Exportar registro bibliográfico

Tratamento da hiperidrose palmo-plantar pela simpatectomia videotoracoscópica: terceiro versus quarto gânglio torácico (2010)

  • Autores:
  • Autor USP: ISHY, AUGUSTO - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MCP
  • Assuntos: HIPERIDROSE; SIMPATECTOMIA; QUALIDADE DE VIDA; GÂNGLIOS (CIRURGIA)
  • Idioma: Português
  • Resumo: Introdução: Atualmente, a simpatectomia torácica videoassistida tornou-se o tratamento de escolha para hiperidrose palmar. O principal efeito colateral após operação é a hiperidrose compensatória (HC), sendo considerada a maior causa de insatisfação pelos pacientes. Objetivo: Comparar os resultados obtidos com a simpatectomia torácica videotoracoscópica realizada em dois níveis ganglionares distintos (terceiro versus quarto gânglio torácico) no tratamento da hiperidrose palmo-plantar, por meio de um ensaio clínico randomizado e cego. Método: Foram selecionados 40 pacientes entre fevereiro de 2007 e maio de 2009. Os participantes foram aleatorizados em dois grupos de 20 pacientes (G3 e G4) e submetidos à operação com seguimento de 12 meses (1ª semana, 1° mês, 6° mês e 12° mês). Utilizamos um método objetivo para mensuração do suor, aferindo a TEWL (transepidermal water loss) pelo VapoMeter, além da avaliação da qualidade de vida antes e após a operação. Também foram estudados: resolução da hiperidrose palmar, incidência e intensidade da HC. Resultados: Todos os pacientes apresentaram resolução da hiperidrose palmar após a operação, com diferença estatística em relação ao fator tempo, quando comparados os valores da TEWL palmar no pré-operatório com os seus respectivos valores na 1ª semana, 1° mês, 6° mês e 12° mês. O principal efeito colateral observado foi a hiperidrose compensatória, incidindo com maior frequência no grupo G3 após 12 meses de seguimento; apesar disto, não houve diferença estatística em relação à intensidade (gravidade) da HC nos grupos estudados. Verificou-se melhora da qualidade de vida desde a primeira avaliação do pós-operatório, sem diferença entre os grupos, que assim se manteve até o fim do estudo. As regiões mais acometidas pela HC foram dorso, tórax, abdome e coxas; no entanto, não houve diferença estatística da TEWL mensurada nessas regiões (Continua)(Continuação) após 12 meses de acompanhamento. Conclusão: Ambas as técnicas foram efetivas no tratamento da hiperidrose palmar, gerando redução objetiva da TEWL independente do gânglio operado. A simpatectomia no nível de G3 apresentou maior incidência de HC; apesar disso, a melhora da qualidade de vida foi similar em ambos os grupos, não existindo diferença significativa da TEWL quantificada no dorso, abdome, coxas e pés após 12 meses
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.09.2010
  • Acesso à fonte
    Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ISHY, Augusto; CAMPOS, José Ribas Milanez de. Tratamento da hiperidrose palmo-plantar pela simpatectomia videotoracoscópica: terceiro versus quarto gânglio torácico. 2010.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5156/tde-27092010-144236/ >.
    • APA

      Ishy, A., & Campos, J. R. M. de. (2010). Tratamento da hiperidrose palmo-plantar pela simpatectomia videotoracoscópica: terceiro versus quarto gânglio torácico. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5156/tde-27092010-144236/
    • NLM

      Ishy A, Campos JRM de. Tratamento da hiperidrose palmo-plantar pela simpatectomia videotoracoscópica: terceiro versus quarto gânglio torácico [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5156/tde-27092010-144236/
    • Vancouver

      Ishy A, Campos JRM de. Tratamento da hiperidrose palmo-plantar pela simpatectomia videotoracoscópica: terceiro versus quarto gânglio torácico [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5156/tde-27092010-144236/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2021