease (TIMP 2), envolvidos na capacidade invasora do tecido endometrial, além de Metalotioneína e p63, envolvidos na diferenciação e proliferação celular. Resultados: Observou-se maior imunomarcação por MMP9, TIMP 2, Metalotioneina e p63 no tecido ectópico, quando comparado com o endométrio eutópico. Contudo, quando as lesões ectópicas foram comparadas entre si, com 4 e 8 semanas, não foi observada diferença significativa, com exceção do marcador p63, que foi mais evidente após 8 semanas de evolução do tecido endometrial ectópico. Conclusão: As lesões ectópicas parecemexpressar maior poder de diferenciação celular e invasão tecidual, quando comparadas com o endométrio eutópico
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.08.2013

  • Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BRANDÃO, Verônica Cristina Moraes; SILVA, Julio Cesar Rosa e. Avaliação de marcadores de diferenciação celular e de invasão tecidual em endométrio tópico e ectópico em modelo experimental de endometriose em coelhas. 2013.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2013.
    • APA

      Brandão, V. C. M., & Silva, J. C. R. e. (2013). Avaliação de marcadores de diferenciação celular e de invasão tecidual em endométrio tópico e ectópico em modelo experimental de endometriose em coelhas. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Brandão VCM, Silva JCR e. Avaliação de marcadores de diferenciação celular e de invasão tecidual em endométrio tópico e ectópico em modelo experimental de endometriose em coelhas. 2013 ;
    • Vancouver

      Brandão VCM, Silva JCR e. Avaliação de marcadores de diferenciação celular e de invasão tecidual em endométrio tópico e ectópico em modelo experimental de endometriose em coelhas. 2013 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2021