Exportar registro bibliográfico

Tamanhos de recipientes e o uso de hidrogel no estabelecimento de mudas de espécies florestais nativas (2011)

  • Autores:
  • Autor USP: BARBOSA, TIAGO CAVALHEIRO - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LCF
  • Assuntos: ECOLOGIA (RESTAURAÇÃO); MUDAS (PRODUÇÃO;MORTALIDADE); PLANTAS NATIVAS; TAXA DE SOBREVIVÊNCIA
  • Idioma: Português
  • Resumo: A demanda por projetos de restauração ecológica, com a utilização de técnicas de plantio total, tem aumentado nos últimos anos, com a consequente necessidade de otimização dos insumos para tal atividade que, além de garantir maior sobrevivência das mudas a campo, é essencial para o setor. Assim, as compensações ambientais, geradas pela obra do trecho sul do Rodoanel Mário Covas (São Paulo), proporcionaram uma importante oportunidade de se realizar alguns estudos nessa temática. O objetivo deste trabalho foi avaliar a taxa de sobrevivência e o crescimento inicial (12 meses), de 30 espécies arbóreas nativas, provenientes de mudas acondicionadas em recipientes com 3 volumes distintos (tubetão 290 cm3, tubetinho 56 cm3 e bandeja 9 cm3), com e sem utilização de hidrogel no plantio, e submetidas às mesmas ações de manutenção. As espécies nativas regionais contemplaram todos os grupos sucessionais (pioneira e não pioneiras), pertencentes a 17 famílias botânicas. Como resultados deste trabalho, pode-se concluir que as espécies provenientes do recipiente tubetão obtiveram as menores porcentagens de mortalidade, seguidas de tubetinho e bandeja, entretanto algumas espécies de bandeja mostraram-se com índices de mortalidade menores, se comparadas a outras espécies provenientes de tubetinhos, apresentando assim possibilidades de uso, desde que adotados manejos diferenciados (irrigação pós-plantio e controle de competidores) visando a garantir o aumento da sobrevivência inicial das mudasO hidrogel não interferiu no estabelecimento e nem no crescimento das mudas nos diferentes recipientes, para o período em que o experimento foi avaliado. Quanto ao desenvolvimento das mudas em crescimento e incremento de altura, pode-se concluir que, uma vez garantido o estabelecimento das mudas, não houve diferenças entre os recipientes, reforçando que, com manejos diferenciados, os custos da restauração poderão ser significativamente reduzidos, para as situações que exijam como metodologia o plantio total na restauração ecológica de uma dada área
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.09.2011
  • Acesso à fonte
    Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BARBOSA, Tiago Cavalheiro; RODRIGUES, Ricardo Ribeiro. Tamanhos de recipientes e o uso de hidrogel no estabelecimento de mudas de espécies florestais nativas. 2011.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-24112011-162115/ >.
    • APA

      Barbosa, T. C., & Rodrigues, R. R. (2011). Tamanhos de recipientes e o uso de hidrogel no estabelecimento de mudas de espécies florestais nativas. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-24112011-162115/
    • NLM

      Barbosa TC, Rodrigues RR. Tamanhos de recipientes e o uso de hidrogel no estabelecimento de mudas de espécies florestais nativas [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-24112011-162115/
    • Vancouver

      Barbosa TC, Rodrigues RR. Tamanhos de recipientes e o uso de hidrogel no estabelecimento de mudas de espécies florestais nativas [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-24112011-162115/


Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2021